Programa Venera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Programa Vênera)
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa das sondas sobre venus

Programa Venera (em russo: Венера) foi uma série de sondas espaciais desenvolvidas pelo programa espacial soviético, para a coleta de informações do planeta Vênus. Eram lançadas em pares, com uma segunda sonda sendo lançada uma ou duas semanas após o lançamento da primeira. Os desenhos e os equipamentos carregados pelas sondas da série variaram ao longo dos anos, sendo gradualmente aperfeiçoados para resistir às extremas condições da atmosfera e da superfície do planeta Vênus.[1] [2]

O Programa Venera se estendeu de 1961 até 1983. Existe um novo projeto russo, chamado Venera-D, que pretende explorar o planeta por radar e também localizar lugares para próximos pousos sobre a superfície. O projeto tem seu lançamento previsto para 2016.

Pionerismo[editar | editar código-fonte]

Mesmo sendo pouco divulgadas, as missões Venera foram pioneiras em vários aspectos:

  • Primeiro artefato humano a pousar suavemente em outro planeta e conseguir transmitir informações durante certo tempo.
  • Primeiras máquinas criadas pelo homem a entrar na atmosfera de outro planeta.
  • Foi a primeira a fotografar e enviar à Terra imagens de outro planeta.
  • A primeira e a realizar o mapeamento em radar da superfície de um planeta.

As condições extremas de Vênus - temperaturas diárias de mais de 450 ℃, pressão atmosférica 90 vezes maior do que a da Terra e tempestades de ácido sulfúrico - fizeram com que estas sondas não sobrevivessem por muito tempo. As 8 primeiras sondas foram desenhadas para pousar no planeta, enquanto as 8 sondas posteriores foram desenhadas de modo diferente, sendo compostas de uma sonda orbital e de uma sonda projetada para pousar no planeta e resistir por um mínimo de 30 minutos na superfície do planeta antes de ser decomposta.

As sondas[editar | editar código-fonte]

  • A Venera 1 e a Venera 2 perderam contato com a Terra antes de chegar a Vênus. A Venera 3 alcançou o planeta em 1 de março de 1965, mantendo contínuo contato radiofônico com a Terra, mas este contato foi perdido logo antes da entrada da sonda na atmosfera do planeta. A Venera 3 tornou-se o primeiro objeto humano a pousar em outro planeta - embora este pouso não tenha sido controlado. A sonda possuía um corpo cilíndrico com uma espécie de redoma no topo, com uma altura total de cerca de 2 m, e havia dois painéis solares laterais de dimensões relativamente pequenas. Uma antena grande (mais de 2 m de diâmetro), de alto ganho, era a responsável pela recepção dos sinais de controle, e uma antena linear longa transmitia os sinais à Terra. Os instrumentos científicos da nave incluíam um magnetômetro, detectores de íons, detectores de micrometeoritos e radiação cósmica. A redoma no topo da nave continha uma esfera pressurizada que continha as insígnias soviéticas, e era projetada para flutuar nos presumíveis oceanos de Vênus, após o pouso (a nave não continha retrofoguetes).
  • A Venera 4 alcançou Vênus em 18 de outubro de 1967, tornando-se a primeira sonda a entrar na atmosfera e enviar dados à Terra. A Venera 4 também realizou a primeira comunicação radiofônica sonda-Terra. Ela liberou uma cápsula com dois termômetros, um barômetro, um altímetro e medidores de densidade do ar, 11 analisadores de gás e dois rádio-transmissores. O módulo principal da nave carregava um magnetômetro, detectores de raios cósmicos, indicadores de oxigênio e hidrogênio e detectores de partículas. O módulo de descida conseguiu transmitir informações durante a descida, até alcançar a altitude de 25 km (freiado por paraquedas), onde foi destruído pelas severas condições atmosféricas de Vênus. A Venera 5 alcançou Vênus em 16 de maio de 1969 e entrou na atmosfera de Vênus no mesmo dia, enviando dados à Terra antes de ser esmagada pela atmosfera. Cada nave (Venera 5 e 6) carregava um módulo de pouso, dotado de paraquedas, além de instrumental científico. Também carregavam medalhões comemorativos com as insígnias soviéticas e o baixo-relevo de Lênin. A Venera 5 lançou o seu módulo de pouso no lado escuro de Vênus em 16 de maio de 1969, e a Venera 6 o fez no dia seguinte.
  • Venera 7. Foi a primeira sonda desenhada para resistir às extremas condições do planeta Vênus e a realizar um pouso controlado no planeta. Alcançou Vênus em 15 de dezembro de 1970 e pousou no planeta no mesmo dia. Enviou informações à Terra por 23 minutos antes de ser decomposta pelo calor e pela pressão do planeta. O radar da Venera 7 detectou ventos de mais de 100 quilômetros por hora. Foi o primeiro artefato humano a pousar suavemente em outro planeta e conseguir transmitir informações durante certo tempo. A Venera 8 pousou em Vênus em 6 de dezembro de 1970, sobrevivendo por 50 minutos.
  • Venera 12. Alcançou o planeta em 21 de dezembro de 1978, sobrevivendo por 110 minutos. Sua irmã, a Venera 11, pousou no planeta 4 dias depois, sobrevivendo por 95 minutos, mas seus sistemas de imagens (fotografia, radar) não operaram.
  • Venera 13. Enviou à Terra as primeiras imagens coloridas da superfície de Vênus, em 1 de março de 1982, sobrevivendo por 127 minutos, à temperatura de 456 graus centígrados e à pressão de 89 atmosferas.
  • Venera 15. Encerrando a série Venera, em 1983 foram lançadas duas naves destinadas a mapear Vênus com o emprego de um sistema de radar, sem pouso portanto: a Venera 15, lançada em 2 de junho de 1983, e a Venera 16, lançada em 7 de junho de 1983. As partes orbitais da Venera 15 e a Venera 16 realizaram missões de mapeamento da superfície do planeta em 10 e 14 de outubro de 1983. As naves Venera 15 e 16 eram idênticas e aproveitaram a nave base (módulo orbitador) das Venera 9 a 14, ligeiramente modificadas.

Dados de voo das missões Venera[editar | editar código-fonte]

Nome Missão Lançamento Resultados Sonda Espacial sonda de pouso Selo
1VA (proto-Venera) Sonda Orbital 4 de fevereiro de 1961 Não deixou a órbita terrestre n/a
Venera 1 Sonda Orbital 12 de fevereiro de 1961 Perdeu a comunicação no caminho a Vênus n/a 1961 CPA 2556.jpg
Venera 2MV-1 No.1 Sonda atmosférica August 25, 1962 O último estágio falhou; reentrou três dias depois Venera 1962 diagramm.jpg n/a n/a
Venera 2MV-1 No.2 Sonda atmosférica September 1, 1962 O último estágio falhou; reentrou cinco dias depois Venera 1962 diagramm.jpg n/a n/a
Venera 2MV-2 No.1 Sonda Orbital September 12, 1962 O último estágio falhou; reentrou dois dias depois Venera 1962 diagramm.jpg n/a n/a
Venera 1964A Sonda Orbital 19 de fevereiro de 1964 Não alcançou a órbita estacionária. n/a
Venera 1964B Sonda Orbital 1 de março de 1964 Não alcançou a órbita terrestre. n/a
Cosmos 27 Sonda Orbital 27 de março de 1964 Falhou no estágio de lançamento n/a
Venera 2 Sonda Orbital 12 de novembro de 1965 A comunicação foi perdida antes da chegada Venera 2.jpg n/a
Venera 3 Sonda atmosférica 16 de novembro de 1965 A comunicação foi perdida antes da entrada na atmosfera. Foi o primeiro objeto criado pelo homem a pousar em outro planeta. Venera3-outra-peq.jpg n/a 1966 CPA 3379.jpg
Venera 1965A Sonda Orbital 26 de novembro de 1965 Falha no lançamento n/a
Venera 4 Sonda atmosférica 12 de junho de 1967 Chegou em 18 de Outubro de 1967 e foi a primeira sonda a entrar na atmosfera do planeta e retornar dados. Apesar de não transmitir a partir da superfície, esta foi a primeira transmissão de sondas interplanetárias. Venera 4.jpg
Venera 5 Sonda Atmosférica 5 de janeiro de 1969 Chegou em 16 de maio de 1969 e transmitiu com sucesso dados da atmosfera antes de ser esmagada pela pressão do planeta a 26 km da superfície. Venera 5.jpg n/a 1969. Венера-5, Венера-6 (1).jpg
Venera 6 Sonda Atmosférica 10 de janeiro de 1969 Dados atmosféricos transmitidos com sucesso antes de ser esmagada pela pressão a 11 km da superfície n/a 1969. Венера-5, Венера-6 (2).jpg
Venera 7 Sonda de pouso 17 de agosto de 1970 Chegou em 16 de dezembro de 1970. Foi o primeiro pouso bem sucedido em outro planeta e sobreviveu por 23 minutos antes de sucumbir ao calor e à pressão. Foi a primeira transmissão da superfície de outro planeta. Venera 7.jpg
Venera 8 Sonda de pouso 27 de março de 1972 Chegou em 22 de julho de 1972 e sobreviveu durante 50 minutos antes de sucumbir ao calor e à pressão. Venera 8.jpg Venera 8 capsule.jpg 1972. Венера-8.jpg
Venera 9 Sonda Orbital e sonda de pouso 8 de junho de 1975 Chegou em 22 de outubro de 1975. Enviou as primeiras imagens em preto e branco da superfície do planeta. Sobreviveu 53 minutos antes de sucumbir a pressão e ao calor. Venera 9 orbiter.jpg Venera 9 lander.jpg 1984 CPA 5560.jpg
Venera 10 Sonda Orbital e sonda de pouso 14 de junho de 1975 Chegou em 25 de outubro de 1975. Sobreviveu por 65 minutos antes de sucumbir à pressão e ao calor. Venera 10 orbiter.jpg Venera 9 lander.jpg
Venera 11 Sobrevoo e sonda de pouso 9 de setembro de 1978 Chegou em 25 de dezembro de 1978. Sobreviveu por 95 minutos, mas o sistema de imagem da sonda falhou. Venus 12.jpg
Venera 12 Sobrevoo e sonda de pouso 14 de setembro de 1978 Chegou em 21 da dezembro de 1978. A sonda sobreviveu por 110 minutos e gravou o que se considerou ser um relâmpago. Venus 12.jpg
Venera 13 Sobrevoo e sonda de pouso 30 de outubro de 1981 Chegou em 1 de março de 1982. Registrou a primeira imagem colorida da superfície de Vênus e descobriu basalto no solo com o uso de um espectrômetro. Venera 13 orbiter.jpg Venera 13 lander.gif
Venera 14 Sobrevoo e sonda de pouso 14 de novembro de 1981 Chegou em 5 de março de 1982. Recolheu amostras de solo e registrou a presença de basalto. Venera 13 orbiter.gif Venera 13 lander.gif
Venera 15 e 16 Orbital 2 de junho de 1983 Chegaram em 10 de outubro de 1983 e mapearam juntas parte do hemisfério norte do planeta. Venera 15.gif n/a

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]