Projeção cartográfica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A projeção cartográfica é definida como um tipo de traçado sistemático de linhas numa superfície plana, destinado à representação de paralelos de latitude e meridianos de longitude da Terra ou de parte dela, sendo a base para a construção dos mapas. A representação da superfície terrestre em mapas, nunca será isenta de distorções. Nesse sentido, as projeções cartográficas são desenvolvidas para minimizarem as imperfeições dos mapas e proporcionarem maior rigor científico à cartografia.

A escolha de uma projeção e a conversão de uma a outra são problemas abordados pelos cartógrafos.

Tipos de Projeções Cartográficas[1] [editar | editar código-fonte]

As projeções cartográficas podem ser classificadas de diversas maneiras.

Método[editar | editar código-fonte]

  • Projeção Geométrica: Baseia-se em princípios da Geometria. Pode ser obtida pela intersecção sobre a superfície de projeção, do feixe de retas que passa por pontos da superfície de referência partindo sempre de um ponto (centro perspectivo).
  • Projeção Analítica: Baseia-se em formulação matemática obtidas com o objetivo de se atender condições previamente estabelecidas.

Superfície de Projeção[2] [editar | editar código-fonte]

  • Projeção Azimutal: Também chamada de Projeção Plana, é um tipo de projeção usada comumente para representação das áreas polares pois parte sempre de um ponto para a representação da(s) área(s), por isso é usado para pequenas áreas. Pode ser de três tipos: Polar, Equatorial e Oblíqua (chamada também de horizontal).
  • Projeção cônica: A superfície terrestre é representada num cone envolvendo o globo terrestre. Os paralelos formam círculos concêntricos e os meridianos são linhas retas que convergem para os polos. As deformações ocorrem conforme se afastam do paralelo padrão (paralelo de contato com o cone). A projeção é utilizada para representar áreas continentais (como regiões e continentes).
  • Projeção cilíndrica: A superfície terrestre é representada num cilindro envolvendo o globo terrestre. Os paralelos e os meridianos são linhas retas que convergem entre si. As deformações ocorrem conforme se aumentam as latitudes, tendo a chegar ao infinito. É comumente utilizada para representações do globo, como mapas-mundí.
  • Projeção Polissuperficial: Quando apresenta mais de um tipo de projeção para aumentar o contato da superfície de referência e, portanto, diminuir as deformações (exemplos: cone- policônica, plano-poliédrica, cilindro-policilindro)

Propriedades[editar | editar código-fonte]

  • Projeção equidistante: As distâncias se preservam e as áreas e os ângulos são deformados.
  • Projeção conforme: Os ângulos se preservam, as áreas são deformadas.
  • Projeção equivalente: As áreas são preservadas e os ângulos são mudados.
  • Projeção Afilática: Não conserva propriedades, mas minimiza as deformações em conjunto (ângulos, áreas e distâncias).
  • Projeção equidistante: Não preserva a forma dos continentes nem suas dimensões, porém mantém as mesmas distâncias.

Tipo de Contato entre a Superfície de Projeção e Referência[editar | editar código-fonte]

  • Projeção Secante: a superfície de projeção secciona a superfície de referência. (plano- uma linha; cone- duas linhas desiguais; cilindro- duas linhas iguais).
  • Projeção Tangente: a superfície de projeção tangencia à referência.(plano- um ponto; cone e cilindro- uma linha).

Principais projeções[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre engenharia cartográfica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.