Projeção cilíndrica equidistante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma projeção cilíndrica equidistante da Terra; o paralelo padrão é o equador.

Projeção cilíndrica equidistante. É uma projeção cartográfica cilíndrica muito simples, cuja invenção se atribui a Marinus de Tiro, a quem Cláudio Ptolomeu credita a invenção no ano 100.[1] .

Definição[editar | editar código-fonte]

x = \lambda \cos(\phi_1)\,
y = \phi\,

onde:

\lambda\, é a longitude do meridiano central da projeção,
\phi\, é a latitude
\phi_1\, são os paralelos padrões (a norte e sul do equador), onde a escala da projeção é verdadeira.

Usos[editar | editar código-fonte]

Devido a distorção produzida por esta projeção, ela não pode ser utilizada em mapas de navegação ou mapas cadastrais, mas é habitualmente usada em mapas temáticos. Ela se converteu num padrão para aplicações informáticas devido a sua correspondência entre pixeis e a posição geográfica.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Flattening the Earth: Two Thousand Years of Map Projections, John P. Snyder, 1993, pp. 5-8, ISBN 0-226-76747-7.