Caso oblíquo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Casos gramaticais

Declinação

Casos gramaticais
Declinação por idioma
editar esta tabela

O caso oblíquo ou caso objetivo é uma classificação de caso gramatical, usada genericamente para qualquer caso que não seja o nominativo.

No português existem os seguintes pronomes pessoais do caso oblíquo:

Caso reto Caso oblíquo
Oblíquo átono Oblíquo tônico
eu me mim comigo
tu te ti contigo
ele lhes lhe ele consigo
se si
ela a lhe ela consigo
se si
nós nos nós conosco (br)
connosco (pt)
vós vos vós convosco
eles os lhes eles consigo
se si
elas as lhes elas consigo
se si
Função: Objeto direto Dativo Objeto indireto Comitativo

Os pronomes oblíquos átonos "me", "te", "nos", "vos", "o", "os", "a", "as" e "se" indicam o objeto direto e seguem regras de colocação pronominal para determinar sua colocação em relação ao verbo.

Os pronomes oblíquos tônicos "mim", "ti", "nós", "vós", "ele", "eles", "ela", "elas" e "si" são usados a seguir de qualquer preposição, exceto "com".

Os pronomes oblíquos tônicos "comigo", "contigo", "conosco", "convosco" e "consigo" indicam o caso comitativo, substituindo o uso da preposição com.

A diferença entre "se" e "si" com os demais pronomes é simples: enquanto "si" e "se" indicam voz reflexiva, "o", "a", "os", "as", "lhe" e "lhes" indicam ação ativa ou passiva.

Contrações dos oblíquos átonos[editar | editar código-fonte]

Oblíquos átonos podem ser usados simultaneamente, sendo, dessa forma, contraídos.

me te lhe nos vos lhes
o mo to lho no-lo vo-lo em
a ma ta lha no-la vo-la lha
os mos tos lhos no-los vo-los lhos
as mas tas lhas no-las vo-las lhas