Proteína atada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox question.svg
Esta página ou seção carece de contexto (desde novembro de 2011).

Este artigo (ou seção) não possui um contexto definido, ou seja, não explica de forma clara e dire(c)ta o tema que aborda. Se souber algo sobre o assunto edite a página/seção e explique de forma mais clara e objetiva o tema abordado.

A definição da proteína atada[editar | editar código-fonte]

Matematicamente, um nó é definido como um subconjunto de pontos tridimensionais homeomórficos a um círculo.[1] De acordo com esta definição, um nó só fazem sentidos para um laço próximo. Se escolher um ponto no espaço a uma distância infinita e conectar-se ao N e C terminais, respectivamente através de uma ligação virtual, a proteína pode ser tratada como um laço virtual perto. Portanto, o laço é detectado como próximo nó topologia e podemos citar como a proteína nó.

(A) A proteína é uma cadeia aberta.. (B) Para criar um circuito fechado, nós escolhemos um ponto a uma distância infinita, e conectá-lo a N e C terminais e, assim, a estrutura inteira se tornará um topologia em malha fechada.

Introdução da proteína atada[editar | editar código-fonte]

Proteínas atada apresenta um dos problemas mais desafiadores para ambos biólogos computacional e experimental. Apesar de um número cada vez maior de proteínas atada depositados em PDB, ainda não está claro como dobra a de uma proteínas em uma conformação com nós, ou como nó de uma proteína está relacionada à sua função. Embora uma série de métodos computacionais têm sido desenvolvidos para a detecção de proteínas nós, ainda não há métodos totalmente automático para detectar proteínas nós sem a intervenção manual necessária devido aos resíduos falta ou quebra de cadeia nas estruturas de raios-X ou os formatos fora do padrão PDB.

Atualmente, existem 4 tipos de nó identificado em proteínas, o nó 31, 41, o nó 52 e 61.

Quatro tipos de nó identificado em proteínas: o nó 31 (superior esquerdo), o nó 41 (superior direito), os nós 52 (inferior esquerdo) eo nó 61 (inferior direito). Estas imagens foram produzir por KnotPlot.[2] Note que o nó 31, possui duas formas distintas. O canhoto e destro. O que mostramos aqui é um nó com a mão direita por 31


O servidor web para rastrear a proteína atada[editar | editar código-fonte]

Recentemente, um número de servidores web (pKNOT) foram publicados, oferecendo serviço de consulta conveniente para estruturas atada e ferramentas de análise para a detecção de proteínas nós. [3]

Referências

  1. Cromwell, P. D.. Knots and Links. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.
  2. Robert, Scharein. KnotPlot: Hypnagogic Software (Version 0.1).
  3. Lai, Y.-L.; Yen, S.-C.; Yu, S.-H.; Hwang, J.-K.. (7 Maio 2007). "pKNOT: the protein KNOT web server" 35 (Web Server) p. W420–W424. DOI:10.1093/nar/gkm304.

Notas