Proteína de desacoplamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma proteína de desacoplamento é uma proteína da membrana interna mitocondrial que pode dissipar o gradiente protónico antes que possa ser utilizado para providenciar energia para a fosforilação oxidativa.1

Existem cinco tipos conhecidos em mamíferos:

As proteínas de desaclopamento desempenham um papel fisiológico normal, tal como na hibernação, porque a energia é usada para gerar calor (ver termogénese) em vez de produzir ATP. no entanto, outras substâncias como o 2,4-dinitrofenol e a carbonilcianeto m-clorofenil-hidrazona também serve o mesmo papel de desaclopamento, e são considerada venenosas. O etanol e o ácido salicílico são também agentes de desaclopamento e podem acabar com o ATP no corpo e aumentar a temperatura corporal se tomados em excesso.

Referências

  1. Nedergaard J, Ricquier D, Kozak LP. (2005). "Uncoupling proteins: current status and therapeutic prospects". EMBO Rep. 6 (10): 917–21. DOI:10.1038/sj.embor.7400532. PMID 16179945.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]