Protonilus Mensae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Protonilus Mensae
CTX Context Image of Pits.JPG

Imagem CTX de Protonilus Mensae.
Planeta Marte
Coordenadas 43.86° N, 49.40° E
Diâmetro 1050 km [1]
Quadrângulo Ismenius Lacus
Buracos em Protonilus Mensae, vistos pela HiRISE, sob o programa HiWish.

Protonilus Mensae é uma área em Marte no quadrângulo de Ismenius Lacus. Está centrada nas coordenadas 43.86° N e 49.4° E. Suas longitudes a oeste e a leste são de 37° E e 59.7° E. Suas latitudes a norte e a sul são 47.06° N e 39.87° N.[2] Protonilus Mensae se situa entre Deuteronilus Mensae e Nilosyrtis Mensae; ambas se situam nos limites da dicotomia marciana. Esse nome foi adotado pela UAI em 1973.

A superfície é descrita como sendo um terreno erodido. O terreno contém falésias, mesas, e vales largos e planos. Acredita-se que estes objetos geográficos tenham sido formados por geleiras cobertas por cascalho. Essas geleiras são chamadas Lobate debris aprons (LDA) quando circundam montículos ou mesas. Quando as geleiras estão em um vale, elas são chamadas Lineated valley fill (LVF). Partes da superfície exibem padrões de fluxo que começam em inúmeras alcovas localizadas nas paredes dos platôs. Pequenos lóbulos de fluxo no topo dos principais fluxos demonstra que houve mais de um período glacial, tal como na Terra.[3] Acredita-se que abaixo da fina camada de rochas e poeiras se localizam grandes depósitos de gelo.[4] [5] Dados de radar do SHAllow RADar (SHARAD) a bordo da MRO identificaram gelo puro sob ambos LDA e LVF.[6] [7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Protonilus Mensae

Referências

  1. http://planetarynames.wr.usgs.gov/Feature/4852
  2. http://planetarynames.wr.usgs.gov/Feature
  3. Baker, M. et al. 2010. Flow patterns of lobate debris aprons and lineated valley fill north of Ismeniae Fossae, Mars: Evidence for extensive mid-latitude glaciation in the Late Amazonian. Icarus: 207. 186-209.
  4. Morgan, G. and J. Head III. 2009. Sinton crater, Mars: Evidence for impact into a plateau ice field and melting to produce valley networks at the Hesperian-Amazonian boundary. Icarus: 202. 39-59.
  5. Morgan, G. et al. 2009. Lineated valley fill(LVF) and lobate debris aprons (LDA) in the Deuteronilus Mensae northern dichotomy boundary region, Mars: Constraints on the extent, age, and periodicity of Amazonian glacial events. Icarus: 202. 22-38.
  6. Holt, et al. 2008. Radar sounding evidence for buried glaciers in the southern and mid-latitudes of Mars. Science: 322. 1235-1238.
  7. Plaut, J. et al. 2009. Radar evidence for ice in lobate debris aprons in the mid-northern latitudes of Mars. Geophys. Res. Lett: 36.


Ícone de esboço Este artigo sobre Marte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.