Pseudo-halogênio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O termo pseudo-halogênio foi introduzido em 1925[1] [2] para designar certos radicais, como por exemplo o CN, OCN, NCO, CNO, SCN, NCS, SeCN e N3, que apresentam um comportamento químico análogo ao dos halogênio. Estes grupamentos são capazes de:

(CN)2 + 2OH- → CN- + OCN- + H2O.
  • formar sais insolúveis com alguns íons metálicos, como o AgN3 e o CuCN.
  • formar íons complexos, como o [Pd(SCN)4]2- e o [Fe(CN)6]4-.
  • formar compostos interpseudo-halogênicos, como o ClN3 e o NCN3.

Nem sempre um determinado pseudo-halogênio manifesta todas estas possibilidades. Como exemplo, os ácidos HSCN e HOCN não podem ser obtidos em estado de pureza, e não se pode preparar o inter-halogênio neutro NCO-OCN.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. L. Birckenbach; K. Kellermann. (1925). "" (em alemão). Ber. Dtsch. Chem. Ges. 58B: 786-794 pp..
  2. Greenwood, N. N.; Earnshaw, A.. Chemistry of the Elements (em inglês). 2 ed. Oxford: Butterworth-Heinemann, 1997. ISBN ISBN 0-7506-3365-4
Portal A Wikipédia possui o portal: