Psicofarmacologia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Psicofarmacologia é a ciência que trata da relação entre o uso de drogas (substâncias psicoativas) e as alterações psíquicas diversas da ordem do humor, cognição, comportamento, psicomotricidade e personalidade. [1]

Drogas psicoativas podem ser originárias de fontes naturais como plantas e animais, ou artificiais como sintetizadores químicos em laboratórios. Estas drogas interagem com alvos específicos ou receptores encontrados no sistema nervoso para induzir diferentes mudanças nas funções fisiológicas ou psicológicas. A interação específica entre as drogas e seus alvos é chamada de Acção da Droga e as mudanças observadas são conhecidas como Efeito da Droga.

O cogumelo Amanita muscaria, é geralmente citado como uma das primeiras drogas psicoativas utilizadas e provavelmente era ingrediente na sagrada droga psicodélica da antiga Índia conhecida como Soma.

A psicofarmacologia moderna estuda um grande número de substâncias com vários tipos de propriedades psicoativas, mas a maioria dos estudos são conduzidos em drogas com propriedades médicas, com foco nas interações químicas entre estas e o cérebro humano.

Ícone de esboço Este artigo sobre farmácia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre Psiquiatria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Meyer, J. S. and Quenzer, L. S. (2004). Psychopharmacology: Drugs, the Brain and Behavior. Sinauer Associates. ISBN 0-87893-534-7