Puer Aeternus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

"Puer Aeternus" é a frase latina para "Eterno Jovem". Na Psicologia Analítica Junguiana, exemplos do arquétipo pueril incluem a criança, um pré-adolescente e o adolescente. O termo também se aplica a mulheres, ocasião para a qual a terminologia Latina é "Puella".

Puer Aeternus: Um Estudo Psicológico do Esforço Adulto e o Paraíso da Infância e O Problema do Puer Aeternus são livros nos quais a analista junguiana Marie-Louise von Franz escreveu sobre uma instância específica desse arquétipo; o puer aeternus (ou "juventude eterna"), que inclui certas personagens como Peter Pan e O Pequeno Príncipe, também é retratado em um livro homônimo ao último citado, por Antoine de Saint-Exupéry. Mozart, como mostrado no filme Amadeus, demonstra o aspecto padrão do arquétipo pueril.

Psicólogos analistas alegam que o arquétipo pueril pode levar a problemas psicológicos que ficam patentes pela manifesta imaturidade, narcisismo e a inabilidade de desenvolver uma perspectiva adulta apropriada à vida.

O arquétipo antitético, ou, mais propriamente,o oposto enantiodrômico (Ver:Enantiodromia) do puer é o senex.

O puer aeternus também é representado pelo "eneatipo" (tipo classificatório de personalidade indicado pelo Eneagrama) de número nove.


Possíveis implicações[editar | editar código-fonte]

Dada a maneira pela qual se abate sobre a sociedade, pode ser classificado dinamicamente como agente de forte tendência descompromissante. O arquétipo em questão tem os seus 'filiados' aversos a qualquer tipo de manifestação laboral a que julguem ser 'séria-demais' ou 'adulta-demais', os quais privilegiam o carpe diem particular a qualquer status social privilegiado que poderiam obter ulteriormente mediante a prática de um trabalho 'desgastante o bastante para ser desnecessário', epicuricamente falando.

Ver Também[editar | editar código-fonte]