Puxinanã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Puxinanã
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 28 de janeiro
Fundação 1962
Gentílico puxinanaense
CEP 58115-000
Prefeito(a) Lúcia de Fátima Aires Miranda (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Puxinanã
Localização de Puxinanã na Paraíba
Puxinanã está localizado em: Brasil
Puxinanã
Localização de Puxinanã no Brasil
07° 09' 39" S 35° 57' 39" O07° 09' 39" S 35° 57' 39" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Agreste Paraibano IBGE/2008 [1]
Microrregião Campina Grande IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Campina Grande
Municípios limítrofes Campina Grande, Pocinhos, Montadas e Lagoa Seca
Distância até a capital 121 km
Características geográficas
Área 73,673 km² [2]
População 12 995 hab. (PB: 66º) –  estimativa populacional - IBGE/2011[3]
Densidade 176,39 hab./km²
Altitude 657 m
Clima semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,628 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 54 893,767 mil (PB: 58º) – IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 147,31 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.puxinana.pb.gov.br

Puxinanã é um município brasileiro localizado na Região Metropolitana de Campina Grande, estado da Paraíba. Sua população em 2011 foi estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 12.995 habitantes,[3] distribuídos em 73 km² de área. A maioria de seus habitantes residem na zona rural, caracterizando-o como um município de aspecto agropecuário.

Etimologicamente, o nome do município vem do tupi puxi–nanã e significa "ananás ruim (incomestível)", em referência ao fruto da bromélia, semelhante a um abacaxi.[6]

Características[editar | editar código-fonte]

Em questão a religiosidade, os destaques são as duas principais vertentes do cristianismo, como o catolicismo, tendo como templo a "Igreja Nossa Senhora do Carmo" (maioritariamente professada pela população) e o protestantismo, destacando-se a igreja evangélica Assembleia de Deus, cujo número de adeptos cresce em ritmo acelerado. A festa da padroeira do município ocorre no dia 16 de julho, na qual anualmente são realizados diversos eventos durante a semana, entre eles, "MotoMaria" (Procissão feita por motos), desfile de moda frio com as lojas da cidade, Exposição de artesanatos, quermesses e o Baile das Flores, onde uma boneca (moça) representa uma flor em cada comunidade pertencente à Paróquia, no encerramento tem uma chuva de pétalas para Nossa Senhora do Carmo e uma procissão com um andor da imagem peregrina da santa, por algumas ruas do município. Muitas pessoas mostram aos jovens aspectos de uma tradição antiga, que é a de enfeitar a porta das casas onde a imagem irá passar.

O município desfruta de um comércio razoável, que permite o suprimento de necessidades fundamentais aos moradores, oferecendo-lhes uma qualidade de vida razoavelmente boa, se comparada com cidades de mesmo porte e da mesma região.

Em 2008, o município se encontrava com um grave problema de falta de água, pois não choveu suficiente para reparar a perda de água do açude que, por não ter sido alimentado pela sangria das barragens superiores, ameaçou atingir o estado de calamidade pública. O açude esteve em estado de observação com apenas 6,7% de volume total. Se esse valor baixar para 5% o açude entra em situação crítica.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005.[7]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. a b Estimativa Populacional 2011 Estimativa Populacional 2011 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2011). Visitado em 10 de agosto de 2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. Horácio de Almeida. História da Paraíba, Volume 1. [S.l.]: Editora Universitária/UFPB, 1978.
  7. Secretaria de Políticas de Desenvolvimento Regional (2005). Nova Delimitação do Semi-Árido Brasileiro Relatório do Ministério da Integração Nacional. Visitado em 03/06/2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios da Paraíba é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.