Qinna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Qinna
Yue Fei, general a quem é atribuída a codificação do Chin'na
Informação geral
Prática Arte marcial
Foco Agarramentos
Dureza Contato pleno
Grafia
Nome nativo 擒拿
Tradução literal Pegar
Cronologia das artes marciais  · Lista de artes marciais  · Projeto Artes Marciais

Qinna (em chinês: 擒拿, Qínná, Qin'na ou Chin na) é uma arte marcial chinesa, cujo fulcro reside nas técnicas de imobilização e controle do oponente, isto é, praticam-se golpes direcionados a específicos pontos de pressão e distensão de articulações, tendões e músculos, no fito de submeter o adversário, fazendo-o com que desista de prosseguir no eventual ataque.[1] [2] O nome pode ser traduzido como «pegar», «segurar»; os ideogramas chin e na significam agarrar ou segurar e controlar, respectivamente.[3]

É uma prática usada em quase todos os estilos de artes marciais chinesas, sendoalgumas vezes combinado com o shuaijiao (técnica corporal de luta chinesa): é um dos aspectos marciais aplicados no tai chi chuan, que tem como objetivo principal o desenvolvimento da energia (chi).[4]

Diz-se que um mestre nesta arte é capaz de matar seu oponente se prolongar a aplicação de certas técnicas. Dentre os estilos de wushu os que maior importância dão a prática deste tipo de técnicas são o Pai huo chuan, o Fan tzi ien jao e o Hung. Há também um estilo transmitido principalemnte em Macau por um mestre chamado Wong Po Kan (黃寶金), também mestre em wing chun.

Ao general Yue Fei, os taoístas atribuem a criação do estilo Hsing I, um dos três estilos internos (Nei chia) de wushu. Ainda hoje a polícia chinesa utiliza técnicas de Chin-Na e Suai Jiao para imobilização de elementos desarmados.[5]

Características[editar | editar código-fonte]

As técnicas englobam golpes que vão desde o simples agarramento até projeções, isto é, arremesso do adversário. Sendo que as técnicas estão relacionadas não somente com o controlo do adversário em si, mas em controlá-lo por intermédio do uso das linhas nas quais fluem a energia corporal, ou chi. Diz-se haver 108 pontos.[1] Há vários tipos de técnicas, sendo que algumas delas são fáceis de dominar e bem assim o princípio fisiológico por detrás.[4]

Os historiadores acreditam que o general Yueh Fei (1103-1114 d.C) aprendeu com o monge Shaolin Jao Tung as 108 técnicas originais de apresamento e torção que ficariam conhecidas por chin na. Dominar o atacante sem a necessidade de ferí-lo demasiadamente, era a intenção original dos monges Shaolin que codificaram o método.

Existem quatro divisões principais entre os métodos da modalidade:

  • Nível básico
    • Fen jin (divisão muscular)
    • Tsuo kuo (deslocamento ósseo)
  • Nível avançado
    • Bih chi toan mie (impedimento do fluxo de ar ou de sangue)
    • Tien hsuen (pressão nos pontos de energia)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Associação MeiHua: Curso de Qin Na. Visitado em 09.abr.2012.
  2. Shaolin Qinna (em inglês). Visitado em 09.abr.2012.
  3. 擒 translation English | Chinese dictionary | Reverso Collins (em inglês). Visitado em 09.abr.2012.
  4. a b Jwing-Ming, Yang. Analysis of Shaolin Chin Na: instructors manual for all martial styles. Massachusetts: YMAA Publication Center, 2004. p. 3-9. ISBN 1594390002.
  5. Liu Jin, Sheng. Shaolin Chin Na Fa: art of seizing and grappling. Nova Iorque: lulu, 2007. p. 18. ISBN 1847534546.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre artes marciais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.