Quados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Os quados eram uma pequena tribo germânica da qual somente temos notícia através dos relatos romanos coevos. Não há, por exemplo, vestígios materiais que possam ser atribuídos aos quados ou que possam ser utilizados para distingui-los.

A história dos quados está, desde o seu inícios (ou seja, desde o início dos seus contactos com o mundo romano), intimamente ligada à dos marcomanos, uma tribo mais numerosa. Originários, provavelmente, de uma zona a norte do rio Meno, os quados e os marcomanos migraram para as actuais Morávia, Eslováquia ocidental e baixa Áustria, de onde desalojaram os povos celtas autóctones. Quer Estrabão quer Tácito referem brevemente aos quados.

Os confrontos com os romanos atingiram um ponto de viragem em 167 d.C., quando os lombardos e os óbios atravessaram o rio Danúbio, invadindo a província romana da Mésia. Esta primeira incursão (que foi repelida), não poderia ter acontecido sem a autorização dos quados, cujo território teve de atravessar, e marcou o início de uma longa série de tentativas de forçar a fronteira.

Pouco tempo depois os quados e os marcomanos, juntamente com outras tribos, derrotaram um destacamento romano e montaram cerco à cidade de Aquileia, perto da actual Trieste. Os romanos conseguiram, posteriormente, reequilibrar a situação e o imperador Marco Aurélio concluiu pazes com algumas das tribos das margens do Danúbio, incluindo os quados. A paz não foi duradoura e o imperador romano conseguiu empurrar os Quados para a Boémia; a campanha foi, no entanto, interrompida pela morte de Marco Aurélio em 180 d.C..

Investigações arqueológicas indicam que os rituais de cremação dos mortos das tribos suevas, entre as quais os Quados, se deixaram de verificar na Boémia por volta do ano 400 d.C.. Estes dados são compatíveis com a migração que a nação sueva levou a cabo e que só terminou nas margens do Atlântico, na Galécia e no Norte da Lusitânia. Junto com os quados e os búrios estabeleceram-se na Galécia romana (atual Galiza e norte de Portugal) como federados, onde Hermerico fundou o reino suevo da Galécia em 410 d.C.. Bracara Augusta, a atual cidade de Braga em Portugal, e antiga capital da Galécia romana, torna-se a capital do reino suevo.

Ícone de esboço Este artigo sobre História é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.