Qualquer Gato Vira-Lata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Qualquer Gato Vira-Lata
Pôster oficial do filme.
 Brasil
2011 •  cor •  95 min 
Direção Tomas Portella
Roteiro Daniela de Carlo
Baseado em Juca de Oliveira
Gênero Comédia
Música Pedro Bromfman
Cinematografia André Modugno
Edição Kiko Mascarenhas
Distribuição Downtown Filmes
Lançamento 10 de junho de 2011[1]
Idioma Português
Receita R$ 10.688.492[2]
Cronologia
Último
Último
Qualquer Gato Vira-Lata 2
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Qualquer Gato Vira-Lata é um filme de comédia romântica brasileiro de 2011, dirigido por Tomas Portella e adaptado por Daniela de Carlo, a partir de uma peça de teatro de mesmo nome criada por Juca de Oliveira. O filme é estrelado por Dudu Azevedo, Malvino Salvador e Cléo Pires como Marcelo, Conrado e Tati, respectivamente.

Ao ser adaptada para o cinema, teve o título encurtado e um aumento no número de personagens. A atriz Rita Guedes participou da peça como Tati, a protagonista, e no filme foi convidada para interpretar a ex-mulher de Conrado, Olga Portella, que não aparece na peça.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O filme acompanha um triângulo amoroso em que Tati, uma jovem abandonada pelo namorado Marcelo (um rapaz boa-vida, despreocupado e convencido), busca ajuda com Conrado, um cético professor de biologia que trabalha na faculdade onde estuda Tati. Assim, Conrado banca o terapeuta e sugere uma mudança de comportamento para que Tati possa reconquistar Marcelo.

Tudo vai bem até que o professor também se apaixona por ela, pior ainda pelo fato de Olga, a ex-mulher de Conrado e também sua vizinha, ainda estar apaixonada por ele. E a situação complica ainda mais quando, por um imprevisto, Marcelo e Conrado acabam se conhecendo e o rapaz já começa a desconfiar do professor, e ao sentir que está perdendo a então ex-namorada por definitivo, começa a ir atrás dela novamente. Cabe a Tati decidir o que será melhor para sua vida.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Sequência[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2012, foi confirmado que o filme ganhará uma continuação e que os protagonistas e o diretor retornará para seus papéis.[3] No final do mesmo ano, foi informado que o orçamento do filme custará 7,4 milhões de reais.[4] Em junho de 2013, foi informado que o filme já estava em pleno desenvolvimento, alguns atores além dos protagonistas já havia sido confirmados e que Qualquer Gato Vira-Lata 2 entrará em cartaz somente em 2014.[5] no segundo longa da franquia terá participações de Fábio Jr e Mel Maia

Referências

  1. Filme nacional "Qualquer Gato Vira-Lata" estreia nesta sexta G1 (10 de junho de 2011). Visitado em 27 de abril de 2015.
  2. Qualquer Gato Vira-Lata - Orçamento, receita, números do filme ePipoca. Visitado em 5 de Junho de 2013.
  3. Qualquer Gato Vira Lata terá continuação O Fuxico (2 de fevereiro de 2012). Visitado em 5 de Junho de 2013.
  4. Lauro Jardim. Cleo Pires na telona Veja. Visitado em 5 de Junho de 2013.
  5. Vem aí Qualquer Gato Vira-Lata 2 AdoroCinema (5 de Junho de 2013). Visitado em 5 de Junho de 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.