Quediva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Quediva (do persa "soberano"; خديوي em árabe) era o título de vice-rei conferido pelo Império Otomano ao paxá do Egito.

Mehmet Ali Paxá assumiu o título quando subiu ao poder em 1805. Como general do Império Otomano (com o título de paxá), expulsara do Egito as tropas de Napoleão Bonaparte e tornara-se um governante na prática independente, um monarca em tudo, menos no nome. Oficialmente, ele e seus sucessores ostentavam o título na qualidade de governadores otomanos, tributários do Egito e do Sudão, embora o controle otomano sobre o país fosse, naquela altura, praticamente inexistente. O Império somente veio a reconhecer a reivindicação da dinastia ao título em 1867.

Em 1914, o Quediva Abaz II foi deposto e seu tio, Hussein, tornou-se sultão, pondo fim ao título de quediva do Egito. Entretanto, a dinastia de Mehmet Ali continuou a reinar no país, através de Hussein, até 1952.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O termo foi incorporado à língua portuguesa a partir do francês khédive (1869), este do turco khidív. Na origem, segundo alguns, estaria a palavra persa khïdív ("rei", "príncipe"); segundo outros, um termo turco-persa que significaria "príncipe", "soberano"; ainda segundo outros, o turco qidív ("vice-rei"), do persa qudáy ("deus").1

Notas

  1. Dicionário Houaiss.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.