Quilograma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Medidas
Tempo
Segundo | Minuto | Hora | Dia | Semana | Quinzena | Mês | Bimestre | Trimestre | Semestre | Ano | Biênio | Triênio | Quadriênio | Quinquênio | Década | Século | Milênio
Comprimento
Yoctômetro | Zeptômetro | Attômetro | Femtômetro | Picômetro | Nanômetro | Micrômetro | Milímetro | Centímetro | Decímetro | Metro | Decâmetro | Hectômetro | Quilômetro | Megametro | Gigametro | Terametro | Petametro | Exametro | Zettametro | Yottametro

Outras:
Ångström

Massa
Grama | Decigrama | Centigrama | Quilograma | Megagrama | Gigagrama | Teragrama | Petagrama | Exagrama

O quilograma (símbolo no SI: kg) é a unidade básica de massa do Sistema Internacional de Unidades (SI) e é definido como sendo igual à massa do International Prototype Kilogram, IPK, (protótipo internacional do quilograma) que tem peso quase igual ao de um litro de água. Esse protótipo é composto por irídio e platina e encontra-se sob custódia do Escritório Internacional de Pesos e Medidas (BIPM) em Sèvres, França desde 1889, quando foi sancionado pela Conferência Geral de Pesos e Medidas (CGPM).

A massa de um corpo também é usada para determinar o seu peso. No uso cotidiano, a massa de objetos variados é dada em quilogramas e a partir dela pode-se chegar ao seu peso, que é a medida da gravidade em ação em uma determinada massa. No SI, o peso não é dado em quilograma-força (kgf), sendo essa unidade substituída pelo newton (N). Tanto o quilograma-força quando o newton são unidades derivadas do quilograma.

Antes de adotar-se o IPK, o quilograma era definido como sendo a massa de um litro d'água desmineralizada a quinze graus Celsius. Abandonou-se esse método, porém, após perceber-se que a massa da mesma quantidade de água variava de acordo com a sua pureza.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra quilograma é derivada do grego χίλιοι (chílioi), que significa "mil" e γράμμα (grámma), que significa "peso pequeno"[1] [2] .

História[editar | editar código-fonte]

Em 7 de abril de 1795, na França, o grama foi definido como sendo igual à massa de um volume de água igual a um cubo com aresta da centésima parte do metro.[3] O conceito de definir uma unidade de massa com base num determinado volume d'água havia surgido com o filósofo inglês John Wilkins em 1668.[4] [5]

Como as massas utilizadas pelo homem no seu cotidiano são relativamente maiores do que o grama, e uma vez que um padrão feito com base na água, que não apresenta a mesma densidade em todas as suas amostras, seria incômodo, a regulamentação comercial exigiu um método de definição de massa que mantivesse sua estabilidade e que pudesse ser reproduzido. Assim, o padrão de massa provisório foi feito com um artefato metálico mil vezes mais massivo que o grama, o quilograma.

Ao mesmo tempo, um projeto para determinar com precisão o quilograma foi encomendado.[3] Embora a definição inicial tivesse decretado que a água deveria estar a 0ºC, como sendo o seu ponto em que ela está mais estável, o químico francês Louis Lefèvre-Gineau e o naturalista italiano Giovanni Fabbroni, após vários anos de pesquisa, propuseram, em 1799, a redefinição do padrão para a temperatura de 4ºC, considerada a mais estável por ser o momento em que a água atinge a sua densidade máxima.[6] [7] Nesse mesmo ano, um protótipo de platina foi fabricado com o objetivo de ter a mesma massa de um decímetro cúbico de água a 4ºC. Ele foi formalmente aceito em 10 de dezembro de 1799 e este padrão perdurou por mais noventa anos.

Natureza da massa[editar | editar código-fonte]

Um balanço comum pode demonstrar a relação entre força, massa e aceleração

A massa é constantemente relacionada com o peso, embora nem sempre essa associação seja verdadeira. Fisicamente falando, massa é uma propriedade inercial, isso é, a tendência que um corpo tem de permanecer em seu estado inicial de movimento, a menos que influenciado por uma força. De acordo com Isaac Newton, através de suas leis, pode-se obter uma relação de força, massa e aceleração com a fórmula F = m*a (sendo F a força; m , a massa; a, a aceleração). Sendo assim, um corpo de massa 1kg, tendo aplicada sobre ele uma força de 1N, tem aceleração igual a 1m/s². Essa também é a equação utilizada para determinar o peso de um objeto de acordo com a sua massa e com a gravidade local. Para isso, a equação F = m*a é utilizada como P = m*g (sendo P o peso; m, a massa; g a aceleração da gravidade). Em ambos os casos, a massa permaneceu a mesma. Pode-se assim concluir que a massa de um corpo não varia dependendo de onde ele se encontra, o que varia é o peso do corpo em função da aceleração a que ele é submetido.

Para demonstrar a relação entre força, massa e aceleração, pode-se usar o exemplo de um balanço. As correntes do balanço seguram todo o peso da criança, se alguém a segurar por trás do balanço, ocorre uma variação abrupta de aceleração porque existe uma ação contra a sua inércia, que surge puramente da massa da criança e não do seu peso

Importância do quilograma[editar | editar código-fonte]

A estabilidade do protótipo internacional do quilograma, o IPK, é de suma importância, haja vista que a unidade quilograma sustenta grande parte de derivadas no SI. Por exemplo, o newton é definido como a força necessária para causar aceleração a um quilograma a um metro por segundo ao quadrado. Caso a massa do IPK mude, também mudará o newton e todas as outras unidades que derivem do quilograma. O pascal, unidade de pressão do SI, é derivado do newton, que por sua vez é derivado do quilograma; sendo assim, o pascal é definido indiretamente pelo quilograma. Essa cadeia de dependências se segue por muitas outras unidades. Por exemplo, o joule, unidade de trabalho, é definido pela energia gasta pela ação de uma força ao longo de um deslocamento. A equação abaixo mostra como a unidade joule é dependente da unidade quilograma:

\, 1\, \mathrm{J}=1\, \mathrm{kg} \cdot \frac{\mathrm{m}^{2}}{\mathrm{s}^{2}}

Preocupando-se com a estabilidade do IPK e, portanto, com todas as unidades dele derivadas, foram sugeridos novos modelos para definir o quilograma.

Propostas para alteração do padrão[editar | editar código-fonte]

Estuda-se há algum tempo mudar a definição de quilograma para uma que seja baseada em alguma constante física, como se faz com as outras unidades do SI. Hoje, o quilograma é a única unidade do sistema que é definida por um artefato.

  • Constante de Planck: O quilograma é a massa de repouso cuja energia corresponde à de exatos 299792458²/662606896)×10-41 Hz
Essa definição implicaria o valor exato para a Constante de Planck de h = 6,626 068 96×10-34 J s. Esse valor é consistente com o valor de 2006 da CODATA de 6,626 068 96×10-34 ± 0,000 000 33×10-34 J s.
Um dos mestres do Australian Centre for Precision Optics segurando uma esfera de silício de um quilograma para o projeto Avogadro
  • Constante de Avogadro: O quilograma é a massa de exatos (6,022 141 79×1023/0,012) átomos de carbono em repouso e em seu estado-padrão.
Essa definição implicaria o valor exato para a constante de Avogadro de NA = 6,022 141 79×1023 entidades elementares por mol, consequentemente dando a definição simples e concisa de mol. Esse valor é consistente com o valor de 2006 da CODATA, de 6,022 141 79×1023 ± 0,000 000 30×1023 mol-1. Com base nessa definição, foi feito o projeto Avogadro.
  • Massa do elétron: O quilograma é a unidade básica de massa, igual a 1 097 769 238 499 215 084 016 780 676 223 unidades de massa do elétron.
Essa definição implicaria o valor exato para a massa do eléctron de me = 9,1093826×10-31 kg. Esse valor é consistente com o valor de 2002 da CODATA, de 9,1093826×10-31 ± 0,0000016×10-31 kg.
  • Carga elementar: O quilograma é a massa que será acelerada precisamente a 2×10-7 m/s² quando submetida a uma força por metro entre dois fios condutores retilínios, paralelos, de comprimento infinito e de secções retas desprezíveis, no vácuo, distos um metro, por onde passa uma corrente constante de exatos 6 241 509 479 607 717 888 cargas elementares por segundo.
Essa definição implicaria o valor exato para a carga elementar (carga do eléctron) de e = 1,602 176 487×10-19 C. Implica também a definição exata de Coulomb como sendo exatas 6 241 509 479 607 717 888 unidades elementares de carga , e de Ampère como sendo exatamente a corrente elétrica de 6 241 509 479 607 717 888 unidades elementares de carga por segundo. Esse valor é consistente com o valor de 2002 da CODATA, de 1,602 176 487×10-19 ± 0,000 000 40×10-19 C.

Em janeiro de 2011, cientistas se reuniram para discutir a mudança ou não da definição do quilograma. É notória a diminuição da massa do cilindro de platina-irídio, calculada em cerca de cinquenta milionésimos de grama, ocasionada, provavelmente, pela perda de algum gás incorporado quando da fabricação do mesmo[8]

Múltiplos e submúltiplos[editar | editar código-fonte]

Múltiplo Nome Símbolo Múltiplo Nome Símbolo
100 grama g
101 decagrama dag 10–1 decigrama dg
102 hectograma hg 10–2 centigrama cg
103 quilograma kg 10–3 miligrama mg
106 megagrama Mg 10–6 micrograma µg
109 gigagrama Gg 10–9 nanograma ng
1012 teragrama Tg 10–12 picograma pg
1015 petagrama Pg 10–15 femtograma fg
1018 exagrama Eg 10–18 attograma ag
1021 zettagrama Zg 10–21 zeptograma zg
1024 yottagrama Yg 10–24 yoctograma yg

A tonelada também é usada como um múltiplo do quilograma e equivale a mil quilogramas.

Nota linguística[editar | editar código-fonte]

As grafias quilo, kilo e kilograma são comuns, mas somente quilograma é a correta, incorporada aos dicionários[9] . O quilograma é informalmente abreviado por quilo, mas uma ordem de grandeza não deveria ter plural por ela não ser uma unidade de medida propriamente dita.

Outro erro muito comum é abreviar quilograma com a primeira letra maiúscula, resultando em Kg, símbolo que no SI representa kelvin-grama. O símbolo de quilograma é kg.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. Dicionário de inglês de Oxford. Origem da palavra quilograma (em inglês) Oxford University Press. Visitado em 21 de dezembro de 2011.
  2. Fowler, HW; Fowler, FG (1964). The Concise Oxford Dictionary. Oxford: The Clarendon Press.
  3. a b Decree on weights and measures (7 April 1795). "'Gramme, le poids absolu d'un volume d'eau pure égal au cube de la centième partie du mètre , et à la température de la glace fondante."
  4. An Essay towards a Real Character and a Philosophical Language (Reproduction) (PDF). Visitado em 2011-04-03.
  5. An Essay towards a Real Character and a Philosophical Language (Transcription) (PDF). Visitado em 2011-04-03.
  6. http://histoire.du.metre.free.fr/fr/index.htm
  7. ZUPKO, Ronald Edward (1990). Revolution in Measurement: Western European Weights and Measures Since the Age of Science. DIANE Publishing.
  8. Cientistas discutem se medida do quilo deve ser redefinida. Site do Jornal Folha de São Paulo. Página visitada em 24-01-2011.
  9. BUENO, Silveira.Minidicionário da Língua Portuguesa. 2a. ed. São Paulo: FTD, 2007