Quino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Quino
Nome completo Joaquín Salvador Lavado Tejón
Nascimento 17 de Julho de 1932 (82 anos)
 Argentina, San José, Guaymallén, Mendoza
Nacionalidade  Argentina e Flag of Spain.svg Espanha (cidadania)
Ocupação Cartunista
Principais trabalhos Mafalda
Prêmios B'nai B'rith (1998)
Página oficial
Sítio Oficial

Joaquín Salvador Lavado Tejón (Guaymallén, 17 de julho de 1932) mais conhecido como Quino, é um pensador, historiador gráfico e criador de banda desenhada.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de imigrantes espanhóis da Andaluzia, nasceu em 1932 na província de Mendoza na Argentina. Desde cedo é chamado pelos familiares pelo apelido com que é conhecido - Quino - para diferenciá-lo do tio homônimo, desenhista, com quem já aos 3 anos de idade aprende o gosto pela arte.

Em 1945 perde a mãe e em 1948 o pai. No ano seguinte abandona a Faculdade de Belas Artes com a intenção de se tornar um autor de banda desenhada, e logo vendeu o seu primeiro desenho animado, um anúncio de uma loja de seda. Tentou encontrar trabalho no editorial Buenos Aires, mas não consegue. Depois de fazer o serviço militar obrigatório em 1954, estabeleceu-se em Buenos Aires em condições precárias. Terá, por fim, publicado a sua primeira página no humor semanal Isto é, de logo se seguiram outras editoras: Leoplán' TV Guide, Ver e Ler Damas y Damitas', Usted, Panorama, Adam, Atlântida, Che,no jornal Democracia, etc . Em 1954 começou a publicar regularmente no Rico Tipo e no Tia Vicenta e Dr. Merengue. Logo depois começa a tirar fotos de publicidade. Publicou as suas coleções primeiro mo livro "Mundo Quino" em 1963, e logo surgiram algumas encomendas para algumas páginas numa campanha de publicidade encoberta por Mansfield, uma empresa de electrodomésticos. A campanha não chegou a ser realizada pelo que a primeira história de Mafalda foi publicada no Leoplán, e pouco depois passou a ser publicado regularmente no semanário Front Page já que o editor do semanário era um amigo de Quino . Entre 1965 e 1967 é publicado no jornal (entretanto desaparecido) O Mundo, logo publicou as primeiras colecções de livros, e começa a ser lançado em Itália, Espanha (onde a censura força-o a rotulá-la como "conteúdo para adultos"), Portugal e outros países. Depois de por um fim à Mafalda a 25 de junho de 1973, segundo o própio por as suas ideias estarem a esgotar-se, Quino muda-se para Milão, onde continuou a fazer as páginas de humor que lhe caracterizam. Em 2008, a cidade de Buenos Aires imortaliza-lo. Por iniciativa do Museu de Desenho e Ilustração e com curadoria de Mercedes Casanegra, a Buenos Aires empresa Subway realiza dois murais da sua personagem Mafalda, na estação Peru, ou seja na histórica Plaza de Mayo. Isto irá assegurar o conhecimento do seu trabalho para as gerações futuras. Em 2009, com uma peça original de seu caráter Mafalda, realizado para o jornal El Mundo, na exposição "Bicentenário: 200 Anos de Humor Gráfico" que o Museu de Desenho e Ilustração, realizada em Eduardo Sivori Museu de Buenos Aires, homenageando os mais importantes criadores de Humor Gráfico na Argentina através de sua história.

Uma menina questionando o mundo[editar | editar código-fonte]

A obra mais famosa de Quino é a tira cômica Mafalda, publicada entre os anos 1964 e 1973[1] . Editada em tiras nos jornais, Mafalda questionava todos os problemas políticos, de gênero, e até científicos que afligiam sua alma infantil e, ao mesmo tempo, refletia o conflito que as pessoas da época enfrentavam, sobretudo com a progressiva mudança dos costumes e a já incipiente introdução da tecnologia no cotidiano.

Um bom exemplo é a tira onde Mafalda ouve no rádio:

"O Papa fez um chamado à paz"

E, com sua ingenuidade infantil, responde ao aparelho:

"E deu ocupado como sempre, não é?"

Apesar de ter sido interrompida ainda no começo dos anos 1970, Mafalda possui uma legião de fãs, e o trabalho de Quino ainda tem reconhecimento internacional, como um dos maiores cartunistas do mundo. Quino criou vários personagens, mas a personagem mais famosa é Mafalda, uma menina de quase 8 anos que odeia sopa.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 1932: Nascido em San Jose, Mendoza, Argentina, em 17 de Julho. O mais novo dos três irmãos.
  • 1935: Quino descobre o que é a paixão de sua vida quando seu tio Joaquín (artista comercial) entretém uma noite com seus desenhos.
  • 1945: A morte de sua mãe. Nesse mesmo ano, faz parte da [Escola [de Belas Artes de Mendoza]].
  • 1948: A morte de seu pai. Deixe a Escola de Belas Artes, porque ele quer se dedicar ao desenho humorístico.
  • 1950: Desenha o seu primeiro desenho animado para a publicidade.
  • 1951: Sofre sua primeira derrota para ir para Buenos Aires e não vender suas piadas em revistas e jornais.
  • 1954 Conseguir finalmente aceitar que a primeira página de piadas sem palavras no Es Este semanal
  • 1955 - 1959: Contribuir páginas de humor em inúmeras publicações.* 1960: Já ter um posicionamento bom trabalho como colaborador em diversas publicações casado Alicia Colombo, o seu parceiro para a vida.
  • 1962: Faz sua primeira exposição em uma biblioteca de Londres.
  • 1963: ano crítico na vida do autor. Ele publicou seu primeiro livro coleção de desenhos animados, "Mundo Quino", e fazer a Mafalda quadrinhos para uma agência de publicidade que o utiliza.
  • 1964: A 29 de setembro Mafalda vê a luz no semanário Primera Plana.
  • 1965: O Diário de O Mundo começa a publicar a tira de Mafalda.
  • 1966: primeira compilação de tiras de Mafalda em um livro. A edição se esgotou em dois dias.
  • 1967: No final do ano é interrompido Mafalda pelo desaparecimento do mundo. Quino, entretanto continua a desenhos animados página que vem fazendo há anos e continuaremos com ele até hoje.
  • 1968: É retomado publicação no semanário Sete Dias. Mafalda, depois de ser publicado em alguns outros países da América Latina, apareceu pela primeira vez na Europa em uma coleção de textos e humor, realizada em Itália.
  • 1969: "Mafalda o rebelde", o primeiro livro dedicado ao Europeu Mafalda. Este livro publicado na Itália introduziu o Umberto Eco.
  • 1970: A partir deste ano Editorial Lumen começa a editar os livros de Mafalda, que permanecem no mercado até hoje.
  • 1971: O semanário El Triunfo, Madrid, começa a publicar seus cartuns. Mafalda se estende por toda a Europa.
  • 1972: Depois de ter assinado contratos de merchandising para evitar a especulação com o personagem, Quino assinar um contrato para uma série de animação dirigido por Mafalda Catu. Ele também publicou "Eu não gritar:" Editorial Siglo XXI Argentina. Sucesso em todo o mundo transborda Mafalda Quino.
  • 1973: Estamos começando a divulgar as caricaturas. Em 25 de julho Quino entregues nos últimos quatro tiras e faz Mafalda e seus amigos disparou. Ele publicou seu terceiro livro sem Mafalda, "Se eu fosse você ...", Editorial Siglo XXI Argentina.
  • 1974: Publicado em "Dez anos Mafalda".
  • 1976: move Quino para Milão.
  • 1977: ". Declaração dos Direitos da Criança" Executa a pedido de UNICEF
  • 1978: Quino recebe o Troféu Palma de Ouro Salão Internacional de Humor Bordighera.
  • 1979: Lançado por Quino, Glénat começar a editar tiras coloridas de Mafalda. Publica "As pessoas no seu lugar."
  • 1981: Em Buenos Aires abre uma característica Mafalda, a montagem de curtas feitos para a televisão, também foi o lançamento dos primeiros livros no Brasil.
  • 1982:. O Exposição Internacional de Humor de Montreal nomeou-o Cartunista do Ano' Publica "Nem a arte nem parte."
  • 1983: Executa desenhos de Mafalda para uma campanha de dentistas argentinos sobre a higiene oral. Publica "Deixe-me inventar".
  • 1985: Desenhos para propaganda de alguns programas de nutrição, saúde e cultura do governo argentino. Publica "Quinoterapia". Primeiros curtas-metragens produzidas e realizadas em Cuba em páginas de humor de Quino "Quinoscopio".
  • 1987: Publicado em "Sim, querida ...".
  • 1988: Sua cidade natal, Mendoza. distingue o título de Cidadão Ilustre Mestre da Sensibilidade, Humor e Nacional de Justiça e projeção internacional. Desenhe um cartaz para a chancelaria argentina comemora Direitos Humanos e os cinco anos de democracia na Argentina.
  • 1989: No 25 º aniversário da Mafalda é publicada "Mafalda inédita." Publicação do "poderoso, arrogante e impotente."
  • 1991: Publicados "As pessoas nascem".
  • 1992: Madrid é organizado na exposição "O Mundo de Mafalda". Publica "Tudo Mafalda".
  • 1993: 1 edição do "All Mafalda", Editorial de la Flor. D.G. Productions, Inc. em colaboração com a TVE produzidos 104 episódios de desenho animado Mafalda feitas por John Register em ICAIC, curtas-metragens que não tenham sido comercializadas na televisão na Argentina. Publica "Eu não estava!", Editorial de la Flor.
  • 1994: Milan são realizadas nos trinta anos de Mafalda com uma reunião em Circolo della Stampa, na presença de Umberto Eco, Marcello Bernardi Fulvia Serra (diretor Linus revista) e Roman Gubern (presidente do Instituto Cervantes, em Roma).
  • 1995: A partir da publicação de páginas de Quino humor no País Semanal, o jornal de domingo o país de Madrid.
  • 1996: Publicado na Argentina "Cuentecillos e outros distúrbios" por George Timossi, ilustrado por Filipe feita por Quino. Publicado "Quão ruim é o povo".
  • 1997: Obtenha um prêmio de Placa de Prata curioso, dado pela Madrid Associação dos Empregadores de restaurantes e cafés, para ajudar com demonstrações gráficas se espalhar para o prestígio e cozinha. Também recebeu o prêmio da Associação dos Ilustradores de Madrid.
  • 1998: primeiro livro Ediciones de la Flor reissued de Quino, "Mundo Quino", com um prefácio do autor. Distingue-se pela Ministério da Cultura, Governo da Cidade de Buenos Aires como' Master of Arts em reconhecimento do seu trabalho. Recebe B'nai B'rith Direitos Humanos, organização que concedido anualmente a pessoas que se destacaram na promoção e proteção dos direitos humanos. Publique seu website.
  • 1999: ". Eu não gritar" Em abril, Ediciones de la Flor reeditado o livro O Biblioteca Internacional Quino convidados a San José Costa Rica, sob os auspícios do jornal The Nation.
  • 2000: O Livro Instituto Cubano apresenta a exposição "O Mundo de Quino" em Centro Wilfredo Lam, local da Nona Feira Internacional do Livro de Havana . Litexa Boliviana SA Quino convidados a La Paz Bolívia, por ocasião da Feira do Livro, promovido pela Lloyd Aereo Boliviano ea cidade de La Paz. Desta vez, a relação estabelecida com o público levou-o a se comprometer a frequentar a Feira do Livro.
  • 2001: Durante Julho e Agosto faz uma exposição itinerante de humor na Bolívia. Por sua vez, em Grécia, por ocasião do quinto Humor Internacional, Quino mostra uma amostra de seus desenhos e algumas tiras de Mafalda, sob os auspícios do Ministério da Cultura da Grécia e da [ [Unesco]]. Em outubro, ele foi convidado para a International Comic Feira de Gijón. Por ocasião do Humor Gráfico exposição latino-americana, a Universidade de Alcalá de Henares é nomeado professor honorário de Humor. Em novembro, Glénat Edições e Hachette Canadá convidam Quino para 23 ° Salon du Livre de Montreal. Em dezembro, Quino foi premiado com o prestígio Humor Gráfico Quevedos, pelos Ministérios da Educação e da Cultura e dos Negócios Estrangeiros Espanha.
  • 2002: Em setembro, ele foi convidado para expor suas obras de humor e Mafalda no "Salão Internacional 21Ème Caricatura, du Dessin de Presse et d'Humour", Saint Just-lo Marte. Em novembro, o IILA (Instituto Ítalo-Latino Americano) e Embaixada da Argentina organizou Roma a exposição Quino "Il Padre di Mafalda tem altri figli" na Scuderie del Palazzo Santacroce.
  • 2003: Faça uma exposição de seu trabalho e uma palestra na cidade de White Bay, Argentina. Abre o Feira Internacional do Livro de Guayaquil Equador. Em setembro, ele realizou uma exposição de seu trabalho em Biarritz, França para marcar o festival de CITA 2003. A Universidade de Guadalajara dá o prêmio-homenagem "La Catrina" e realizou uma exposição de seu trabalho.
  • 2004: Abre em Milão a exposição "Viajar com Mafalda" comemorando os 40 anos desde a primeira publicação da personagem na Argentina. Em Julho, Ediciones de la Flor publica seu novo livro, "O que este unpresentable". Em agosto, em Buenos Aires abriu a exposição "Quino, 50 anos", celebrando 50 anos de publicação de seus primeiros desenhos de humor na revista deste Es A exposição, em seguida, mudou-se para Córdoba e Mar del Plata. Em novembro, Éditions Glénat (França) organizou em Paris uma homenagem a Quino acompanhada por uma exposição de desenhos de colegas franceses Mafalda entreter, e lançar o livro "A unpresentable presente." Em 17 de novembro é declarado Cidadão Ilustre de Buenos Aires.
  • 2005: A exposição "Viajar com Mafalda" é apresentado em Roma, Nápoles Zagarolo (Roma), Voghera (Pavia), Jesolo ( Veneza), Bolonha e Barcelona. A exposição "50 Anos Quino" A Argentina continua sua turnê se apresentando em Rosário Casilda, Mendoza San Rafael.
  • 2005: Ganhou um Prince Claus Award
  • 2007 - Presente: Retire do desenho, embora continue a publicar suas tiras.* 2008: Apresentado na parede de um metro, tiras de Mafalda.
  • 2009: Deixe tiras publicadas no Live Journal, depois de escrever uma carta anunciando que ele deixou a revista.
  • 2009: uma peça original com Mafalda feito para o jornal El Mundo na exposição "Bicentenário: 200 Anos de Humor Gráfico" que o Museu de Desenho e Ilustração feito no Museu Eduardo Sivori de Buenos Aires, homenageando os mais importantes criadores nos quadrinhos na Argentina através de sua história.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências