Rádio AM

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mudanças na ionosfera após o pôr-do-sol podem aumentar significativamente o alcance das estações, se nenhuma medida for tomada por quem transmite para impedir isto.

Rádio AM é o processo de transmissão através do rádio usando Modulação em Amplitude. É transmitido em várias bandas de freqüência. Foi por oitenta anos o principal método de transmissão via rádio. Caracterizado pelo longo alcance dos sinais, a freqüência AM está sujeita a interferências de outras fontes eletromagnéticas.[1] [2] [3] [4]

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras transmissões utilizando a freqüência iniciaram-se em 1906 por Reginald Fessenden. Até a I Guerra Mundial era utilizada para transmissão de músicas e recados diversos. A situação modificou-se com o surgimento das rádios comerciais, que deram início a era de ouro do rádio, que foi da década de 20 até os anos 50.

No Brasil as primeiras transmissões AM surgiram com a emissora de Roquette-Pinto, que em 1923 fundou a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. Em 1936 a rádio transformou-se em Rádio Ministério da Educação, que propaga o ensino à distância. Hoje, essa emissora se chama MEC AM, e pertence à EBC (antiga Radiobrás)

As frequências AM foram fundamentais na vida do brasileiro em meados do século XX. As rádios de longo alcance, como a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, a Super Rádio Tupi e a Rádio Record, que atingiam quase 100% do território nacional ajudaram a propagar os times cariocas e paulistas de futebol por todo o Brasil.

Recentemente, diversas rádios AM passaram a retransmitir seu sinal em FM (caso da Rádio Guarani FM em Minas Gerais, da Rádio Bandeirantes em São Paulo e da Rádio Clube FM de Brasília.

Migração de rádio do AM para o FM no Brasil[editar | editar código-fonte]

Com o problema de interferências[5] nos grandes centros urbanos e a produção cada vez menor de aparelhos com recepção de sinal AM, em 2013 o governo federal começou a estudar a possibilidade de migração dessas estações para os atuais canais 5 e 6 de TV analógica, isso será possível assim que o sinal de televisão digital for implantado em todo o território nacional até 2016, com isso as estações de rádio passarão a ocupar a faixa de frequência adjacente à das rádios FM. Projetos similares já deram certo em países como os Estados Unidos e México. [6]


Em 7 de novembro de 2013, foi assinado o decreto que permite a migração às emissoras de rádio que operam na faixa AM migrarem para a faixa FM.[7]

A mudança começa no início de 2014.[8]

Bandas de frequências[editar | editar código-fonte]

  • Ondas Curtas - 2.3 MHz–26.1 MHz, divididas em quinze bandas, apresentam longo alcance, porém baixa qualidade de sinal.
  • Ondas Médias - 525 kHz–1,705 kHz, possuindo médio alcance.[9]
  • Ondas Longas - 153 kHz–279 kHz, não disponível no hemisfério oeste, é usado para transmissões na Europa, África, Oceania e parte da Ásia.
  • Ondas Tropicais - 2300 kHz-5060 KHz de 120-90-75-60 metros, utilizada entre os Trópicos, esta banda possui longo alcance, razoável qualidade de sinal.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre telecomunicações é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.