Racing Club de Avellaneda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Racing
Racing Club (2014).svg
Nome Racing Club de Avellaneda
Alcunhas Academia, Acade
Mascote Acadêmico
Fundação 25 de março de 1903 (112 anos)
Estádio Juan Domingo Perón
Capacidade 51.389 pessoas
Presidente Espanha Víctor Blanco
Treinador Argentina Diego Cocca
Patrocinador Argentina Banco Hipotecario
Material esportivo Brasil Topper
Competição Argentina Campeonato Argentino
Argentina Torneio de Verão
Argentina Copa Argentina
Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Libertadores da América
Website http://www.racingclub.com.ar/
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

O Racing Club de Avellaneda, mais conhecido como Racing Club ou simplesmente Racing, é um dos clubes de futebol mais tradicionais da Argentina e da América do Sul.

Tem uma das cinco maiores torcidas do país e, juntamente com Boca Juniors, River Plate, San Lorenzo de Almagro e Independiente (seu rival mais tradicional, com quem faz o famoso Clássico da Avellaneda), é um dos "cinco grandes" do futebol argentino.

Sua sede fica na cidade de Avellaneda, na Grande Buenos Aires, sendo o seu maior rival o Independiente, clube da mesma cidade.

História[editar | editar código-fonte]

Fundado em 25 de março de 1903, ganhou oito campeonatos locais no profissionalismo (1949, 1950, 1951, 1958, 1961, 1966, 2001 e 2014) e quatro campeonatos internacionais (Libertadores de 1967, Copa Intercontinental de 1967, Supercopa Libertadores de 1988 e Supercopa Interamericana de 1988).

Durante a época de amadorismo, o Racing foi o time que mais ganhou Campeonatos Argentinos, nove no total (1913, 1914, 1915, 1916, 1917, 1918, 1919, 1921 e 1925), além de outras taças, tanto locais, quanto internacionais.

Em 1950 o novo estádio foi inaugurado, e nomeado em homenagem ao então presidente Juan Domingo Perón, que era torcedor do clube. O estádio recebeu o apelido de "Cilindro de Avellaneda", por conta de seu formato, tendo capacidade para 64.161 espectadores.

O Racing foi o primeiro time de futebol da Argentina a ganhar a Copa Intercontinental de 1967 (e o primeiro a ganhar a Supercopa Libertadores de 1988), e o primeiro time a ganhar três campeonatos locais seguidos.

Em 1983 La Academia foi rebaixado para a divisão Primera B Nacional, ficando lá até 1985.

Em 1999 o Racing Club abriu falência, mas seus torcedores ajudaram o time a se recuperar. É o primeiro clube argentino a ser administrado por uma empresa: Blanquiceleste S.A., dirigida por Fernando Martín. Em 2001 o Racing ganhou o campeonato Apertura, quebrando um jejum de 35 anos sem títulos nacionais.

Depois desses grandes feitos pelo Racing acabou por descer de divisão conseguindo a subida só na época seguinte e voltando a alcançar um lugar confortável na tabela de classificação.

Em junho de 2008, devido a seus poucos pontos nos últimos 3 anos, quase foi rebaixado em partidas de ida e volta contra Belgrano de Cordoba, conseguindo um empate em Córdoba (1 a 1) e ganhando de 1 a 0 em Avellaneda para seguir na série principal na temporada 2008/2009.

Em dezembro de 2008 a empresa Blanquiceleste S.A. parou de administrar o Racing e Rodolfo Molina se tornou o novo presidente do clube.

Títulos[editar | editar código-fonte]

INTERCONTINENTAIS
Competição Títulos Temporadas
Copa Intercontinental.svg Copa Intercontinental 1 1967
CONTINENTAIS
Competição Títulos Temporadas
Copa libertadores.png Copa Libertadores da América 1 1967
Trofeo-mini-supercopa-sudamericana.png Supercopa Libertadores 1 1988
Supercopa interamericana.JPG Supercopa Interamericana 1 1988
Trofeo Copa de Honor Cousenier.png Copa de Honor Cousenier 1 1913
Copa Aldao trophy.jpg Copa Aldao 2 1917 e 1918
NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Flag of Argentina.svg Trofeo-mini-copa-alumni.png Campeonato Argentino 17 9 (1913, 1914, 1915, 1916, 1917, 1918, 1919, 1921 e 1925) Era Amadora
6 (1949, 1950, 1951, 1958, 1961 e 1966)
1 (2001) Apertura
1 (2014) Transición
Flag of Argentina.svg Trofeo copa argentina.png Copa Argentina 12

4 (1912, 1913, 1915 e 1917) Copa de Honor
5 (1913, 1914, 1916, 1917 e 1918) Copa Dr. Carlos Ibarguren
1 (1932) Copa Beccar Varela
1 (1933) Copa de Competencia
1 (1945) Copa de Competencia Británica George “VI”

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado em 18 de fevereiro de 2015.


Goleiros
Jogador
1 Argentina Sebastián Saja
12 Argentina Juan Musso
21 Argentina Nelson Ibáñez
' Argentina Gastón Gómez
Defensores
Jogador Pos.
2 Argentina Nicolás Sánchez Z
6 Argentina Luciano Lollo Z
23 Argentina Yonathan Cabral Z
27 Argentina Gastón Campi Z
30 Argentina Pablo Alvarado Z
20 Argentina Iván Pillud LD
24 Argentina Gastón Díaz LD
43 Argentina Mauro Bazán LD
3 Argentina Leandro Grimi LE
25 Argentina Germán Voboril LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
15 Argentina Ezequiel Videla V
18 Argentina Francisco Cerro V
19 Argentina Nelson Acevedo V
28 Argentina Mariano Bareiro Lesionado V
8 Uruguai Washington Camacho M
10 Paraguai Óscar Romero M
11 Argentina Luciano Aued M
14 Argentina Nicolás Oróz M
17 Argentina Marcos Acuña M
' Argentina Fernando Valenzuela M
' Argentina Santiago Nagüel M
Atacantes
Jogador
7 Argentina Gustavo Bou
9 Argentina Brian Fernández
16 Argentina Facundo Castillón
22 Argentina Diego Milito Capitão
29 Argentina Facundo Castro
' Uruguai Carlos Núñez
Legenda
  • Capitão: Capitão
  • PenalizadoExpulso: Jogador suspenso
  • Lesionado: Jogador lesionado

Comissão técnica[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado em 18 de fevereiro de 2015.
Comissão técnica
Nome Função
Argentina Diego Cocca Treinador
Argentina Jorge Montesino Assistente
Argentina Mauro Gerk Assistente
Argentina Javier Bustos Preparador físico
Comissão técnica
Nome Função
Argentina Federico Trídico Preparador físico
Argentina Diego Dabove Treinador de goleiros
Argentina Javier Swiatlo Médico
Argentina Alejandro Dardano Médico


Transferências[editar | editar código-fonte]

Legenda

Jogadores destacados[editar | editar código-fonte]

Esta é uma lista de jogadores de destaque que já passaram pelo Racing:

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Esses são os principais treinadores:

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes atuais[editar | editar código-fonte]

  • 1º - Camisa listrada em azul-celeste e branco, calção e meias pretas;
  • 2º - Camisa azul, calção e meias azuis;
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2012
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Torcida[editar | editar código-fonte]

A torcida.

O Racing tem uma das cinco maiores torcidas da Argentina, entre a terceira e a quinta dependendo da pesquisa, na maioria das vezes a quarta. Sua "barra brava" principal é a La Guardia Imperial, mas também há outras barras como La 95 e os Racing Stones.

O Racing Club tem cerca de 3.500.000 torcedores, ficando atrás de Boca Juniors, River Plate (estes dois com mais de 10.000.000 de torcedores) e na mesma faixa de número de torcedores de Independiente e San Lorenzo.

A torcida do Racing é conhecida como a mais fiel torcida do futebol Argentino e certamente uma das mais fiéis do mundo. Nos 2 anos em que o clube esteve na Série B, sua torcida obteve todos os recordes de públicos, considerando todas as divisões nacionais argentinas.

Durante todos os anos em que o Racing ficou em um longo jejum de títulos, a torcida do Racing seguiu fiel, culminando com os resultados atuais de estar atrás apenas de Boca Juniors, River Plate e Independiente em número total de torcedores.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Seu maior e mais tradicional rival é o Independiente, cuja sede fica na mesma cidade, em Avellaneda, e seus estádios ficam separados por poucos metros. Outros rivais da Academia são o San Lorenzo de Almagro, River Plate e o Boca Juniors, os três últimos da cidade de Buenos Aires. Essas rivalidades são explicadas por eles serem considerados grandes clubes do futebol argentino, assim como o Racing e o Independiente, fechando assim o grupo dos cinco grandes do futebol argentino.

Amizade[editar | editar código-fonte]

O Racing possui uma grande amizade com o Gimnasia La Plata, sendo que esta chegou a ser denominada pela imprensa argentina e pelos torcedores dos dois clubes como A Amizade do Século.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]