Racismo em Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em Portugal, o racismo configura um crime conforme o código penal português, sendo uma circunstância de agravo importante como móbil de um crime.1 No entanto, poucos são os relatórios e as estatísticas acerca da situação em Portugal no que concerne à discriminação racial, apesar de haver registo de alguns casos de violência na história recente do país.2

A população portuguesa, embora bastante homogénea, é também composta por algumas minorias, tais como as minorias Africana e Rom. Devido ao passado expansivo de Portugal, há muito que o país lida com diferenças culturais, étnicas e religiosas, entre outras. Nas colónias portuguesas não vigoravam políticas oficiais de segregação ou de não-miscigenação, o que indica alguma tolerância a diferentes realidades.

Desde a década de 1980 que Portugal assiste a uma vaga migratória para seu território, principalmente de África, da América do Sul e da Europa de Leste. Devido a alguma mão-de-obra barata e/ou ilegal, há uma tendência para generalizar e associar as populações de imigrantes à criminalidade.3 Estão tambem amplamente documentadas práticas racistas de lojistas e proprietários do pequeno comercio em relação a individuos de raca cigana.4

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.