Rafting

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Rafting no Rio de Contas, em Taboquinhas, em Itacaré, na Bahia, no Brasil
Rafting no rio Jacaré Pepira, em Brotas, em São Paulo, no Brasil
Rafting no rio Jacaré Pepira, em Brotas, em São Paulo, no Brasil

O rafting é a prática de descida em corredeiras em equipe utilizando botes infláveis e equipamentos de segurança. Antes de se começar qualquer descida de rafting comercial, um condutor da atividade passa a todos os participantes detalhadas instruções de conduta relativas à segurança. Estas instruções são lembradas pelos demais condutores durante momentos estratégicos da descida, e seu cumprimento é fundamental para a segurança de todos. O rafting comercial proporciona a experiencia de descer o rio para pessoas de qualquer idade e, em sua maioria, pessoas que nunca tiveram uma experiência anterior, tornando o esporte acessível. Porém a atividade deve seguir, no Brasil, a Lei Geral do Turismo (LEI Nº 11.771, DE 17 DE SETEMBRO DE 2008 e Decreto 7381-2010, que regulamenta a lei geral do turismo), que especifica que uma empresa de rafting deve:

- Ser uma Agência de Turismo;

- Possuir Certificado de Cadastro no Ministério do Turismo – CADASTUR;

- Deve ter a norma técnica Sistema de Gestão da Segurança ABNT NBR-15.331 implementada;

- Deve ter condutores de rafting qualificados de acordo com a norma técnica ABNT-NBR-15370 Competência de Pessoal – Condutores de Rafting.

Sem os requisitos mencionados, a empresa não pode exercer a atividade. Os primeiros relatos de rafting de que se tem notícia são nos rios Colorado e Mississippi.

Níveis do Rafting[editar | editar código-fonte]

Nível I: Áreas com pedras muito pequenas; requer poucas manobras.

Nível II: Algumas águas agitadas, talvez algumas rochas; pode exigir manobras.

Nível III: Ondas pequenas, talvez uma pequena queda, mas sem perigo. Pode requerer habilidade de manobra significativa.

Nível IV: Ondas médias, presença de poucas pedras, com quedas consideráveis; manobras mais difíceis podem ser necessárias.

Nível V: Grandes ondas, possibilidade de grandes rochas, possibilidade de grandes quedas, há riscos e exige manobras precisas.

Nível VI: Corredeiras extremamente perigosas, pedras e ondas enormes. O impacto da água pode até causar estragos no equipamento. O nível VI é extremamente perigoso, pode machucar seriamente os praticantes ou até levá-los à morte. Completar esse percurso exige muita habilidade.

Locais para a prática do rafting[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, há diversos locais propícios à prática do rafting, entre eles:

Bahia 
Rio de Contas, em Itacaré
Rio Correntina, em Correntina
Espírito Santo 
Rio Jucu, em Domingos Martins
Goiás 
Rio Corumbá, em Corumbá de Goiás
Maranhão 
Parque Nacional da Chapada das Mesas, em Carolina
Mato Grosso 
em Dom Aquino
Rio das Mortes, em Primavera do Leste
Minas Gerais 
Rio Jaguari, em Extrema
Rio Capivari, em Lavras
Rio Espirito Santo, em São João da Serra Negra
Rio Corrente, em MunhozDom Aquino rio São lourenço e rio parnaiba
Paraná 
Rio Iapó, em Tibagi
Rio Cachoeiras, em Antonina
Rio Ribeira, em Cerro Azul
Rio de Janeiro 
Rio Mambucaba, entre Paraty e Angra dos Reis com empresa Ativa Rafting Paraty Angra, www.ativaraftingparatyangra.com, Rio Macaé, em Lumiar, Casimiro de Abreu e Macaé
Rio Paraibuna, ao norte do estado
Ribeirão das Lajes em Seropédica
Rio Grande do Sul 
Rio Paranhana, em Três Coroas
Rio das Antas entre Nova Roma do Sul e Bento Gonçalves
Santa Catarina 
Rio Cubatão, em Santo Amaro da Imperatriz
Rio Itajai-açu, em Apiúna e Ibirama
Rio Braço do Norte, no Vale do Braço do Norte
São Paulo 
Rio Juquiá, em Juquitiba
Rio Paraibuna, em São Luís do Paraitinga
Rio do Peixe, em Socorro
Rio Jacaré-Pepira, em Brotas
Rio Pardo, em Caconde

Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal, o rafting pode ser praticado em diversos rios, dependendo da estação do ano. Quase todos os rios têm nível de água apenas nas épocas de chuva, desde o Outono até a Primavera. Apenas no Rio Minho pode ser praticado todo o ano, devido às 5 barragens que controlam o seu nível de água, sendo preferencialmente escolhido no verão pois é um rio com menos rápidos e os outros estão sem água.

  • Rio Paiva - É o mais famoso e mais divertido rio para o rafting em Portugal, sobretudo na parte do concelho de Arouca. Possui diversos percursos, com um total de quase 25 km de rafting, desde grau IV a grau III de dificuldade.
  • Rio Tâmega - Um rio com um dos melhores rápidos de 'rafting' o Cachão. Se não fossem tantos metros de água lisa entre os rápidos, este rio seria certamente bastante mais popular, com uma beleza natural fantástica. Nível II a IV (apenas 1 rápido de nível IV)
  • Rio Tua - Bastante sazonal, apenas praticável em épocas de muita chuva. Com muita água nível III a IV.
  • Rio Minho - Navegável todo o ano. Nível I a III. Volume de água muito variável, podendo ser nível I às 10 horas da manhã e nível III às 11 horas, devido a descargas das barragens.

Outros rios podem ser descidos em rafting, mas, devido ao seu pouco tempo navegável, não permitem a prática regular de rafting. Em épocas de grandes cheias, muitos dos pequenos rios de kayak podem ser explorados em rafting, mas com níveis de dificuldade muito elevados.

Mesmo as pessoas mais experientes em actividades de aventura devem sempre procurar uma das várias empresas licenciadas com guias certificados para garantir o melhor conhecimento do rio e a segurança desde desporto.

Ícone de esboço Este artigo sobre esporte/desporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Commons
O Commons possui multimídias sobre Rafting