Rage (livro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Rage
Fúria (ou Raiva)
Autor (es) Stephen King
Idioma inglês
Género suspense
Lançamento 1977
Cronologia
Último
Último
---
O Ilumuinado
Próximo
Próximo

Rage (publicado em língua portuguesa como Fúria) foi o primeiro romance do americano Stephen King, escrito em 1966, porém somente publicado em 1977, sob o pseudônimo de Richard Bachman . o livro causou grande repercussão mundial devido ao seu teor violento. King admite que escreveu Fúria numa época de grande repressão sexual, envolvimento com entorpecentes, e grandes revoltas. Tempos mais tarde, uma cópia de Fúria foi encontrada dentro do armário do estudante Michael Carneal, responsável pelo tiroteio em Heath High School. Por causa disso, King baniu o livro das prateleiras e proibiu qualquer eventual republicação do livro, clamando que ele não seria nenhum fio condutor para a violência. Atualmente, Fúria só pode ser lido na rara antologia Os Livros de Bachman publicado no Brasil pelo editora Francisco Alves em 1987.

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Charles Everett Decker é um adolescente revoltado com o pai violento, e com um mundo que ele julga hipócrita. Charles é uma banana de dinamite pronta pra explodir, e é naquele fatídico dia na escola, após ser chamado na diretoria, que seu pavio queima de vez. Após sair da sala do diretor, depois de ser repreendido, Charles sai determinado a dar uma lição a toda a escola que eles jamais vão esquecer.

Ele segue para seu armário escolar, de onde tira uma arma e munição, e ele então resolve tocar fogo dentro do armário para que o alarme soe, e o colégio seja evacuado. Antes de voltar pra sala de aula, Charles pega o cadeado de seu armário e guarda no bolso da camisa. Voltando a sala de aula, Charles não perde tempo e atira na cabeça da professora de álgebra, que cai instantaneamente morta.

Com o barulho do tiro, todos na escola, exceto a turma que Charles mantém refém, entra em pânico e sai correndo pra fora da escola. Policias e bombeiros são chamados. Um outro professor tenta arrombar a sala onde está Charles, e ele atira pela vidraça na cabeça do homem, que também cai morto.

Através de flashbacks, Charles vai contando a história de sua vida, que nos dá pistas de suas motivações para cometer tal atrocidade. Mas não é só ele que expõe seus conflitos. A turma toda começa a debater suas vidas, seus medos e ambições. O único que parece ir contra Charles, é Ted Jones, que espera uma única chance pra derrubá-lo e se tornar o herói da escola.

Enquanto isso, um psicólogo fala com Charles pelo interfone. O esperto garoto então vira o jogo e começa a fazer uma brincadeira psicológica que deixa o médico à beira da insanidade. Inacreditavelmente ao longo da história, os colegas de classe começam a cada vez mais apoiar os atos de Charles.

O clímax da história se dá quando um atirador de elite, atira no peito de Charles que sai voando em direção ao lado oposto da sala, onde cai quase desmaiado. Sorte dele que havia colocado o cadeado em seu bolso da camisa, que o protegeu da bala, apesar de deixá-lo um pouco ferido.

Após dar sua lição de moral em todo mundo, e finalmente achar que já basta, Charles resolve se entregar, mas não antes de, junto com a turma toda, humilhar Ted Jones. Os policiais então invadem o local, surpreendendo Charles que tenta reagir, e acaba levando tiros.

No fim da história, ficamos sabendo que Charles ainda é visitado por seus amigos na hospital em que está, embora não fique esclarecido o futuro do garoto.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.