Raimundo Berengário I de Barcelona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Raimundo Berenguer I)
Ir para: navegação, pesquisa
Raimundo Berengário I de Barcelona, O Velho
Detalhe de uma iluminura que representa Raimundo Berengário.
Cônjuge Isabel de Nîmes
Branca de Narbona
Almodis de La Marche
Descendência
de Isabel
Pedro Raimundo
Arnaldo
Berengário

de Almodis
Raimundo Berengário
Berengário Raimundo
Inês
Sancha
Nome completo
Raimundo Berengário de Barcelona
Casa Barcelona
Pai Berengário Raimundo I
Mãe Sancha Sanches de Castela
Nascimento 1023
Morte 26 de Maio de 1076 (53 anos)
Barcelona
Enterro Catedral de Barcelona
Religião Católica
Tumba de Raimundo Berengário I e de Almodis de la Marche. Catedral de Barcelona.

Raimundo Berengário I o Velho, em catalão, Ramon Berenguer el Vell [1] [2] (10231076) foi conde de Barcelona

Era filho de Berengário Raimundo, o Curvo (100526 de maio de 1035), conde de Barcelona, e de Sancha de Castela (100626 de Junho de 1027), filha de Sancho Garcia, 4º conde soberano de Castela (970 ? - 5 de Fevereiro de 1017) e de Urraca Gomez (c. 970 - 1025?) filha de Gomez Diaz de Saldanha, conde em Saldanha (940 - c. 987) e de Muniadona Fernández (c. 940 -?)[3] .

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Raimundo Berengário I foi casado por três vezes:

Em 1039, casou com Isabel de Nimes, provavelmente filha do visconde Raimundo Bernardo I de Nimes com quem teve:

  1. Pedro Raimundo de Barcelona (? -1071), condenado pelo assassinato de sua madrasta, Almodis.
  2. Arnaldo (Arnau) de Barcelona (?- c. 1045)
  3. Berengário de Barcelona (?- c. 1045)

Em 16 de Março de 1051 casou-se com Branca de Narbona, filha de Llop Ató Zuberoa e Ermengarda de Narbona. Branca foi repudiada no ano seguinte, sem ter descendência.

Em 1056, casa-se, em terceiras núpcias, com Almodis de la Marche,[4] filha de Bernardo I deLa Marche, conde de Haute-Marche e de Amélia de Montignac, de quem teve:

  1. Raimundo Berengário II (1053-1082), que se casou em 1078 com Mafalda (Maud) de Apúlia (10601080), filha de Roberto de Altavila, conde de Puglia, da Calábria e da Sicília e de Sigelgaita, princesa de Salerno.
  2. Berengário Raimundo II, o "Fratricida". (1053-1097),
  3. Inês de Barcelona (1056-1071), casada em 1070 com o conde Guigues II de Albon[5]
  4. Sancha de Barcelona (1076-1095), casada em segundas núpcias, em 1069 com Guilherme Ramón I de Cerdanha e de Berga (1068–1095).

Branca apelou ao Papa e conseguiu o apoio da avó de Raimundo Berengário, a condessa Ermesenda, obtendo de Vítor II a excomunhão para Raimundo e Almodis, fato que provocou uma guerra que não se resolveu até o final de 1057. A excomunhão de ambos se manteve até 1065.

Referências

  1. Prólogo dos Usatges de Barcelona: Raymundus Berengarius Vetus Comes. Vegi's: Incipit prologus de Usaticis Barchinone
  2. CINGOLANI, Stefano Maria (org.) Llibre dels reis. Cap 126.
  3. Urraca - Um nome egregio en la onomástica altomedieval, por Jaime de Salazar y Acha.
  4. LEROY, Béatrice Le monde méditerranéen du VIIe au XIIIe siècle, p.86. Editions Ophrys, 2000 ISBN 2708009532 e ISBN 9782708009530
  5. The pedigree of Ines de Barcelona
Precedido por:
Berengário Raimundo I
Conde de Barcelona
(Barcelona, Girona e Manresa)

1035–1076
(sob regência de Ermesinda de Carcassonne, 1035-1041)
(com Almodis de La Marche, 1052-1071)
Seguido por:
Raimundo Berengário II e
Berengário Raimundo II
Precedido por:
Gisela de Lluçá e
Guilherme I
Conde de Osona
1054–1076
(com Almodis de La Marche, 1054-1071)
Precedido por:
Garsenda I
Hermengarda I
e Adelaide I
Conde de Carcassonne
1069–1076
(com Almodis de La Marche, 1069-1071)