Raios crepusculares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Raios crepusculares ao anoitecer.

Os raios crepusculares, em óptica atmosférica, são raios de luz solar que parecem irradiar a partir de um único ponto no céu. Estes raios, que fluem através de aberturas nas nuvens (principalmente em stratocumulus), ou entre outros objetos, referem-se a colunas de ar iluminado pelo sol disjuntos pelas áreas sombreadas de nuvens que entravam a luz. O nome sobreveio das frequentes ocorrências durante as horas crepusculares (no amanhecer e no entardecer), onde os contrastes entre luz e sombra são mais evidentes. A palavra crepuscular teve origem no termo em latim crepusculum que significa - anoitecer.[1]

Aparência[editar | editar código-fonte]

Raios crepuscular na Basílica de São Pedro.

Os raios crepusculares são praticamente paralelos, contudo parecem divergir devido à perspectiva linear.[2] Este evento ocorre frequentemente quando objetos como montanhas ou nuvens, ocultam parcialmente os raios solares através da nebulosidade sobrepondo-se entre o ponto de convergência da luz e o ponto onde a imagem focalizada será projetada. Os vários compostos existentes no ar dispersam a luz do sol fazendo com que os mesmos sejam visíveis, devido à difração, reflexão e dispersão.

Os raios crepusculares podem também ser percetíveis de baixo de água, especialmente no Ártico onde surgem a partir das camadas e fissuras do gelo. Existem três formas primárias de raios crepusculares:

  • Aqueles que penetram as aberturas das nuvens mais baixas (stratocumulus), que são também chamadas de "Escadas de Jacob";
  • Os raios que divergem por detrás de uma nuvem;
  • E os raios pálidos, rosados ou avermelhados irradiados a partir do horizonte. Estes são muitas vezes confundidos com os pilares de luz.

Estes raios são comumente vistos ao amanhecer e ao anoitecer, quando as nuvens altas como os cumulonimbus assim como montanhas favorecem com maior eficácia a formação destes raios.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Crepuscular rays Weather Photography lightning, clouds, atmospheric optics & astronomy.
  2. John A. Day (2005), The Book of Clouds, Sterling Publishing Company, Inc., pp. 124–127, ISBN 9781402728136, Visitado a 2012-06-21.
  3. Formation & Perspective.