Rama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Rama (no devanágari: राम), na mitologia hindu, é considerado um dos avatares do deus Vishnu[1] . A ele é dedicado o poema sagrado Ramáiana, que juntamente com o Maabárata compôem as mais respeitadas narrativas históricas (Itihasas) da cultura védica.

Ramachandra significa a fonte do todo o prazer, que é comparado a Chandra, a lua encantadora, ou aquele que brilha na Terra.

A vida e a jornada de Rama são baseadas na aderência perfeita ao dharma. Pela honra do seu pai, Rama abandona a sua pretensão ao trono de Kosala para ficar em exílio por catorze anos na floresta[2] .

É o símbolo do grande homem, o perfeito filho, o perfeito marido, irmão, amigo e governante. Sua saga está descrita na epopeia literário-religiosa do Ramáiana, onde é relatado com detalhes seu casamento com Sita, e sua luta contra o demônio Ravana, o mais terrível demônio do mundo. Recebeu ajuda de Hanuman nesta empreitada.

O conceito da conversão não pertence a este sistema religioso.

Referências

  1. Ganguly, S.. (2003). "The Crisis of Indian Secularism". Journal of Democracy 14: 11–25 pp.. Página visitada em 12-4-2008.
  2. Griffith, R.T.H.. The Ramayan of Valmiki. [S.l.]: Chowkhamba Sanskrit Series Office, 1963.
Ícone de esboço Este artigo sobre Mitologia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.