Raul Torres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Raul Torres
Informação geral
Nome completo Raul Montes Torres
Nascimento 11 de julho de 1906
Origem Botucatu, São Paulo
País Brasil Brasil
Data de morte 12 de julho de 1970 (64 anos)
Gênero(s) Moda de viola, Música sertaneja.
Gravadora(s) Parlophon, Odeon, Victor

Raul Montes Torres (Botucatu, 11 de julho de 190612 de julho de 1970) foi um cantor e compositor brasileiro.

Na sua cidade já se dedicava à música, cantando música caipira em festas, mas foi na cidade de São Paulo na década de 1920 onde decidiu dedicar-se definitivamente à vida artística. Passa a trabalhar na Rádio Educadora de São Paulo em 1927, tocando modas de viola[1] . Inicialmente não escreveu e nem cantou músicas sertanejas, mas sim sambas e emboladas, participando do grupo Turunas Paulistas.

No ano de 1937, forma dupla com Serrinha, que era seu sobrinho e passa a se dedicar a escrever e cantar músicas caipiras. No ano de 1940, escreve a clássica Saudades de Matão ("Neste mundo eu choro a dor, por uma paixão sem fim, ninguém conhece a razão por que eu choro no mundo, assim..."). Compôs mais de 100 canções, entre as quais a Moda da Mula Preta ("Eu tenho uma mula preta com sete palmo de altura...").

Em 1945, começa a compor com João Batista Filho, mais conhecido como João Pacífico e, desta parceria, resultam as canções Pingo d'Água ("Eu fiz promessa pra que Deus mandasse chuva pra crescer a minha roça e vingar a criação..."), Colcha de Retalhos ("Aquela colcha de retalhos que tu fizeste, juntando pedaço em pedaço foi costurada..."), Mourão da Porteira ("Lá no mourão esquerdo da porteira, onde encontrei vancê pra despedi..."), Cabocla Teresa ("Há tempos fiz um ranchinho, pra minha cabocla morar, pois era ali nosso ninho, bem longe desse lugar..."). A partir de 1960, passou a se dedicar cada vez mais à apresentação de programas de rádio, especialmente pela Rádio Record de São Paulo. Faleceu um dia depois de seu aniversário de 64 anos, logo após a gravação do LP “O maior patrimônio da música sertaneja”.

  • Durante muitos anos apresentou um programa na Rádio Record com o violeiro Florêncio.

Quando tinha 50 anos, casou-se com Adelina Aurora Barreira, no ano de 1955. Sua mulher era funcionária pública. Eles permaneceram casados até o dia de sua morte. Raul e Adelina, tinham costume de espairecer e farrear em bares e praças, em São Paulo, onde se reuniam com um grupo de pessoas, para tocar clássicos da obra de Torres e se divertir. A principal acompanhante era prima de Adelina, Maria de Lourdes Barreira, nascida em Dezembro de 1926, falecida no mesmo mês, em 2012.

  • Em Botucatu, sua cidade natal, foi construido um monumento em sua homenagem, na Praça Comendador Emilio Pedutti, a praça do bosque, marco zero do município. O monumneto apresenta Raul Torres empunhando sua viola, apoioado em um dos bancos da praça.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.