Real Gabinete Português de Leitura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Real Gabinete Português de Leitura
Fachada do Real Gabinete Português de Leitura.‎
País  Brasil
Estabelecida 14 de maio de 1837
Localização Rio de Janeiro, RJ
Outras informações
Diretor Antonio Gomes da Costa
Website www.realgabinete.com.br
Sala de leitura do Real Gabinete Português de Leitura.‎
Candelabro da sala de leitura.‎

O Real Gabinete Português de Leitura OCMHCMHSEComB, tradicional biblioteca e instituição cultural lusófona, localiza-se na rua Luís de Camões, número 30, no centro da cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Encontra-se tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural.

História[editar | editar código-fonte]

A instituição foi fundada em 1837 por um grupo de quarenta e três imigrantes portugueses, refugiados políticos, para promover a cultura entre a comunidade portuguesa na então capital do Império. Foi a primeira associação desta comunidade na cidade.

O edifício da atual sede, projetado pelo arquiteto português Rafael da Silva e Castro, foi erguido entre 1880 e 1887 em estilo neomanuelino. Este estilo arquitetônico evoca o exuberante estilo gótico-renascentista vigente à época dos Descobrimentos portugueses, denominado como manuelino em Portugal por haver coincidido com o reinado de D. Manuel I (1495-1521)[1] .

O Imperador D. Pedro II (1831-1889) lançou a pedra fundamental do edifício em 10 de junho de 1880, e sua filha, a Princesa Isabel, junto com seu marido, o Conde d'Eu, inauguraram-no em 10 de setembro de 1887.

A fachada, inspirada no Mosteiro dos Jerónimos de Lisboa, foi trabalhada por Germano José Salle em pedra de lioz em Lisboa e trazida de navio para o Rio. As quatro estátuas que a adornam retratam, respectivamente, Pedro Álvares Cabral, Luís de Camões, Infante D. Henrique e Vasco da Gama. Os medalhões da fachada retratam, respectivamente, os escritores Fernão Lopes, Gil Vicente, Alexandre Herculano e Almeida Garrett.

O interior também segue o estilo neomanuelino nas portadas, estantes de madeira para os livros e monumentos comemorativos. O teto do Salão de Leitura tem um belo candelabro e uma claraboia em estrutura de ferro, o primeiro exemplar desse tipo de arquitetura no Brasil. O salão possui também um belíssimo monumento de prata, marfim e mármore (o Altar da Pátria), de 1,7 metros de altura, que celebra a época dos descobrimentos, realizado na Casa Reis & Filhos no Porto pelo ourives António Maria Ribeiro, e adquirido em 1923 pelo Real Gabinete.

Aberta ao público desde 1900, a biblioteca do Real Gabinete possui a maior coleção de obras portuguesas fora de Portugal. Entre os cerca de 350 000 volumes, nacionais e estrangeiros, encontram-se obras raras como um exemplar da edição "princeps" de Os Lusíadas de Camões (1572), as Ordenações de D. Manuel (1521), os Capitolos de Cortes e Leys que sobre alguns delles fizeram (1539), a Verdadeira informaçam das terras do Preste Joam, segundo vio e escreveo ho padre Francisco Alvarez (1540), um manuscrito da comédia "Tu, só tu, puro amor" de Machado de Assis, e muitas outras. Anualmente, recebe cerca de seis mil títulos de Portugal. Há também uma importante coleção de pinturas de José Malhoa, Carlos Reis, Oswaldo Teixeira, Eduardo Malta e Henrique Medina. Diariamente, recebe, em média, cento e cinquenta visitantes. Entre os seus visitantes ilustres, do passado, encontram-se os nomes de Machado de Assis, Olavo Bilac e João do Rio.

O Real Gabinete edita a revista Convergência Lusíada (semestral) e promove cursos sobre Literatura, Língua Portuguesa, História, Antropologia e Artes, destinados principalmente a estudantes universitários.

A história da Academia Brasileira de Letras está ligada à do Real Gabinete, uma vez que as cinco primeiras sessões solenes da Academia, sob a presidência de Machado de Assis, foram aqui realizadas.

A 5 de Julho de 1946 foi feito Oficial da Ordem Militar de Cristo, a 19 de Agosto de 1947 foi feito Comendador da Ordem de Benemerência, a 9 de Abril de 1981 foi elevado a Membro-Honorário da Ordem Militar de Cristo e a 13 de Julho de 1990 foi feito Membro-Honorário da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[2]

Em Julho de 2014 a biblioteca foi listada em 4.a posição dentre as 20 mais lindas bibliotecas do mundo segundo a revista Time (revista). A publicação destacou sua história, arquitetura e rico acervo de obras lusófonas.[3] [4]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

O prédio histórico foi utilizado como locação para filmes, telenovelas e especiais de televisão, tais como:

Referências

  1. Azevedo, Fabiano Cataldo. (maio/agosto 2008). "Contributo para traçar o perfil do público leitor do Real Gabinete Português de Leitura: 1837-1847". Ciência da Informação 37 (2): 20-31. ISSN 1518-8353. Página visitada em 2010-11-05.
  2. http://www.ordens.presidencia.pt/
  3. Time, Revista. The 20 Most Beautiful Libraries in the World. Página visitada em 5 de Setembro de 2014.
  4. O GLOBO, Jornal. Real Gabinete Português de Leitura entra na lista das bibliotecas mais bonitas do mundo. Página visitada em 5 de Setembro de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]