Rebelião Taiping

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rebelião Taiping
Naval battle between Taiping-Qing on Yangtze.jpg
Batalha do Rio Azul
Data Dezembro de 1850 a Agosto de 1864
Local China
Desfecho Vitória da Dinastia Manchu, Queda do Reino Celestial Taiping e Enfraquecimento da dinastia Manchu
Combatentes
Flag of the Qing dynasty (1889-1912).svg Dinastia Qing
Aliados:
Flag of the United Kingdom.svg Reino Unido
Flag of France.svg França
Flag of the Red Cross.svg Reino Celestial Taiping
Principais líderes
Flag of the Qing dynasty (1889-1912).svg Xianfeng
Flag of the Qing dynasty (1889-1912).svg Tongzhi
Flag of the Qing dynasty (1889-1912).svg Tseu-Hi
Flag of the Qing dynasty (1889-1912).svg Zeng Guofan
Flag of the Qing dynasty (1889-1912).svg Sengge Rinchen
Zuo Zongtang
Flag of the United Kingdom.svg Charles George Gordon
Flag of the United States.svg Frederick Townsend Ward
Flag of the United States.svg Henry Andres Burgevine
Flag of the Qing dynasty (1889-1912).svg Guam Wing
Flag of the Red Cross.svg Hong Xiuquan
Flag of the Red Cross.svg Yang Xiuqing
Flag of the Red Cross.svg Xiao Chaogui
Feng Yunshan
Wei Changhui
Flag of the Red Cross.svg Shi Dakai
Flag of the Red Cross.svg Li Xiucheng
Forças
2 000 000 a 5 000 000 Exército regular
340 000 milícia
1 000 000 a 3 000 000 de rebeldes
100 000 do sexo feminino
Vítimas
Mais de 56 000 soldados mortos Cerca de 400 000 soldados mortos
History of China.gif
História da China
ANTIGA
Dinastia Zhou 1122/1027 AEC–221 AEC
Dinastia Chin 221 AEC–206 AEC
Dinastia Han Ocidental 206 AEC–220 EC
Dinastia Xin
Dinastia Han Oriental
Três Reinos 220–280
  Wei, Shu & Wu
Dezesseis Reinos
304–439
Dinastia Sui 581–618
Dinastia Tang 618–907
5 Dinastias e
10 Reinos

907–960
Dinastia Liao
907–1125
Dinastia Song
960–1279
  Song do Norte Xia
  Song do Sul Jin
Dinastia Yuan 1271–1368
Dinastia Ming 1368–1644
Dinastia Qing 1644–1911
MODERNA
República da China 1912–1949
República Popular
da China

1949–presente
Republica
da China (Taiwan)

1945–presente
Selo da Rebelião Taiping
Cena de uma batalha durante a Rebelião Taiping

A Rebelião Taiping (1851-1864) foi um dos conflitos mais sangrentos da história, um confronto entre as forças da China imperial e um grupo inspirado por um místico autoproclamado, chamado Hong Xiuquan (ou Hung Hsiu-ch’uan) (1813-1864), que se dizia cristão e também intitulava-se irmão de Jesus Cristo. Seu objetivo era criar uma nova cultura, substituindo a tradição confucionista e budista por algo "novo" - moldado conforme às suas ideias.

A rebelião começou na província de Guangxi e estendeu-se rapidamente pela região do Rio Azul. Em 19 de março de 1853, os rebeldes tomaram Nanquim e fizeram daquela cidade a capital de seu movimento. Posteriormente, desfecharam um ataque malsucedido contra a Pequim. As tropas imperiais foram auxiliadas por militares ingleses e mercenários estadunidenses e esmagaram a revolta reconquistando Nanquim, num cerco onde pereceu Hong Xiuquan. A Dinastia Qing, no entanto, jamais se restabeleceu da guerra civil e a ideologia dos revoltosos de Taiping — um misto de cristianismo e teorias radicais de igualdade social — influenciou grupos revolucionários posteriores, inclusive o Partido Comunista Chinês.

Calcula-se que entre 30 e 50 milhões de pessoas morreram em consequência direta do conflito. Aliás, no período compreendido entre 1850 e 1873, a população da China foi reduzida em mais de 60 milhões de pessoas, como resultado de rebeliões, guerras, da seca e da fome.

Hong Hung[editar | editar código-fonte]

Relata-se que Hong Hung teve visões em que um velho homem disse a ele que as pessoas tinham deixado de adorá-lo e que estavam adorando demônios, então Hung se proclamou como o irmão mais novo de Jesus e que tinha sido enviado por Deus à terra, a fim de erradicar os demônios e os cultos demoníacos. Nesse contexto, Hung e seus seguidores formaram uma nova seita religiosa, denominada como "Os Adoradores de Deus", que se dedicou à destruição de ídolos na província de Cantão.

Alguns historiadores chineses destacam que o movimento tinha uma retórica anti-manchu, que era a etnia da Dinastia Qing. O movimento tinha uma ideologia eclética que combinava elementos da antiga filosofia taoísta (pré-confuciana) com crenças herdadas do cristianismo protestante. Defendiam uma sociedade na qual os camponeses possuiriam e trabalhariam a terra em comum e na qual a escravidão, a tortura policial, os casamentos arranjados, o concubinato, o consumo de ópio, a idolatria e outros costumes da China Imperial, como o hábito de enfaixar e comprimir os pés das mulheres, seriam abolidos.

No final da década de 1840, seus seguidores, a partir de uma sustentação financeira obtida por meio de dízimos, se organizaram militarmente para destruir e eliminar os cultos demoníacos.

Em 1851, Hung proclamou o início da "Era Taiping" (ou “Era da Grande Paz”) e o estabelecimento do "Reino da Paz Celestial", e foi aclamado como o "Rei Celestial".

O Reino da Paz Celestial foi um estado teocrático, que tinha o "Rei Celestial" como monarca absoluto, e no qual, todas as pessoas deviam adorar um único deus. O movimento defendia um programa radical de reformas econômicas na qual todas as riquezas seriam igualmente distribuídas a todos os membros da sociedade, que passaria a ser uma sociedade sem classes. Uma das consequências sociais e econômicas da igualdade entre homens e mulheres, foi que muitos postos de governo foram atribuídos às mulheres.

O exército era totalmente disciplinado, seus soldados dispostos a morrer sem hesitação em nome de Deus e pela destruição das forças inimigas. Tal disciplina permitiu um rápido avanço pelo vale central do Rio Yang-tsé até Nanquim. O movimento também evitou tomar os grandes centros urbanos e por isso encontrava pouca resistência.

Após a conquista, os Taiping passaram a chamar Nanquim como T’ien-ching, ou "Capital Celestial". A rebelião atingiu seu auge em 1856. Somente após o fim da Segunda Guerra do Ópio, em 1860, a Dinastia Qing pode reunir forças suficientes para derrotar os Taipings[1] .

Em junho de 1864, diante a iminente derrota da Rebelião, Hung se envenenou. Seu corpo foi descoberto e o despejaram em um esgoto sob a cidade[2] .

Referências

  1. Introduction The Taiping Rebellion 1850-1871, em inglês, acesso em 02 de fevereiro de 2015.
  2. Hoje na História: Rebeldes Taiping ocupam Nanquim, na China, acesso em 02 de fevereiro de 2015.
Ícone de esboço Este sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.