Recaptação neuronal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma sinapse antes e durante a recaptação. Note que alguns neurotransmissores foram perdidos e não foram reabsorvidos.

Recaptação é o nome que se dá a reabsorção de um neurotransmissor através de um neurotransmissor transportador de um neurônio pré-sináptico após este ter exercido a função de transmissor de um impulso neural. Tal previne atividades futuras do neurotransmissor, enfraquecendo os seus efeitos.

Como exemplo, serotonina é um neurotransmissor. É produzida pelos neurônios no cérebro e utilizado por eles para se comunicarem, uns com os outros. O neurônio libera a serotonina que é produzida por meio de excocitose na fenda sináptica. A serotonina é liberada na fenda até juntar-se ao receptor nas superfícies da membrana pós-sináptica, como pode ser recolhido através do neurotransmissor transportador e levado novamente a membrana pré-sináptica, decomposto e utilizado novamente.

Tal processo é referido como recaptação. Um equilíbrio é alcançado para a serotonina entre a junção dos neurônios próximos. Existem medicamentos que agem como inibidores da recaptação seletiva da serotonina (SSRI) que bloqueiam a recaptação da serotonina e assim aumenta o nível de serotonina no cérebro.

Quando as células receptoras de um neurônio são bloqueados por inibidores neurais, tudo deles é forçado a ser largado na corrente sanguínea, aumentando os seus níveis. SSRIs populares como Sertralina e Fluoxetina exercem tal bloqueio, fazendo com que a serotonina seja coletada pelas células receptoras, aumentando os níveis deste neurotransmissor pelo cérebro todo.