Rede Amazônica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rede Amazônica de Televisão
Rádio & TV do Amazonas S.A.
Rede Amazônica
Tipo Rede Inter-estadual de Televisão comercial
País  Brasil
Fundação 10 de agosto de 1972 (42 anos)
por Phelippe Arce Daou
Pertence a Amazonas Distribuidora
Proprietário Phelippe Arce Daou
Presidente Phelippe Arce
Cidade de origem Amazonas Manaus, AM
Sede Bandeira de Manaus.svg Manaus, AM
Avenida André Araújo, 1555 - Aleixo
Estúdios Bandeira de Manaus.svg Manaus (TV Amazonas)
Avenida André Araújo, 1555 - Aleixo
Flag of Parintins (Amazonas).svg Parintins (TV Parintins)
Avenida das Nações Unidas, 2758 - Vitória Régia
Bandeira de Itacoatiara am.jpg Itacoatiara (TV Itacoatiara)
Avenida Torquato Tapajós, 1494 - Iracy
Slogan Sua escolha, nossa história
Afiliações Rede Globo
Cobertura Região Norte do Brasil (exceto Pará e Tocantins)
Emissoras próprias Amazonas TV Amazonas (Manaus)
Amazonas TV Parintins (Parintins)
Amazonas TV Itacoatiara (Itacoatiara)
Acre TV Acre (Rio Branco)
Acre TV Cruzeiro do Sul (Cruzeiro do Sul)
Amapá TV Amapá (Macapá)
Rondônia TV Rondônia (Porto Velho)
Rondônia TV Cacoal (Cacoal)
Rondônia TV Guajará-Mirim (Guajará-Mirim)
Rondônia TV Ji-Paraná (Ji-Paraná)
Rondônia TV Vilhena (Vilhena)
Rondônia TV Ariquemes (Ariquemes)
Roraima TV Roraima (Boa Vista)
Roraima TV Rorainópolis (Rorainópolis)
Página oficial Rede Amazônica (site)
Portal Amazônia (portal)
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
02 VHF (Caroebe)
03 VHF (Guajará-Mirim e Itaubal)
04 VHF (Rio Branco, Porto Velho, Boa Vista, Pacaraima, Rorainopólis e São Luís)
05 VHF (Manaus, Cruzeiro do Sul, Ji-Paraná, Vilhena, Amapá, Cutias, Porto Grande e Uiramutã)
06 VHF (Macapá, Cacoal, Oiapoque e Caracaraí)
07 VHF (Parintins, Ariquemes, Mucajaí e Normandia)
08 VHF (Cantá)
09 VHF (Ferreira Gomes, Pedra Branca do Amapari, Alto Alegre e Iracema)
10 VHF (Pracuuba)
11 VHF (Itacoatiara e Bomfim)
12 VHF (Tartarugalzinho e Amajari)
13 VHF (São João da Baliza)
17 UHF (Vitória do Jari)
23 UHF (Serra do Navio)
28 UHF (Laranjal do Jari)
Digital
14 UHF (Rio Branco e Porto Velho)
15 UHF (Manaus e Vilhena)
17 UHF (Boa Vista)
21 UHF (Cacoal)
28 UHF (Macapá)
46 UHF (Cruzeiro do Sul)
Disponibilidade por satélite
SKY Brasil
Canal 05
Canal 354
Claro TV
Canal 24
Oi TV
Canal 05 (HD)
Disponibilidade por cabo
NET
Canal 14 (Rio Branco)
Canal 15
Canal 515 (HD) (Manaus)
ViaCabo
Canal 17
Canal 401 (HD) (Porto Velho)

A Rede Amazônica é um conglomerado regional que actua nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia e Roraima em áreas como televisão, rádio e internet.[1] Com sua sede em Manaus,[2] é o maior grupo de comunicação da Região Norte,[3] sendo afiliada da Rede Globo.[4]

Televisão[editar | editar código-fonte]

A Rede Amazônica teve como embrião a empresa Amazonas Publicidade Lda., inaugurada pelos jornalistas Phelipe Daou, Milton Magalhães Cordeiro e Joaquim Margarido, em 30 de Setembro de 1968.[1] Ante a existência de apenas uma emissora no estado do Amazonas, a TV Ajuricaba, o Ministério das Comunicações abriu concorrência para a exploração comercial de mais uma emissora televisiva. Os três sócios, conjuntamente com Robert Phellipe Daou,[5] formam a Rádio Tv do Amazonas Ltda em Junho de 1969,[6] a fim de concorrer a essa concessão.[5] A outorga da concessão ocorre a 11 de Junho de 1970,[7] sendo que as emissões da TV Amazonas tiveram início a 1 de Setembro de 1972, através do canal 5,[1] [8] não se encontrando veiculada a qualquer rede nacional,[5] transmitindo programas adquiridos da TV Record, da TV Cultura, além de filmes e seriados de distribuidoras como a Fox e a Columbia Pictures,[6] até se tornar afiliada da TV Bandeirantes em 1973.[5] [9] [4]

O grupo decide investir na sua expansão na região Norte do país, tendo sido inaugurada a TV Rondônia em 13 de Setembro de 1974,[9] sob a concessão do Decreto n.º 72.089.[10] Seguiram-se a TV Acre, inaugurada oficialmente a 16 de Outubro de 1974[11] [12] (sede em Rio Branco; concessão sob o Decreto n.º 73.981),[13] a TV Amapá, que iniciou as suas emissões oficiais a 25 de Janeiro de 1975[14] (sede em Macapá; concessão sob o Decreto n.º 74.865).[15] e a TV Roraima, a 29 de Janeiro de 1975[11] (sede em Boa Vista; concessão sob o Decreto n.º 74.704)[16] As transmissões eram asseguradas através do videocassete, transportado por meio terrestre, aéreo ou marítimo, até 1982, aquando do início das transmissões via satélite Intelsat.[17]

A afiliação com a TV Bandeirantes durou até 1983 para todas as emissoras, com excepção da TV Amazonas, passando estas a retransmitir a programação da TV Globo. Foi somente em 1986 que a TV Amazonas igualmente se torna afiliada da emissora carioca,[5] [18] permitindo a unificação da programação e a transmissão de programas produzidos em Manaus para as emissoras e retransmissoras da rede, através de um canal do Brasilsat.[6] A unificação da programação durou até 2010, quando se verificou o processo inverso, a estadualização dos sinais.[19]

Dois anos depois, em 1988, é lançado o canal por satélite Amazon Sat,[11] com o propósito de transmitir conteúdo sobre a Amazônia aos estados servidos pela Rede Amazônica bem como a mais de 50 municípios na restante Amazônia Legal, através de operadoras de televisão por assinatura[20] e pela web-rádio Echos da Amazônia.[21]

Atualmente, conta com cinco emissoras próprias, 8 minigeradoras[2] (ver tabela) e mais de 200 retransmissoras,[4] [22] para além de manter uma parceria com a rede estado-unidense CNN[3] e uma sucursal em Brasília.[1]

Estado Emissora Tipo Inauguração
Acre TV Acre geradora 16 de Outubro de 1974
TV Cruzeiro do Sul minigeradora
Amapá TV Amapá geradora 25 de Janeiro de 1975
Amazonas TV Amazonas geradora 1 de Setembro de 1972
TV Itacoatiara minigeradora 16 de Dezembro de 1976[23]
TV Parintins minigeradora 16 de Dezembro de 1976[24]
Rondônia TV Rondônia geradora 13 de Setembro de 1974
TV Ariquemes minigeradora[25] 26 de Dezembro de 1979[26]
TV Cacoal minigeradora[25] 13 de Outubro de 1981[27]
TV Guajará-Mirim minigeradora[25] 13 de Setembro de 1974[28]
TV Ji-Paraná minigeradora[25] 5 de Setembro de 1976[26]
TV Vilhena minigeradora[25] 23 de Novembro de 1977[26]
Roraima TV Roraima geradora 29 de Janeiro de 1975

Rádio[editar | editar código-fonte]

A incursão pelo negócio da rádio teve início em 20 de Março de 1985, com a inauguração da rádio Amazonas FM[29] (sede em Manaus).[5] Seguiram-se as rádios Acre FM (sede em Rio Branco; inaugurada em 1 de Abril de 1989),[30] Amapá FM (sede em Macapá; inaugurada em 17 de Outubro de 1990).[31] Hoje, a sua transmissão via internet está congregada no Portal Radar 10, criado em 1 de Dezembro de 2014.[32]

Existem ainda as rádios Princesa do Solimões AM (sede em Manacapuru),[5] [6] a CBN Amazônia, afiliada da CBN, com emissoras em Rio Branco e Guajará-Mirim[33] e rádios sob gestão de outras iniciativas da rede (ver tabela).

Estado Emissora Frequência Inauguração
Acre Acre FM 98.1 FM[30] 1 de Abril de 1989
CBN Amazônia (Rio Branco) 730 AM[33]
Amapá Amapá FM 93.3 FM[31] 17 de Outubro de 1990
Amazonas Amazonas FM 101.5 FM[34] 20 de Março de 1985
Princesa do Solimões AM 820 AM[6]
Rondônia CBN Amazônia (Guajará-Mirim) 930 AM[33]

Empresas do grupo[editar | editar código-fonte]

Para além das emissoras de televisão e rádio, a Rede Amazônica detém outras empresas coligadas à rede (ver tabela):[35]

Iniciativa Descrição
Alva da Amazônia Indústria Química Empresa coligada responsável pelo fabrico de produtos de limpeza[5] localizada no polo industrial de Manaus.[36]
Amazonas Energia Solar Criada em 1989[36] para produzir energia que possibilitasse a instalação de retransmissoras no interior dos estados servidos pela rede.[5]
Amazonas Publicidade Distribuidora Distribui as publicações da Editora Abril em Manaus e Porto Velho.[5]
Estúdio Amazônico de Radiodifusão Cujo nome fantasia é Studio 5, insígnia que compreende um centro de convenções (Studio 5 Centro de Convenções) e um shopping center (Studio 5 Festival Mall), localizados em Manaus,[37] [38] para além da Rádio Mall que serve de suporte ao espaço comercial.[37]
Fundação Rede Amazônica Foi criada a 22 de Março de 1985,[39] com o propósito de ministrar cursos de formação profissional na área de comunicação,[35] sendo responsável pela gestão do Museu da Rede Amazônica[40] (fundado a 18 de Abril de 2002)[41] e pela Rádio Fusão, uma web-rádio que serve de apoio aos cursos da fundação.[37]
Grupo Amazônia Cabo Gere o canal Amazon Sat, a rádio CBN Amazônia e o Portal Amazônia,[42] um portal de notícias e entretenimento do grupo, lançado a 5 de Julho de 2001, com abrangência sobre a Amazônia Legal e Amazônia Internacional, congregando informação de outras empresas do grupo.[43]
Rede Amazônica de Rádio e Televisão Compreende as emissoras de televisão[1] e as rádios Acre FM,[30] Amapá FM[31] e Amazonas FM.[44]

Referências

  1. a b c d e Cabral, E. D. (Setembro 2013). O poderio da Rede Amazônica de Rádio e Televisão no norte do Brasil. Trabalho apresentado no GP Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura, XIII Encontro dos Grupos de Pesquisas em Comunicação, evento componente do XXXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Manaus - AM.
  2. a b Crepaldi, L. (Setembro 2005). Grupos midiáticos do Norte Brasileiro: Processos de regionalização, nacionalização e internacionalização. Trabalho apresentado ao Eventos especiais III – Intercom Júnior, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
  3. a b Cabral, E. (Junho 2003). História da Televisão Amazonense. Trabalho apresentado no I Encontro Nacional da Rede Alfredo de Carvalho. Rio de Janeiro.
  4. a b c Ferreira, P. (2006). Após o regatão, o rádio e a televisão. Portal do curso de jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina.
  5. a b c d e f g h i j Cabral, E. (N.D.) Rede Amazônica de Rádio e Televisão: Um império na Amazônia.
  6. a b c d e Portal Amazônia. Rede Amazônica – Nossa História é Com Você. Rede Amazônica. Acedido a 24 Agosto 2014.
  7. Diário Oficial da União - Seção 1 (12 Junho 1970). Decreto 66.693. (p. 4393).
  8. Castro, F. F. (2012). Sistemas de comunicação na Amazônia. Fronteiras-estudos midiáticos, 14(3), 179-191.
  9. a b Portal Amazônia (13 Setembro 2012). TV Rondônia comemora 38 anos em alta definição Full HD. Acedido a 2 Setembro 2014. Rede Amazônica.
  10. Diário Oficial da União - Seção 1 (16 Abril 1973). 72.089. (p. 103).
  11. a b c Baze, A. (2002). História Rede Amazônica. Instituto Cultural Fundação Rede Amazônica.
  12. Rede Amazônica. TV Acre comemora 38 anos com sinal digital. Acedido a 30 Setembro 2014.
  13. Diário Oficial da União - Seção 1 (24 Abril 1974). Decreto 73.981. (p. 4720).
  14. Rede Amazônica. TV Amapá completa 38 anos de fundação nesta sexta-feira. Acedido a 15 Outubro 2014 em [1]
  15. Diário Oficial da União - Seção 1 (11 Novembro 1974). Decreto 74.865. (p. 12855).
  16. Diário Oficial da União - Seção 1 (16 Outubro 1974). Decreto 74.704. (p. 11858).
  17. Pinheiro, R. A. (2006). Redes Regional e Nacional de Televisão: TV Mirante e TV Globo.
  18. Morales Conde, E. & Silva, J. (2012). Histórico e organização estrutural do Jornal de Rondônia: produção televisiva em rede na Amazônia Brasileira. Revista Brasileira de História da Mídia (RBHM), 1(2).
  19. Castro, F. (2012). Geopolítica da Comunicação na Amazônia. Comunicação & Sociedade, 33(57), 149-169.
  20. AmazonSat. Institucional. Rede Amazônica.
  21. Rádio Echos da Amazônia. Quem somos. Amazônia Cabo.
  22. Cabral, E. (Setembro 2003).Capital estrangeiro na mídia brasileira: Salvação ou desgraça? Trabalho apresentado no Núcleo de Políticas e Economia da Comunicação, XXVI Congresso Anual em Ciência da Comunicação, Belo Horizonte - MG.
  23. Empresas do Brasil. TV Itacoatiara Repetidora.
  24. Empresas do Brasil. TV Parintins Repetidora.
  25. a b c d e G1.com - Rondônia. TV Rondônia se prepara para inauguração do sistema full HD. Grupo Globo.
  26. a b c Silva, J. (2011). Jornal de Rondônia - Relato das rotinas de produção em rede. Universidade Federal de Rondônia.
  27. G1.com - Rondônia. TV Cacoal comemora 32 anos e inicia implantação de sinal digital, em RO. Grupo Globo.
  28. G1.com - Rondônia. 'Crescemos com segurança', diz diretor regional nos 39 anos da TV RO. Grupo Globo.
  29. Silvan, D. (Maio 2014). Perfil Psicossocial dos Radialistas de Manaus Baseado na Teoria Crítica. Trabalho apresentado no DT 05 – Rádio, TV e Internet do XIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte. Belém - PA.
  30. a b c Portal Amazônia. Acre FM. Rede Amazônica.
  31. a b c Portal Amazônia. Amapá FM. Rede Amazônica.
  32. Portal Amazônia. Rede Amazônica lança Portal Radar 10 e Aplicativo da Acre Fm. Rede Amazônica.
  33. a b c CBN Amazônia. Quem Somos. Amazon Sat.
  34. Portal Amazônia. Radar 10. Rede Amazônica.
  35. a b Cabral, E. (2004). Rede Amazônica de Comunicação. Comunicação: Veredas, (3)3, 99-128.
  36. a b Catálogo de Empresas e Produtos Pólo Industrial de Manaus.
  37. a b c Moura, M. & Barbosa, W. (Maio 2013). Um Estudo Sobre a Situação das Webradios de Manaus. Trabalho apresentado no DT 4 – Audiovisual do XII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte, Manaus - AM.
  38. Studio 5. Fale Conosco. Rede Amazônica.
  39. Portal Amazônia. Formação profissional consagra 28 anos da Fundação Rede Amazônica.. Rede Amazônica. Acedido a 21 Novembro 2014.
  40. de Castro, R. C. (2014). A importância dos recuros/atrativos naturais e artificiais para a cidade de Manaus. Aboré, 5(5). Acedida a 21 Novembro 2014.
  41. Portal Amazônia. Museu Rede Amazônica. Rede Amazônica. Acedido a 21 Novembro 2014.
  42. Portal Amazônica. Sebrae Amapá reafirma parceria com Grupo Amazônia Cabo. Rede Amazônica.
  43. Portal Amazônia. Quem Somos. Rede Amazônica.
  44. Portal Amazônia. Amazonas FM. Rede Amazônica.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]