Rede de área de armazenamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Rede de área de armazenamento (em inglês Storage Area Network ou SAN) é uma rede destinada exclusivamente a armazenar dados[1] , ou seja, o conceito de armazenamento de dados em rede.

Tipos[editar | editar código-fonte]

Existem duas variações de SANs:

  1. Uma rede na qual o propósito principal é a transferência de dados entre computadores e dispositivos de armazenamento. Uma SAN consiste em uma infra-estrutura de comunicação que provê conexões físicas com uma camada de gerenciamento, que organiza as conexões, os dispositivos de armazenamento e os computadores, tornando a transferência de dados robusta e segura.
  2. Um sistema de armazenamento formado por dispositivos de armazenamento, computadores e/ou aplicações, e todo um controle via software, comunicando-se através de uma rede de computadores.

Definição[editar | editar código-fonte]

Os storage networks, ou redes de armazenamento, diferenciam-se de outras formas de armazenamento em rede pelo método de acesso em baixo nível que eles apresentam. O tráfego de dados nessas redes é bastante similar àqueles usados internamente em discos, como ATA e SCSI.

Em uma rede de armazenamento, o servidor envia pedidos por blocos específicos ou segmentos de dados de discos específicos. Esse método é conhecido como block storage (armazenamento de blocos). O dispositivo age similarmente a um drive interno, acessando o bloco específico e enviando a resposta através da rede.

Em alguns métodos de acessos de arquivos mais tradicionais, como SMB/CIFS ou NFS, o servidor envia pedidos para um arquivo abstrato como o componente de um grande sistema de arquivos, gerenciados por um computador intermediário. O intermediário, então, determina o local físico do tal arquivo abstrato, obtém acesso a um dos drives internos e, por fim, envia o arquivo completo pela rede.

A maioria das SANs usam o protocolo SCSI para a comunicação entre servidores e dispositivos, embora não usem o baixo nível da interface SCSI.444 e tambem 4450.

Benefícios[editar | editar código-fonte]

Compartilhar o armazenamento normalmente simplifica a administração e proporciona flexibilidade, uma vez que cabos e dispositivos de armazenamento não precisam ser movidos fisicamente para mudar armazenamento de um servidor para outro, por exemplo. Note que, no entanto, com a exceção do sistema de arquivos SAN e clusters, a SAN ainda é de relação um-a-um. Ou seja, cada dispositivo na SAN é de propriedade de um único computador. Oposto a isso, o NAS (Network-Attached Storage) permite que vários computadores acessem ao mesmo conjunto de arquivos em uma rede.

As SANs tendem a aumentar a capacidade de armazenamento, uma vez que múltiplos servidores podem compartilhar a mesma reserva de crescimento.

Outros benefícios incluem a habilidade de permitir que servidores efetuem boot pelo próprio SAN. Isto permite uma rápida e fácil reposição de servidores defeituosos, uma vez que o SAN pode ser reconfigurado para que o servidor de reposição use o LUN (Logical Unit Number, ou número lógico de unidade) do servidor defeituoso. Esse processo pode levar pouco mais de 30 minutos e é uma idéia relativamente nova que está sendo implantada em novos data centers.

As SANs também tendem a ser mais eficazes em processos de recuperação de dados. Uma SAN pode replicar dados de vários servidores para uma área de armazenamento secundária, que pode ser remota ou local.

Tipos[editar | editar código-fonte]

As SANs normalmente são construídos em uma infra-estrutura especialmente projetada para comportar grande tráfego de dados originados de armazenamento. Assim, eles proporcionam um acesso mais rápido e estável do que protocolos de alto-nível como os NAS.

A tecnologia mais comum para SAN é a rede de fibra óptica com o conjunto de comandos SCSI. Os benefícios do SAN são relacionados com o aumento de acessibilidade e a capacidade de gerenciamento dos dados que a tecnologia Fibre Channel oferece. Um canal de fibra óptica SAN padrão é feita de alguns switches que estão interligados, formando uma rede.

Uma alternativa, e mais recente (2003), de protocolo SAN é o iSCSI, que usa o mesmo conjunto de comandos SCSI sobre TCP/IP (e, tipicamente, Ethernet). Nesse caso, os switches, cabos e hubs seriam de protocolo TCP/IP.

Conectados à SAN estarão um ou mais servidores (hosts) e uma ou mais coleções de discos, arquivos de fita ou outros dispositivos de armazenamento.

Existem dois tipos de SANs - SAN centralizado ou SAN distribuído.

Níveis de Raid[editar | editar código-fonte]

As implementações mais comuns são as que dispõem de Raid padrão, como os níveis 1, 5, 6 e 1/0. Algumas famílias apresentam modelos especiais como o vRaid da HP, na linha EVA e o Raid DP, nos equipamentos da NetApp.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Capitalhead (31 de outubro de 2008). SAN vs DAS: A Cost Analysis of Storage in the Enterprise. Página visitada em 30 de abril de 2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre redes de computadores é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.