Rede (empresa)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Redecard)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde março de 2014).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.


Rede S.A
Slogan Estamos Todos Ligados
Tipo Empresa de capital fechado
Indústria Serviços financeiros
Fundação (1996)
Sede Barueri,  Brasil
Proprietário(s) Itaú Unibanco
Pessoas-chave Milton Maluhy Filho CEO
Empregados 1.455
Produtos Meios de pagamento eletrônicos
Lucro Aumento R$ 1.404 bilhões (2011)
LAJIR Aumento R$ 2.262 bilhões (2011)
Faturamento Aumento R$ 3.631 bilhões (2011)[1]
Página oficial www.userede.com.br

Rede (antiga Redecard) (ex-Bovespa: RDCD3) faz parte do grupo Itaú Unibanco e é uma empresa adquirente, sendo uma das responsáveis pela captura, transmissão e liquidação financeira de transações com cartões de crédito das bandeiras Visa, Mastercard, Hipercard, Hiper, Diners, Cabal, Discover, China Union Pay, Aura, Sorocred, Coopercred, Sicredi, Mais!, Calcard, Banescard e Avista! e de débito das bandeiras Mastercard Maestro, Visa Electron, Cabal Débito,Sicredi Débito e de cartões de benefícios para refeição, alimentação, combustível, premiação e outros, das bandeiras Cabal Vale, GreenCard, BNB clube, Nutricash, Planvale, Sapore Benefícios, Sodexo, Sorocred, Ticket, ValeCard, Verocheque e VR no território brasileiro. Oferece diversos produtos e serviços a estabelecimentos comerciais credenciados.

Sede da "Rede" no bairro da Vila Olímpia em São Paulo

História[editar | editar código-fonte]

A história da Rede iniciou-se em 1970, quando o Citibank, o Itaú e o Unibanco (Atualmente Itaú Unibanco) juntaram-se para fundar a Credicard, empresa que exercia simultaneamente as atividades típicas de bandeira, emissor e credenciadora. Em 1980, a Credicard possuía 500 mil cartões emitidos e 120 mil estabelecimentos credenciados. Em 1987, passou a emitir cartões da bandeira MasterCard® e, em 1994, possuía 5 milhões de cartões. Ainda em 1987, lançou o primeiro cartão de débito do mercado brasileiro, o Redeshop. Em 1996, o Citibank, a Itaucard e o Unibanco entenderam ser necessária a especialização dos serviços de credenciamento de estabelecimentos e constituíram a Rede como Redecard, a partir da cisão das atividades de credenciamento da Credicard. No mesmo ano, a MasterCard® International também se tornou acionista da Redecard. Desde então, a Redecard passou a ser a principal credenciadora das bandeiras MasterCard® e Diners Club International® no Brasil.

Logotipo da empresa usado de 1996 a 2013 e ainda com a marca "Redecard".

A Redecard, desde sua constituição, foi líder do Consórcio Redecard, constituído nos termos da Lei das Sociedades por Ações, tendo como membros a Redecard e os acionistas controladores. Os ativos detidos pelo Consórcio Redecard foram integralmente transferidos para a Companhia. O Consórcio Redecard foi extinto em 31 de março de 2007 e, após o seu término, a Companhia assumiu todos os seus direitos e obrigações.

Em junho do mesmo ano a Redecard abriu seu capital na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). As ações foram listadas no segmento Novo Mercado, reservado para empresas comprometidas com práticas diferenciadas de tratamento ao acionista minoritário. Após a abertura de capital, a MasterCard® International vendeu sua participação.

Em outubro de 2012 a Redecard deixou de ser empresa de capital aberto, após o Itaú Unibanco gastar 10,46 bilhões de reais para fechar o capital da empresa.[2] Em Outubro de 2013 mudou seu nome para Rede, com a logomarca mais próxima de seu controlador, o Itaú Unibanco.[3]

Bandeiras[editar | editar código-fonte]

Desde sua criação, a Redecard é uma empresa multibandeira. Por conta disso, não firmou contrato de exclusividade com nenhuma bandeira de cartão de crédito, débito ou de benefícios. Atualmente a companhia possui 25 bandeiras. As maiores são Mastercard e Visa

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências