Referência bibliográfica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2014)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.


Referência bibliográfica é um conjunto de elementos de uma obra escrita (como título, autor, editora, local de publicação e outras) que permite a sua identificação.

A um conjunto de referências bibliográficas, normalmente apresentadas no final de uma obra, dá-se o nome de "referências bibliográficas" ou apenas "referências".

Normas para a língua portuguesa[editar | editar código-fonte]

Não existe uma norma única e rígida para as referências bibliográficas. São adotados (e combinados) diferentes sistemas, não tanto de país para país, mas, sobretudo, conforme os diferentes usos (uso académico, uso para bibliotecas, usos legais, etc.), as áreas científicas (humanidades, engenharias, saúde, etc.), ou as normas de cada instituição.

Nos países lusófonos, tem-se imposto o sistema descrito por Umberto Eco na sua obra Como se faz uma tese e adotado pela União Europeia (UE). No Brasil, a norma NBR 6023 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é largamente usada. Em Portugal, a norma NP 405-1 do Instituto Português da Qualidade é pouco conhecida, sendo mais utilizada por organismos públicos. No meio académico, cada autor goza de grande liberdade, desde que apresente um sistema coerente.

As três normas referidas são muito semelhantes e não há diferenças relevantes entre a NP 405 e a NBR 6023. Contudo, enquanto a norma Umberto Eco/UE prevê apenas o uso de itálico para o título da obra, a NP 405 e a NBR 6023 possibilitam, em alternativa, o uso de negrito. Para além disso, a norma ABNT/NP separa os diferentes elementos com pontos, vírgulas e dois pontos, enquanto a Umberto Eco/UE recorre unicamente à vírgula. Existe, ainda, outra forma de uso, recomendada por Emanuel Araújo, que recorre a vírgulas e a pontos (dispensando os dois pontos).

Exemplos

  • ECO, Umberto, Como se faz uma tese em Ciências Humanas, 6.ª edição, Lisboa, Editorial Presença, 1995. — norma Umberto Eco/UE:
  • ECO, Umberto. Como se faz uma tese em Ciências Humanas. 6.ª edição. Lisboa: Editorial Presença. 1995. — norma da ABNT/NP
  • ECO, Umberto. Como se faz uma tese em Ciências Humanas. 6.ª edição. Lisboa, Editorial Presença, 1995. — norma Emanuel Araújo'

Elementos de uma referência bibliográfica[editar | editar código-fonte]

  • Autoria
Jonathan Balducci
  • Título da obra
os maleficios do barulho a nossa audição
  • Número da edição
12.ª
  • Local de edição
Joinville(S.C.)
  • Editora

FRANCHIM

  • Data de edição
12 de ABRIL DE 2010

Outros elementos possíveis[editar | editar código-fonte]

  • Título do artigo ou capítulo dentro da obra
  • Coleção
  • Indicações sobre a edição original (1.ª edição, edição princeps ou edição crítica)
    • Título na língua original
    • Local de edição
    • Editora
    • Data de edição
  • Indicações sobre a tradução usada
    • Título da tradução
    • Tradutor
    • Local de edição
    • Editora
    • Data de edição
  • Número(s) da(s) página(s) citada(s)
  • Número total de páginas e de volumes
  • ISBN

Ordem dos elementos[editar | editar código-fonte]

Embora alguns autores possam usar outros sistemas, na língua portuguesa a ordenação dos elementos para um livro geralmente é a seguinte (conforme a norma da UE e a da ABNT):

Autoria, Título, N.º de edição, Local, Editora, Código de Barra, Data, N.º de páginas, Tradução e ISBN.

Destaques tipográficos[editar | editar código-fonte]

O título da obra referida deve ser sempre destacado com itálico (existe a possibilidade, pouco usada, de recorrer ao negrito). Se se tratar de um capítulo de uma obra ou artigo em publicação periódica, deve estar entre «aspas».

Maiúsculas e minúsculas[editar | editar código-fonte]

O uso de maiúsculas nos títulos de obras segue a norma tradicional das línguas românicas (apenas a inicial da primeira palavra fica com maiúscula) ou a norma das línguas germânicas (mais complexa). Para mais pormenores, consultar as normas de citação bibliográfica no artigo Caixa alta.

Exemplos:

Local de colocação da referência[editar | editar código-fonte]

Quando, após a citação de um texto, se apresenta a sua referência bibliográfica, ela deve ser apresentada ou em nota de rodapé (o que não é nada aconselhável se houver muitas notas) ou numa bibliografia no final da obra com uma breve chamada junto da citação. Estes sistemas estão pormenorizadamente descritos no artigo Citação.

Quando se trata de referências sem citações explícitas durante o texto, elas devem ser apresentadas no final da obra, num capítulo chamado «Bibliografia» ou no final de cada capítulo (nos casos de capítulos sobre diferentes assuntos).

Exemplos gerais[editar | editar código-fonte]

  • Livro (monografia), segundo a norma Umberto Eco/UE:
Eco, Umberto, Como se faz uma tese em Ciências Humanas, 6. ed. Lisboa: Editorial Presença, 1995.
  • Livro (monografia), segundo a norma ABNT/NP (diferença na pontuação):
Eco, Umberto. Como se faz uma tese em Ciências Humanas. 6. ed. Lisboa: Editorial Presença. 1995.
  • Capítulo de obra, contido no terceiro tomo do volume XII de uma obra colectiva, em que cada volume tem um título diferente do da obra global, (Umberto Eco):
Hymes, Dell, «Anthropology and Sociology», in Sebeok, Thomas A., org., Current Trends in Linguistics, vol. XII, Linguistics and Adjacent Arts and Sciences, t. 3, The Hague, Mouton, 1974, pp. 1445-1475.
ou seja:
Autoria, Título do capítulo, in Nome do organizador da obra, Título da obra, n.º do volume, Nome do volume, n.º do tomo, Local de edição, Editora, Data, páginas citadas.
  • Indicações de tradução (Umberto Eco):
Efron, David, Gesture and Environment, Nova Iorque, King's Crown Press, 1941 (tr. it. de Michelangelo Spada, Gesto, razza e cultura, Milão, Bompiani, 1974).
  • Artigo em publicação periódica (Umberto Eco):
Araújo Pereira, Ricardo, «Porquê ser espanhol quando se pode ser chinês?», Revista Visão, 2.11.2006, p. 177.
  • Website (Umberto Eco):
Homepage oficial de Umberto Eco, Disponível em <http://www.umbertoeco.it/>. Acesso em 28 de mar. de 2008.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]