Refinaria Landulpho Alves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Refinaria Landulpho Alves (RLAM) é uma refinaria localizada no município de São Francisco do Conde, no estado da Bahia, que pertence à Petrobras, com capacidade instalada para 323 mil barris/dia.

Sua área é de 6,4 quilômetros quadrados e a contribuição em impostos de 750 milhões de reais por ano (ICMS).

Seus principais produtos são propano, propeno, iso-butano, gás de cozinha, gasolina, nafta petroquímica, querosene, querosene de aviação, parafinas, óleos combustíveis e asfaltos.

História[editar | editar código-fonte]

A Refinaria de Mataripe começou a ser construída em 1949 e está diretamente ligada à descoberta dos primeiros poços de petróleo no País, precisamente no Recôncavo Baiano. Sua construção formou uma classe operária egressa do trabalho com a pesca e a agricultura, e inaugurou um novo ciclo econômico, com a atividade industrial do refino virando a página da até então reinante agroindústria da cana-de-açúcar. Com a criação da Petrobras, em 1953, a refinaria foi incorporada ao patrimônio da companhia, passando a chamar-se Refinaria Landulpho Alves-Mataripe, em homenagem ao engenheiro e político baiano que muito lutou pela causa do petróleo no País. Como interventor do Estado Novo na Bahia, Landulfo Alves pleiteava desde 1938 a construção de uma refinaria em território baiano, o que só foi autorizado pelo governo federal em 1946.

Em março de 2006, a RLAM alcançou um novo recorde de processamento de petróleo, com 1.348.225 m³ de carga, o que equivale a uma média diária de 43.491 m³ (273.550 barris). Até então, o melhor desempenho mensal da refinaria havia sido registrado em agosto de 2005, com a marca de 1.292.153 m³, equivalente a uma média de 41.682 m³/dia (262.172 barris/dia)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]