Reforma monetária

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O termo reforma monetária descreve qualquer movimento ou teoria que propõe um sistema diferenciado de abastecimento e disponibilidade de dinheiro e financiamento para o sistema econômico atual.[1]

Os reformadores monetários podem defender qualquer das seguintes situações, entre outras propostas:

  • Retorno ao padrão ouro (também padrão prata ou bimetalismo);[2] [3] [4] [5]
  • A emissão de títulos de crédito sem cobrança de juros, com lastro e controle do governo, através de um banco central. O valor de tais créditos livres de juros seriam simplesmente reembolsados, pois seu destino final viria ser para a melhoria de infra-estruturas públicas e investimento privado produtivo. Esta proposta busca superar a acusação de que o dinheiro livre de dívidas causaria inflação;[6] [7] [8]
  • A emissão de crédito social - o dinheiro "livre de dívidas", emitido diretamente do Tesouro - em vez de o fornecimento de "dinheiro fresco" intermediado por um banco central, na forma de títulos remunerados. Estes pagamentos diretos seriam feitas para "reabastecer" ou compensar a população das perdas líquidas. Argumentam, alguns reformadores monetários, que a população sofre com um sistema monetário com várias reservas fracionadas, mitigando acesso ao crédito;[9] [10]
  • A disponibilidade completa do sistema de reservas bancário, o lastro do mercado financeiro, para o sistema bancário privado, como forma de aumentar o crédito e baratear os empréstimos.[11] [12] [13]

Referências

  1. CLARKE, Bill. The Case for Monetary Reform. Bilderberg.org
  2. Sound Money, Lew Rockwell, Mises
  3. Our Money Madness, Lew Rockwell, Mises
  4. The Case for a Gold Dollar, Murray Rothbard, Mises
  5. The Twilight of Irredeemable Debt, Antal E. Fekete, Market Oracle
  6. Brown, Ellen H.. Web of Debt. Baton Rouge, Louisiana: Third Millennium Press, 2007. ISBN 0-9795608-0-2 Página visitada em 2007-12-15.
  7. Stephen A. Zarlenga, The Lost Science of Money AMI (2002)
  8. Market Fundamentalism, Richard C. Cook, Market Oracle
  9. As an example of such groups, see the Social Credit website and the Social Credit School of Studies
  10. Rowbotham, Michael. The Grip of Death: A Study of Modern Money, Debt Slavery and Destructive Economics. [S.l.]: Jon Carpenter Publishing, 1998. ISBN 978-1-897766-40-8
  11. What has Government done to our money?, Murray Rothbard, Mises
  12. The Case for a 100% Gold Dollar, Murray Rothbard, Mises
  13. Free Banking and the Free Bankers, Jörg Guido Hülsmann, Quarterly Journal of Austrian Economics (Vol. 9, No. 1)