Reformador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Reformador é uma revista de divulgação da Doutrina Espírita, editada mensalmente pela Federação Espírita Brasileira (FEB). É uma das mais antigas publicações de seu gênero, em circulação no Brasil.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

O periódico foi lançado em 1883 com o nome de Reformador, por iniciativa do português radicado no Rio de Janeiro, o fotógrafo Augusto Elias da Silva.

À época era impresso como um jornal, com quatro páginas de texto, formato que conservou até dezembro de 1902. O periódico, então com modesta tiragem, vinha a público quinzenalmente. Uma boa quantidade de cada edição era despachada via marítima para Lisboa, onde cumpria idêntica função de divulgação da doutrina no país onde, à época, as mensagens recebidas pelo médium Fernando de Lacerda em Do Paiz da Luz, causavam vivos debates. Note-se que a pequena tiragem sequer cobria as despesas de confecção, em vista de perfazerem os assinantes um número irrisório, de cem a duzentos, sendo o excedente de exemplares, geralmente o dobro, distribuído gratuitamente.

O artigo de fundo do primeiro número afirmava as diretrizes de paz e progresso pelos quais se nortearia o "órgão evolucionista", definindo ainda os "alevantados" objetivos que tinha em vista alcançar. Apresentava-se como mais um "batalhador da paz", armado da tolerância e da fraternidade, e empunhando a bandeira de Ismael.

Sob a direção do então Major Francisco Raimundo Ewerton Quadros, o periódico, em seus primórdios bateu-se pela emancipação dos escravos e pela autonomia do Distrito Federal, afirmando, em diversas edições, não ser digno intitular-se espírita quem quer que possuísse criaturas humanas sob o regime de escravidão.

Sobre esta fase e as dificuldades enfrentadas, ficou registrado:

"Elias da Silva, porém, era de vontade tenaz e inquebrantável, e não seriam as dificuldades de toda ordem, as oposições sectaristas e os sarcasmos de todos os lados que o desencorajariam no empreendimento que lhe dominou o cérebro (...). Elias lançou o Reformador em 21 de janeiro de 1883 (...) com os recursos tirados do seu próprio bolso, situando a redação e oficinas em seu atelier fotográfico (...) onde também residia com sua família."[1]

A 31 de março daquele mesmo ano, vinha a público uma edição especial do Reformador, impressa em papel couché, homenageando Allan Kardec, que, conforme o editorial, "simboliza o alicerce do edifício moral e social que será erguido pela confraternização humana."

A Federação Espírita Brasileira[editar | editar código-fonte]

Com a fundação da Federação Espírita Brasileira, em janeiro de 1884, o periódico foi por ela incorporado, passando a ser o seu principal órgão de divulgação, voltado não apenas para as posições oficiais da entidade, como também para a divulgação de artigos doutrinários, fatos e trabalhos desenvolvidos pelas entidades afiliadas em todo o país. Mais tarde, a FEB transformou o jornal em uma revista.

Até 1 de fevereiro de 1888, o Reformador teve as suas Secretaria e Tesouraria à rua da Carioca, 120/2º andar, local de residência e de trabalho de Elias da Silva. Havendo, por essa época, necessidade de mais espaço para o desenvolvimento daquela publicação, a Diretoria decidiu instalá-lo no prédio nº 17 (depois nº 25) da rua do Clube Ginástico (atual rua Silva Jardim), para onde também se transferiu a sede da Federação Espírita Brasileira, que então se achava à rua do Hospício (atual rua Buenos Aires), nº 102.

A Revista[editar | editar código-fonte]

Com poucas modificações ao longo do tempo, o Reformador mantém algumas seções básicas que tratam dos mais variados aspectos da Doutrina e do Movimento Espírita, no Brasil.

Dentre estas seções, tem-se:

Editorial[editar | editar código-fonte]

Tratando de temas do momento, sobre os quais há uma postura oficial, quer dos responsáveis pela publicação, quer da própria Federação.

Esflorando o Evangelho[editar | editar código-fonte]

Mensagens espirituais, sobre temas evangélicos, trazem textos de teor eminentemente religioso à luz de passagens do Novo Testamento.

Reformador de ontem[editar | editar código-fonte]

Com o título de Reformador de ontem, ensinamento para hoje! são reeditados textos publicados ao longo dos mais de cem anos da Revista.

Seara Espírita[editar | editar código-fonte]

Seção que encerra a revista, com noticiário acerca do Movimento Espírita, no Brasil e no mundo.

Notas

  1. Elias da Silva. in: WANTUIL, Zêus. Grandes Espíritas do Brasil.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Sítio da FEB - histórico, assinatura, downloads.
  • Projeto Reformador - Sítio Universo Espírita - projeto de digitalização da Revista (mais de 40 anos com ao menos uma das edições disponíveis - de 1883 a 2005).
Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.