Região Metropolitana de Natal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Região Metropolitana de Natal
Localização
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Lei LCE 152/97
Data da criação 16 de janeiro de 1997
Número de municípios 10
Cidade-sede Natal
Características geográficas
Área 2 811,210 km²[1]
População 1 454 264 hab. (16º) estimativa IBGE/2013
Densidade 517,31 hab./km²
IDH 0,689 (24º) – médio PNUD/2000{{{idh_ref}}}
PIB R$ 12 665 085,735 mil IBGE/2008[2]
PIB per capita R$ 9 700,95 IBGE/2008[2]

A Região Metropolitana de Natal (RMN), também conhecida como Grande Natal, reúne 10 municípios do estado do Rio Grande do Norte formando a quarta maior aglomeração urbana da Região Nordeste do Brasil, a 15ª maior região metropolitana do país, e a 369ª maior do mundo.[3]

O termo refere-se à extensão da capital potiguar, considerando-se apenas o núcleo urbano, formado por Natal e três de seus municípios limítrofes: Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e Extremoz, que formam uma mancha urbana continua, além de outros municípios próximos sem nenhuma conurbação entre eles: Ceará-Mirim, Macaíba, Monte Alegre, Nísia Floresta, São José de Mipibu e Vera Cruz.

Com uma população estimada em 1 385 186 habitantes[4] — segundo censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2012, a principal dificuldade é a integração das cidades. O transporte coletivo ainda é muito caro e pouco abrangente. Quase a totalidade dos equipamentos urbanos concentram-se ainda em Natal. Existe um projeto para ligar as principais cidades da região metropolitana, a Via Metropolitana.

História[editar | editar código-fonte]

A criação da RMN ocorreu por meio da lei estadual Complementar nº 152, de 16 de janeiro de 1997, inicialmente compreendendo os municípios de Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Ceará-Mirim, Macaíba e Extremoz. Nísia Floresta e São José de Mipibu foram incluídos na RMN desde 10 de janeiro de 2002. Posteriormente, por força da Lei Complementar n° 315, de 30 de novembro de 2005, foi adicionado o município de Monte Alegre. E em 2009, por meio da Lei Complementar Estadual nº 391, de 22 de julho de 2009, é a vez de Vera Cruz integrar a região.[carece de fontes?]

Polêmica

Um projeto de lei de autoria do deputado estadual Arlindo Dantas quer incluir o município de Nova Cruz na região metropolitana,[5] o deputado alegou que a cidade fica somente a 37 km da capital, porém há um equívoco já que o município fica a 96 km da capital e ainda faz divisa com o estado da Paraíba, o que tecnicamente inviabiliza a inclusão do município.[6]

A Região Metropolitana[editar | editar código-fonte]

Natal é a principal cidade e sede da região metropolitana.

Formada por dez municípios, a Região Metropolitana de Natal (RMN) apresenta-se como uma das regiões de maior dinamismo econômico e social do Rio Grande do Norte. Do ponto de vista da urbanização, apresenta uma acentuada diferença, pois a população rural de alguns municípios é superior à população urbana.

A RMN corresponde a 5,16% do território estadual abrangendo uma superfície de 2.722,80 quilômetros quadrados. Sua população (segundo o censo populacional de 2010 do ibge) atingiu 1.350.840 habitantes. Isto já representa 42% da população do Rio Grande do Norte. Além mais, 48% do Produto Interno Bruto do estado vem da região.[7]

O maior município em área territorial é Ceará-Mirim com 739,686 km². Já Vera Cruz é o menor, com 92,117 km².

Juntos, sem a capital, os nove municípios da região metropolitana formam uma população de 567 596 pessoas, segundo a estimativa do IBGE em 2012.[8]

Municípios[editar | editar código-fonte]

Mapa da Região Metropolitana de Natal, com Natal em vermelho, seus municípios limítrofes em azul e os demais municípios da região em verde.
Município Legislação Área (km²)[1] População
(2009)[9]
PIB em R$
(2008)[2]
PIB per capita
(2008)[2]
Natal LCE 152/97 170,298 810,780 8 656 932 10 847,40
Ceará-Mirim LCE 152/97 739,686 68,580 290 640 4 311,15
Extremoz LCE 152/97 125,665 24,550 369 463 16 440,35
Macaíba LCE 152/97 512,487 70,586 608 621 9 311,69
Monte Alegre LCE 315/05 200,000 20,670 80 288 3 872,73
Nísia Floresta LCE 221/02 306,051 23,818 106 919 4 519,93
Parnamirim LCE 152/97 120,202 208,425 1 654 984 9 255,08
São Gonçalo do Amarante LCE 152/97 251,308 89,044 660 111 8 274,56
São José de Mipibu LCE 221/02 293,877 40,149 196 777 5 163,53
Vera Cruz LCE 391/09 92,117 10,725 40 347 3 787,79
Total 2 811,691 1 375 052 12 665 085 9 700,95

Referências

  1. a b IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  2. a b c d Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 12 dez. 2010.
  3. World Gazetteer – Welt: Ballungsräume. Página visitada em 10 de março de 2009.
  4. G1 - Região Metropolitana de Natal tem 1,3 milhão de habitantes
  5. Deputado sugere inclusão de Nova Cruz na Região Metropolitana de Natal (em português). Nominuto.com. ESP Brasil (21 de março de 2009). Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  6. Deputado quer Nova Cruz fazendo parte da região metropolitana (em português). Gazeta. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  7. [1]
  8. G1 - Região Metropolitana de Natal tem 1,3 milhão de habitantes
  9. Estimativas da população para 1º de julho de 2009 (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de agosto de 2009). Página visitada em 16 de agosto de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]