Regiões de Santa Catarina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Este artigo apresenta uma visão geral de diversas regiões de Santa Catarina.

Litoral[editar | editar código-fonte]

Os 500 quilômetros de litoral são um paraíso para quem busca belas praias e o contato com a natureza. Esta região, colonizada por açorianos no século XVIII, tem um relevo recortado, com baías, enseadas, manguezais, lagunas e mais de quinhentas praias. É, ainda, uma das mais importantes áreas de biodiversidade marinha do Brasil. Uma atração turística do Litoral é o Farol de Santa Marta, em Laguna. As principais cidades são Florianópolis, São José, Laguna, Imbituba, Itajaí, Bombinhas, Itapema, Balneário Camboriú e São Francisco do Sul. A pesca e o turismo são atividades econômicas marcantes.

  • Florianópolis, capital e centro administrativo do Estado, é uma cidade privilegiada: situa-se em uma bela ilha oceânica com 523 quilômetros quadrados. Ela é a capital brasileira que oferece melhor qualidade de vida e o terceiro município brasileiro mais visitado por turistas estrangeiros, atrás apenas de Rio de Janeiro e São Paulo. A área do município também inclui uma porção continental, ligada à parte insular por três pontes. Seus 390 mil habitantes convivem com o ritmo ágil de um centro urbano cosmopolita e com a tranqüilidade dos vilarejos construídos pelos colonizadores açorianos. As cem praias da cidade são em sua maioria limpas e próprias para banho.

Nordeste[editar | editar código-fonte]

Com forte tradição germânica, o Nordeste do estado concilia uma economia dinâmica com o respeito à natureza exuberante. Indústrias do ramo eletro-metal-mecânico dividem espaço com as densas florestas da Serra do Mar e as águas da Baía de Babitonga. A região tem alto poder aquisitivo e excelente qualidade de vida. Suas principais cidades são Joinville (a maior de Santa Catarina, com 500 mil habitantes), Jaraguá do Sul e São Francisco do Sul (um dos principais portos do sul do Brasil).

Vale do Itajaí[editar | editar código-fonte]

Um "pedacinho da Alemanha" encravado em Santa Catarina. Assim é o Vale do Itajaí, situado entre a Capital e o Nordeste do estado. A herança dos pioneiros germânicos deixou marcas na arquitetura em estilo enxaimel, na culinária e nas festas típicas, nos jardins bem cuidados e na força da indústria têxtil. Sua paisagem de morros, matas, rios e cachoeiras é um forte atrativo para os ecoturistas. Os principais municípios são Blumenau, Pomerode, Itajaí, Balneário Camboriú, Ituporanga, Brusque, e Rio do Sul.

Planalto Norte[editar | editar código-fonte]

Nesta região, rica em florestas nativas e provenientes de reflorestamento, concentra-se o pólo florestal catarinense - o mais expressivo da América Latina, abrangendo indústrias madeireiras, moveleiras, de papel e papelão. Os principais municípios são Rio Negrinho, São Bento do Sul, Canoinhas, Corupá, Mafra, Três Barras e Porto União.

Planalto Serrano[editar | editar código-fonte]

O frio e o turismo rural são os grandes atrativos desta região, que tem como atividades econômicas a pecuária e a indústria florestal. Por conta das paisagens bucólicas e da neve que se precipita em algumas cidades, todos os anos o Planalto recebe milhares de visitantes no inverno. A estrada da Serra do Rio do Rastro, que desce em curvas sinuosas de uma altitude de 1.467 metros até o nível do mar, é uma atração à parte. Os principais municípios são Lages, São Joaquim, Urubici e Bom Jardim da Serra.

Sul[editar | editar código-fonte]

O jeito simples de viver dos descendentes de imigrantes italianos é uma característica marcante da região. Quem a visita pode conhecer de perto as vinícolas e apreciar a cultura italiana em festas típicas. Extrativismo mineral e indústria cerâmica são as principais atividades econômicas. O Sul do Estado tem estações hidrotermais e cânions ricos em biodiversidade. Suas principais cidades são Criciúma, Tubarão, Gravatal, Araranguá e Urussanga.

Meio-Oeste[editar | editar código-fonte]

Nesta região de morros ondulados localizada no centro do Estado situam-se comunidades de pequeno e médio porte, colonizadas por imigrantes italianos, alemães, austríacos e japoneses. Sua atividade econômica está baseada na agroindústria, criação de bovinos e produção de maçã. Também há indústrias expressivas do pólo metalmecânico. As principais cidades são Joaçaba, Videira, Caçador, Treze Tílias, Curitibanos, Fraiburgo e Campos Novos, e com destaque para Caçador que é um importante polo cultural e comercial. Com muitas industrias em vários ramos e atividades,sendo assim a cidade com a maior economia da região.

Oeste[editar | editar código-fonte]

Os campos do Oeste são o "celeiro" de Santa Catarina, de onde sai boa parte da produção brasileira de grãos, aves e suínos. Frigoríficos de grande e médio porte estão associados aos produtores rurais em um modelo bem-sucedido de integração: as empresas fornecem insumos e tecnologia e compram a produção de animais. A região também começa a explorar o potencial turístico de suas fontes hidrotermais. Os principais municípios são Chapecó, Xanxerê, Concórdia e São Miguel do Oeste.


Bandeira do Estado de Santa Catarina
Santa Catarina
História • Política • Subdivisões • Geografia • Demografia • Etnias • Economia • 
Cultura • Esportes • Turismo • Portal • Imagens