Rehab (canção de Amy Winehouse)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Rehab"
Single de Amy Winehouse
do álbum Back to Black
Lado B "Do me Good"/"Close to Front"
Lançamento 20 de outubro de 2006 (2006-10-20)
Formato(s) CD single, download digital, vinil
Gênero(s) R&B
Duração 3:32
Gravadora(s) Island
Composição Amy Winehouse
Produção Mark Ronson
Cronologia de singles de Amy Winehouse
Último
Último
"Pumps"/"Help Yourself"
(2004)
"You Know I'm No Good"
(2007)
Próximo
Próximo
Amostra de áudio
informação do ficheiro · ajuda

"Rehab" é uma canção gravada pela cantora e compositora britânica Amy Winehouse para o seu segundo álbum de estúdio, Back to Black (2006). A sua composição foi realizada pela própria artista e sua produção ficou a cargo de Mark Ronson. Descrita como a canção assinatura de Winehouse,[1] foi lançada como o primeiro single do disco em 20 de outubro de 2006 na Irlanda e três dias depois no Reino Unido, através da editora discográfica Island Records. Derivada do R&B contemporâneo com elementos de soul e jazz dos anos 1960, "Rehab" tem como temática lírica a sua recusa em ser internada em um centro de desintoxicação, mesmo depois de o seu empresário musical insistir em interná-la.

A obra recebeu comentários bastante positivos por parte da crítica especializada, que deu ênfase à sua letra autobiográfica, ao seu refrão e à sua sonoridade Motown semelhante às músicas dos grupos femininos dos anos 1950 e 1960. Comercialmente, também obteve um desempenho exitoso. No Reino Unido, ela estreou na 19.ª colocação da lista oficial das mais vendidas e obteve como posição mais elevada o número sete. Nos Estados Unidos, conseguiu a nona posição da Billboard Hot 100, acompanhados pelos terceiro e segundo lugares da Hot Dance Airplay e Dance Singles Sales, respectivamente. No mercado internacional, obteve desempenho semelhante, figurando entre as 25 primeiras posições das tabelas musicais de países como Alemanha, Áustria, França e Nova Zelândia, e conseguindo atingir as dez melhores posições em países como Canadá, Dinamarca e Espanha, liderando apenas as paradas da Hungria e Noruega.

O tema foi nomeado em várias listas de fim de ano como uma das melhores músicas lançadas entre 2006 e 2007, em reconhecimento ao trabalho da intérprete, e recebeu, ainda, indicações a várias premiações ao redor do mundo, inclusive ao Grammy Awards na sua 50.ª edição, onde conquistou três troféus: "Canção do Ano", "Gravação do Ano" e "Melhor Performance Vocal Pop Feminina". Como forma de divulgação, Amy Winehouse apresentou "Rehab" em diversos programas de televisão, como Late Show e Top of the Pops, e relançou-a em um remix na América do Norte com o rapper Jay-Z.

Antecedentes, desenvolvimento e composição[editar | editar código-fonte]

Mark Ronson foi responsável pela produção e ideia da composição de "Rehab".

Amy Winehouse começou a elaborar um novo material após finalizar os seus trabalhos com o seu álbum de estreia, Frank (2003), em novembro de 2005. No entanto, as sessões de desenvolvimento do projeto foram interrompidas nesse mesmo mês, devido aos problemas que a cantora estava enfrentando. A artista retornou aos estúdio apenas seis meses mais tarde, em março de 2006, quando gravou uma nova canção para o álbum, "Wake Up Alone".[2] Nessa mesma época em que voltara a realizar novas gravações, ela passou por um período de abuso de álcool e drogas pesadas, que resultou em uma perda de peso drástica.[3] Os seus empresários musicais, então, decidiram levá-la para a Priory Clinic, um centro de reabilitação em Londres.[4] Numa entrevista com o periódico britânico The Sun, Winehouse disse:

Meus empresários resolveram parar de segurar as pontas para mim e me comunicaram que iam me levar ao centro de reabilitação. Perguntei a meu pai se ele achava que eu deveria ir. Ele disse que não, mas que valeria a pena tentar. Eu fui por quinze minutos. Entrei, cumprimentei e expliquei que bebia porque estava apaixonada e o relacionamento tinha acabado. Então, fui embora.[5]

Eu costumava escutar um monte de coisas tipo Beastie Boys, queria escrever toneladas de canções irônicas como aquelas, de modo que foi realmente fácil fazer alguma coisa como 'Rehab'.

— Amy Winehouse sobre um dos artistas que influenciou a composição.[4]

Depois desse episódio, a cantora mudou de equipe de produção e retornou a Nova Iorque, para dar continuidade à gravação do seu novo disco.[6] Conversando com Mark Ronson enquanto andava pelas ruas da cidade, ela comentou: "Você sabe que eles tentaram me fazer ir à reabilitação, mas eu disse não, não, não".[7] Depois de ouvir isso, Ronson teve a ideia da composição e apresentou-a à artista, que escreveu a canção em apenas três horas, gravando-a em seguida.[8]

"Rehab" é creditada como uma gravação de R&B contemporâneo com influências de soul e jazz dos anos 1960.[9] Inicialmente, a cantora planejava abordar na canção somente o blues dos anos 1950, mas Ronson sugeriu-lhe uma sonoridade diferente, como R&B e que se assemelhasse aos grupos femininos dos anos 60, e Winehouse acabou por concordar, incluindo também elementos de outros estilos à composição.[10] A sua gravação decorreu em março de 2006 nos estúdios Daptone Studios, em Miami, na Flórida, Chung King Studios, em Nova Iorque, e Metropolis Studios, em Londres, Inglaterra, sob a produção de Mark Ronson.[11] Musicalmente, é influenciada pela banda Beastie Boys e pelos cantores Ray Charles e Donny Hathaway, os últimos notados por serem mencionados na letra da canção como "Ray" e "Mr. Hathaway",[12] enquanto a sua letra fala sobre as tentativas de seus empresários em levá-la a um centro de reabilitação para tratar o seu alcoolismo e a recusa de Amy Winehouse em ser internada.[13] O seu instrumental consiste no uso de trompetes, sinos, saxofone, pianos, harpas e órgão Wurlitzer.[14]

De acordo com a partitura publicada pela Sony/ATV Music Publishing, a faixa foi composta em uma clave de dó maior, com 151 batidas por minuto e o vocal de Winehouse varia entre as notas G3 e F4, com sequência básica de Dó-Sol-Fá#7.[15]

Lançamento e divulgação[editar | editar código-fonte]

A divulgação de "Rehab" iniciou-se juntamente com a de Back to Black, em setembro de 2006, no site oficial da cantora, onde foi liberado o vídeo musical da canção.[16] Mais tarde, foi revelada a data de lançamento do single no Reino Unido, 23 de outubro.[17] A divulgação do tema também ocorreu através da East Village Radio de Mark Ronson, em Manhattan, Nova Iorque, onde um teaser de alguns segundos da canção começou a tocar na estação do produtor.[16]

Após lançá-la oficialmente, Winehouse esteve em vários programas de televisão apresentando a canção em forma de divulgação de Back to Black, sendo que o single também foi adicionado no repertório da turnê promocional do álbum. A primeira foi feita na noite 27 de outubro de 2006, quando ela interpretou "Rehab" no programa musical britânico Top of the Pops.[18] Sete dias depois, em 3 de novembro, a cantora executou-a no Later Show de Jools Holland, juntamente com "Tears Dry on Their Own".[19] Mais tarde, em 24 de novembro, foi convidada para interpretá-la novamente no Little Noise Sessions.[20]

Em fevereiro de 2007, Amy Winehouse foi escalada para se apresentar no BRIT Awards, onde ela realizou uma performance de "Rehab".[21] No mês seguinte, a intérprete fez a sua primeira aparição em uma rede de televisão estadunidense, através do programa Late Show, de David Letterman, da CBS, onde interpretou a composição.[22] Três meses depois, apresentou-se na cerinmônia MTV Movie Awards de 2007, executando novamente a canção, sendo que a sua performance obteve críticas positivas por parte dos analistas e do público.[23] A cantora também a executou na 50.ª edição dos Grammy Awards, em fevereiro de 2008, em conjunto com o seu segundo single, "You Know I'm No Good", após vencer cinco troféus na premiação, três deles com "Rehab".[24]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Daily Record 5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svg[25]
About.com 5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svg[26]
Stylus Magazine (6.7/10)[27]
Gigwise 9 de 10 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg[28]

Após o seu lançamento, "Rehab" recebeu análises positivas por parte dos profissionais especializados. Hillary Brown, da página on-line Stylus Magazine, por exemplo, concedeu à composição oito de dez pontos e descreveu a melodia da canção como poderosa, ao passo que Jonathan Bradley, da mesma publicação, atribuiu-lhe a pontuação máxima e apelidou-a de "eufórica".[27] Mais tarde, a equipe da revista catalogou-a na 34.ª posição da lista "Melhores Músicas de 2006".[29] John Dingwall escreveu no tabloide escocês Daily Record que "Rehab" combina uma melodia cativante com letras inteligentes.[25] Bill Lamb, editor do portal About.com, definiu-a como divertida, cativante e comovente, afirmando: "'Rehab' é absolutamente contagiante".[26] Numa matéria publicada pelo jornal norte-americano The A.V. Club, Nathan Rabin comentou: "Qualquer cantor pode optar por sair da reabilitação (pergunte a Britney Spears), mas é preciso um par especialmente gigantesco do que Stephen Colbert tem indelevelmente (e indelicadamente) apelidado de 'bolas femininas' para transformar uma teimosa recusa a procurar ajuda numa música de sucesso".[30] [A]

Editores do tabloide inglês The Guardian compararam os vocais da cantora no decorrer da canção aos de Nina Simone e sentiram que o tema revive o jubiloso som do início dos anos 1960, mas reconheceram a modernidade da obra, afirmando que ela traz algo surpreendentemente novo, concluindo: "'Rehab' é uma canção excelente".[31] John Murphy declarou na revista eletrônica MusicOMH: "É Motown reescrito para o século XXI, e é absolutamente brilhante".[32] Christian Hoard, da revista Rolling Stone, definiu a canção como: "Um vencedor do estilo Motown com um ritmo estrondoso".[33] Josh Tyrangiel, repórter da revista Time, apontou-a como o melhor lançamento do ano, e alegou: "O que ela é, é tagarela, divertida, sensual, e possivelmente muito louca (...) É impossível não ser seduzido pela sua originalidade. Combine-a com a produção de Mark Ronson, que faz referência a quatro décadas de música soul sem a manchar, e você obtém a melhor música de 2007".[34]

A edição brasileira da Rolling Stone também colocou "Rehab" no topo da lista "Melhores Músicas Internacionais de 2007", declarando: "Há muito tempo o mundo da música pop não nos atingia com tamanha força subversiva: o contraste entre a produção retrô e o refrão desafiador de fala arrastada é hilário no começo — depois, deixa a gente arrasado. Amy é certamente a artista de 2007".[35] Jimmy Newlin, da Slant Magazine, também prezou a composição e colocou-a na vice-liderança da lista "Melhores Músicas de 2007", dizendo: "É a melhor faixa de neo soul de sempre".[36] A obra ainda figurou na lista "Melhores Canções dos Anos 2000", do website Yahoo! Music, onde Marshall Fish colocou-a na quarta posição,[37] enquanto Neil McCormick, do tabloide The Daily Telegraph, elegeu-a a canção mais influente da década e editores da Rolling Stone colocaram-na no número oito na sua lista "Melhores Músicas da Década de 2000", em 2011.[38] [39]

Além da análise crítica, "Rehab" também obteve destaque em várias premiações ao redor do mundo. Em 2007, o single obteve os troféus de "Melhor Canção Contemporânea" no Ivor Novello Awards e "Canção do Ano" no MOJO Awards.[40] [41] Foi, ainda, indicado em três categorias à 50.ª edição dos Grammy Awards: "Canção do Ano", "Gravações do Ano" e "Melhor Performance Vocal Pop Feminina", vencendo em todas.[24] A obra também concorreu à categoria "Melhor Canção" na premiação MOBO Awards , mas acabou perdendo o troféu para "Because of You" (2007) de Ne-Yo.[42]

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

O vídeo da canção foi gravado no início de 2006 e disponibilizado para visualizações no site oficial da cantora, em 25 de setembro do mesmo ano, enquanto no Youtube foi liberado apenas em 2009, através do canal de Winehouse no serviço Vevo.[43] Foi dirigido por Phil Griffin e possui os integrantes da banda de Amy Winehouse tocando os seus instrumentos, enquanto a artista interpreta a música nos diferentes cômodos de um apartamento.[44] Todos estão vestidos com roupões e pijamas ao longo do vídeo.[45] Começa com Winehouse a sair da cama e depois indo ao banheiro. No segundo versículo, ela está em uma cadeira com um psiquiatra no escritório. O vídeo termina com a cantora na reabilitação, sentada em uma cama e com a sua banda ao seu redor.[46]

Em 31 de março de 2007, o vídeo estreou no programa Total Request Live, da MTV, e mais tarde chegou à primeira posição dos mais visualizados,[47] conseguindo a terceira posição da Hot Video Clips, da revista Billboard,[48] e a segunda do VH1 Soul, do canal VH1.[49] O teledisco foi indicado à premiação MTV Video Music Awards de 2007 na categoria "Video do Ano", mas veio a perder o troféu para "Umbrella" (2007), da cantora barbadense Rihanna.[50]

Faixas e versões[editar | editar código-fonte]

"Rehab" foi lançada através de download digital em lojas como Amazon.com e iTunes, e em formato físico. Na América do Norte, a música foi relançada em um remix com o rapper Jay-Z.[51] Além disso, foi disponibilizada nos Estados Unidos como um extended play (EP), que contém além da versão original da música, a versão com Jay-Z e uma outra canção, "Close To The Front".[52]

Extended play (EP) digital dos Estados Unidos
N.º Título Duração
1. "Rehab"   3:34
2. "Close To The Front"   4:34
3. "Rehab (Hot Chip Remix)" (Jay-Z's Remix) 3:52

Créditos[editar | editar código-fonte]

Lista-se abaixo os profissionais envolvidos na elaboração de "Rehab":[14]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

"Rehab" fez a sua estreia nas tabelas musicais na Irlanda, através da IRMA Singles Chart, na 26.ª colocação da edição de 26 de outubro de 2006, tendo pico de número 21 nesta lista.[53] Dois dias depois, debutou na 19.ª posição da parada musical do Reino Unido, a UK Singles Chart, com mais de seis mil cópias digitais comercializadas nos seus primeiros sete dias de distribuição.[54] Na edição de 4 de novembro, saltou para o número sete, com outras catorze mil unidades vendidas, tornando-se o primeiro trabalho de Winehouse a conseguir enumerar-se dentre os dez primeiros lugares da tabela britânica.[55] Na semana seguinte, conseguiu manter-se no sétimo posto, com mais treze mil exemplares faturados, caindo do sétimo lugar no dia 18 do mesmo mês.[56] Após oscilar entre os 45 registros mais bem vendidos da lista, retornou ao top vinte na sua décima segunda semana, ao saltar do número 25 ao vinte, com mais de cinco mil cópias exportadas.[57] Quatro semanas mais tarde, regressou às vinte primeiras posições da parada, ao vender mais de sete mil cópias e apresentar um salto da 22.ª colocação para a 18.ª.[58] De acordo com a Official Charts Company (OCC), "Rehab" havia vendido 162 mil unidades em território britânico, até junho de 2007.[59] O single é o segundo mais bem vendido da carreira de Amy Winehouse no país — atrás apenas de "Valerie", um cover da banda The Zutons, originalmente lançado em 2006.[60]

Na América do Norte, "Rehab" estreou na 91.ª posição da Billboard Hot 100 dos Estados Unidos e na 65.ª da lista publicada pela Music Canada, em 31 de março de 2007.[61] Após oito semanas nas posições inferiores da parada estadunidense, o single saltou da 48.ª colocação para a décima, com 78 mil cópias digitais vendidas,[62] conseguindo atingir, na edição seguinte, a sua posição máxima como número nove.[63] Simultaneamente, classificou-se no 12.º lugar na compilação genérica Pop Songs e ocupou o terceiro posto da Hot Dance Airplay,[64] [65] ao passo que na Digital Songs enumerou-se na sétima colocação, conquistando a sua posição pico nesta última na contagem de 1.º de março de 2008, ao vender 77 mil cópias e saltar do número sessenta ao seis.[66] Em fevereiro de 2010, a Recording Industry Association of America (RIAA) premiou a canção com a certificação de disco de platina, referente à comercialização de dois milhões de unidades.[67]

Na Europa, a canção desempenhou-se na terceira posição da Euro Digital Songs, qualificando-se, ainda, entre os 25 primeiros lugares na Alemanha, na Áustria, na Bélgica, na Espanha, na Finlândia, na França e na Suíça. Na Dinamarca, "Rehab" debutou na 32.ª colocação da lista compilada pela IFPI Dinamarca e chegou à sua posição mais elevada como número cinco. Desde então, a composição foi classificada como disco de platina, por exportar mais de dez mil unidades no país.[68] Além disso, foi condecorada com disco de ouro na Nova Zelândia, onde conseguiu o número doze como posição máxima na Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ). Na Noruega, o tema estreou no 19.º posto em fevereiro de 2007, e obteve a liderança quatro semanas depois, onde permaneceu durante cinco edições consecutivas.[69] Obteve um desempenho semelhante na Hungria, onde conseguiu a primeira posição em dezembro de 2007, mantendo-se no topo durante duas semanas.[70]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

"Rehab" foi enviada às estações de rádio irlandesas em 20 de outubro de 2006. O tema também foi comercializado como CD single e maxi single. Três dias depois, a obra foi disponibilizada nos mesmos formatos em solo britânico e em download digital. Em território estadunidense, também foi lançada em formato de extended play (EP) digital.

País Data Formato Gravadora
 Irlanda 20 de outubro de 2006 Download digital[107] Island Records
CD single[108]
23 de outubro de 2006 Maxi single[109]
 Reino Unido
CD single[108]
6 de novembro de 2006 Vinil[110]
 Estados Unidos 17 de março de 2007 Download digital[111] Universal Music
Extended play (EP) digital[52]
5 de junho de 2007 Download digital (Jay-Z's Remix)[112]

Referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  1. Newkey-Burden, Chas. Amy Winehouse Biografia (em português). BrasilEditora Globo, 2008. ISBN 978-85-250-4580-5

Notas de rodapé[editar | editar código-fonte]

  1. Leah Greenblatt (2 de agosto de 2011). Amy Winehouse: 10 Best Singles (em inglês) Entertainment Weekly. Página visitada em 2 de outubro de 2012.
  2. Caspar Llewellyn Smith (31 de outubro de 2011). New Amy Winehouse album to be released (em inglês) The Guardian. Página visitada em 2 de agosto de 2011.
  3. Clemmie Moodie (27 de julho de 2006). Amy, the artist formerly known as buxom (em inglês) Daily Mail. Página visitada em 2 de outubro de 2012.
  4. a b Newkey-Burden, Chas. Amy Winehouse Biografia (em português). BrasilEditora Globo, 2008. ISBN 978-85-250-4580-5
  5. Nick Johnstone (24 de julho de 2011). Biografia de Amy Winehouse explica história de "Rehab" (em português brasileiro) Folha.com. Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  6. John Dingwall (27 de outubro de 2006). Wine and poses (em inglês) Daily Mail. Página visitada em 2 de outubro de 2012.
  7. Terra Networks (20 de julho de 2012). Amy Winehouse compôs 'Rehab' em três horas, diz pai (em português brasileiro). Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  8. Terra Networks (20 de julho de 2012). Amy Winehouse compôs 'Rehab' em três horas, diz pai (em português brasileiro). Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  9. Chris Elwell-Sutton (20 de outubro de 2006). CDs of the week: Amy Winehouse – Back To Black (em inglês) Evening Standard. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  10. Chris Harris (4 de fevereiro de 2008). Amy Winehouse's 'Rehab,' 'The Theme Song Of Modern-Day Celebrity Trash Culture': Behind The Grammys (em inglês) MTV. Página visitada em 6 de novembro de 2013.
  11. Intermix Media, Inc. Amy Winehouse ‎– Rehab CD - Import (em inglês) CD Universe. Página visitada em 6 de novembro de 2013.
  12. Christopher John Farley (9 de maio de 2007). A New British Invasion? (em inglês) The Wall Street Journal. Página visitada em 12 de março de 2013.
  13. BBC Brasil (23 de julho de 2011). Relembre a elogiada e curta carreira de Amy Winehouse (em português brasileiro) British Broadcasting Corporation. Página visitada em 3 de fevereiro de 2013.
  14. a b Zinc Media, Inc. Amy Winehouse ‎– Back to Black » Credits (em inglês) Discogs. Página visitada em 6 de novembro de 2013.
  15. Amy Winehouse - Rehab Sheet Music (em inglês) Musicnotes.com. Sony/ATV Music Publishing. Página visitada em 21 de novembro de 2011.
  16. a b Zimbio, Inc (24 de julho de 2011). The Amy Winehouse History (em inglês) Livingly Media. Página visitada em 28 de dezembro de 2013.
  17. AmyWinehouse.com (3 de setembro de 2006). Amy Winehouse - New album 'Back to Black' out 30 October (em inglês). Página visitada em 16 de janeiro de 2013.
  18. Top of the Pops (27 de março de 2009). Queens of British Pop - Video - Amy Winehouse - Rehab Live On Top Of The Pops 2006 (em inglês) BBC 2. Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  19. Later with Jools Holland (3 de novembro de 2006). Later with Jools Holland - 3 Nov. 2006 (em inglês) BBC 2. Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  20. Adrian Larkin (23 de novembro de 2011). Little Noise Sessions: We look back on the success of the charity gigs (em inglês) BBC 2. Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  21. James McLaren (21 de fevereiro de 2012). Tom Jones and Stereophonics Brits duet tops poll (em inglês) BBC Music. Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  22. BBC News (22 de março de 2007). Winehouse cracks US album chart (em inglês). Página visitada em 19 de setembro de 2013.
  23. Eric Ditzian (27 de maio de 2009). Amy Winehouse Barely Made It To 2007 MTV Movie Awards Performance (em inglês) MTV Networks. Página visitada em 17 de setembro de 2013.
  24. a b Jeff Leeds (11 de fevereiro de 2008). Amy Winehouse Wins Big at Grammy Awards (em inglês) The New York Times. Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  25. a b John Dingwall (27 de outubro de 2006). Single Review: Amy Winehouse - Rehab (em inglês) Daily Record. Página visitada em 6 de maio de 2013.
  26. a b Bill Lamb (29 de outubro de 2007). Single Review: Amy Winehouse - Rehab (em inglês) About.com. Página visitada em 6 de maio de 2013.
  27. a b Jonathan Bradley e Hillary Brown (31 de dezembro de 2006). Warm Horn Ripples - The Singles Jukebox (em inglês) Stylus Magazine. Página visitada em 20 de março de 2013.
  28. Alicia Rose (20 de outubro de 2006). Track Review: Amy Winehouse - Rehab (em inglês) Gigwise. Página visitada em 20 de março de 2013.
  29. Todd Hutlock (11 de dezembro de 2006). Stylus Magazine’s Top 50 Singles of 2006 (em inglês) Stylus Magazine. Página visitada em 20 de março de 2013.
  30. Nathan Rabin (13 de março de 2007). Amy Winehouse - Back to Black (em inglês) The A.V. Club.. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  31. Guardian Media Group (8 de fevereiro de 2008). Rehab is one great song (em inglês) The Guardian. Página visitada em 20 de março de 2013.
  32. John Murphy (30 de outubro de 2006). Album Review: Amy Winehouse – Back To Black (em inglês) MusicOMH. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  33. Christian Hoard (6 de fevereiro de 2007). Amy Winehouse - Back to Black (Republic Records) (em inglês) Rolling Stone. Wenner Publishing. Página visitada em 20 de março de 2013.
  34. Josh Tyrangiel (9 de dezembro de 2007). Top 10 Everything of 2007 - Top 10 Songs (em inglês) Time. Página visitada em 6 de maio de 2013.
  35. Rolling Stone Brasil (16 de janeiro de 2008). 50 Melhores Músicas de 2007 (em inglês) Rolling Stone. Wenner Publishing. Página visitada em 20 de março de 2013.
  36. Jimmy Newlin (15 de dezembro de 2007). The Best Albums & Singles of 2007 (em inglês) Slant Magazine. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  37. Marshall Fish (23 de dezembro de 2009). Top 10 Pop Songs of the Decade (em inglês) Yahoo! Music. Página visitada em 6 de maio de 2013.
  38. Neil McCormick (18 de setembro de 2009). 100 songs that defined the Noughties (em inglês) The Daily Telegraph. Página visitada em 6 de maio de 2013.
  39. Wenner Publishing (17 de junho de 2011). 100 Best Songs of the 2000s: Amy Winehouse - Rehab (em inglês) Rolling Stone. Página visitada em 10 de janeiro de 2013.
  40. BBC News (24 de maio de 2007). Ivor Novello winners 2007 (em inglês) British Broadcasting Corporation. Página visitada em 23 de maio de 2013.
  41. BBC Radio Music (18 de junho de 2007). Mojo Awards 2007: Amy Winehouse, Alice Cooper, Ozzy Osbourne and The Good, The Bad and The Queen, all celebrated as they headed up the 2007 MOJO Honours List (em inglês) British Broadcasting Corporation. Página visitada em 23 de maio de 2013.
  42. BBC News (19 de setembro de 2007). Mobo Awards 2007: Winners in full (em inglês) British Broadcasting Corporation. Página visitada em 23 de maio de 2013.
  43. Julian LS. Amy Winehouse Music Videos - Rehab (em inglês) iTunes. Apple Computer, Inc. Página visitada em 1 de dezembro de 2013.
  44. Guilherme Bryan (24 de julho de 2011). Os videoclipes de Amy Winehouse (em português) Yahoo! Brasil. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  45. Gil Kaufman (5 de setembro de 2007). Amy Winehouse's 'Rehab' Was Really Just A Decrepit London Building: VMA Lens Recap (em inglês) MTV Networks. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  46. MTV Networks (5 de novembro de 2007). Amy Winehouse - Videos » Rehab (em inglês) MTV Music Videos. Página visitada em 23 de maio de 2013.
  47. (2 de Junho de 2007) "Billboard On The Charts". Billboard 119, N.º 22: 96. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  48. (30 de Junho de 2007) "Billboard On The Charts". Billboard 119, N.º 26: 61. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  49. (25 de Agosto de 2007) "Billboard On The Charts". Billboard 119, N.º 34: 65. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  50. Wenner Publishing (7 de agosto de 2007). 2007 MTV Video Music Awards Nominations Are In... (em inglês) Rolling Stone. Página visitada em 23 de maio de 2013.
  51. Gil Kaufman (26 de abril de 2007). Jay-Z Goes To 'Rehab' With Amy Winehouse For 'Wicked' Remix (em inglês) MTV Networks. Página visitada em 1 de dezembro de 2013.
  52. a b Apple Computer, Inc.. Amy Winehouse - Rehab - EP (em inglês) iTunes. Página visitada em 1 de dezembro de 2013.
  53. IRMA Albums Chart. Top 75 Artist Single, Week Ending 26 October 2006 (em inglês) Irish Recorded Music Association. Página visitada em 23 de abril de 2013.
  54. Intent Media (22 de outubro de 2006). Single and album sales fall (em inglês) Music Week. Official Charts Company. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  55. Intent Media (30 de outubro de 2006). Mixed sales leave Robbie holding top spot on albums chart (em inglês) Music Week. Official Charts Company. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  56. Intent Media (5 de novembro de 2006). Girls Aloud topple Robbie from album summit (em inglês) Music Week. Official Charts Company. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  57. Intent Media (7 de janeiro de 2007). Take That claim first 2007 number one album (em inglês) Music Week. Official Charts Company. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  58. Intent Media (25 de fevereiro de 2007). Mika loses chart grip (em inglês) Music Week. Official Charts Company. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  59. Intent Media (25 de junho de 2007). White Stripes top albums chart (em inglês) Music Week. Official Charts Company. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  60. Robert Copsey (23 de julho de 2012). Amy Winehouse biggest-selling singles announced (em inglês) Digital Spy. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  61. Katie Hasty (22 de março de 2007). Fergie Scores Second 'Glamorous' Week At No. 1 (em inglês) Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  62. Jonathan Cohen (14 de junho de 2007). Rihanna's 'Umbrella' Reigns Again Atop Hot 100 (em inglês) Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  63. Jonathan Cohen (21 de junho de 2007). Rihanna Fends Off Shop Boyz Again To Lead Hot 100 (em inglês) Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  64. a b (16 de Junho de 2007) "Billboard Hot Dance Airplay". Billboard 119, N.º 24: 49. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  65. (30 de Junho de 2007) "Billboard Pop Songs". Billboard 119, N.º 26: 58. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  66. (1.º de Março de 2008) "Byte-Sized Gains: Digital Sales Add To Awards Show Haul". Billboard 120, N.º 9: 5. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  67. Keith Caulfield (23 de julho de 2012). Amy Winehouse's Death Led to Surge in Sales, Chart Moves (em inglês) Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  68. 2007 - Denmark Singles Top 40, 9th February 2007 (em dinamarquês) IFPI Dinamarca. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  69. a b VG-lista » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em norueguês) IFPI Noruega. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  70. a b Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em húngaro) Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  71. 5FM (11 de março de 2007). MediaGuide » Alternative Specialty Top 20 Songs (em africano) MediaGuide. Página visitada em 1 de novembro de 2013.
  72. Media Control Charts » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em alemão) Media Control Charts. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  73. ARIA Charts » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  74. Nielsen Business Media, Inc. Ö3 Austria Top 40 » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em alemão) Billboard.. Página visitada em 27‎ de ‎outubro‎ de ‎2012.
  75. Airplay Chart top 50 » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em alemão) BEA. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  76. Airplay Chart top 40 » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em francês) BEA. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  77. (Setembro de 2011) "Brasil Hot 100 Airplay". Billboard Brasil 23: 96. Crowley Broadcast Analysis. BBP. ISSN 977-217605400-2.
  78. (11 de Agosto de 2007) "Billboard Canadian Hot 100". Billboard 119, N.º 32: 50. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  79. Hrvatska Airplay Radio Chart » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em croata) HRT. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  80. IFPI Dinamarca » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em dinamarquês) IFPI Dinamarca. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  81. 2006 - Top 40 Scottish Singles, 3th November 2006 (em escocês) Official Charts Company. 'Scottish Daily Record & Sunday. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  82. IFPI República Eslovaca » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em eslovaco) IFPI República Eslovaca. Página visitada em 14 de Outubro de 2011.
  83. PROMUSICAE » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em espanhol) Productores de Música de España. Página visitada em 27‎ de ‎outubro‎ de ‎2012.
  84. 2008 - Radio Airplay Chart, 5th April 2008 » Amy Winehouse - Rehab (em espanhol) Productores de Música de España. Página visitada em 27‎ de ‎outubro‎ de ‎2012.
  85. (7 de Julho de 2007) "Billboard Hot 100". Billboard 119, N.º 27: 76. Nielsen Business Media, Inc. Nielsen SoundScan. ISSN 0006-2510.
  86. Nielsen Business Media, Inc. Dance/Eletronic Singles Sales » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em inglês) AllMusic. Billboard. Página visitada em 11 de julho de 2013.
  87. (7 de Julho de 2007) "Billboard Pop Songs". Billboard 119, N.º 27: 78. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  88. IFPI Finlândia » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em finlandês) IFPI Finlândia. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  89. SNEP » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em francês) Syndicat National de l'Édition Phonographique. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  90. Nielsen Business Media, Inc. Greece Digital Songs » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em grego) Billboard.. Página visitada em 27‎ de ‎outubro‎ de ‎2012.
  91. IRMA Singles Chart » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em irlandês) Irish Recorded Music Association. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  92. Federazione Industria Musicale Italiana » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em italiano) Federazione Industria Musicale Italiana. Página visitada em 27‎ de ‎outubro‎ de ‎2012.
  93. Nielsen Business Media, Inc. エイミー•ワインハウスアルバム&ソングチャートの歴史 » 株式会社オリコン » 日本ホット100 (em japonês) 株式会社オリコン. Billboard. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  94. RIANZ Singles Chart » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 27‎ de ‎outubro‎ de ‎2012.
  95. MegaCharts » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em holandês) MegaCharts. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  96. Lista Przebojów Trójki - Polskie Singles Chart » Amy Winehouse - Rehab (em polonês/polaco) Związek Producentów Audio Video. Página visitada em 27‎ de ‎outubro‎ de ‎2012.
  97. Nielsen Business Media, Inc. Portugal Digital Songs » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em inglês) Billboard. Página visitada em 16 de janeiro de 2014.
  98. 2006 - Top 40 Official Singles Chart UK, 4th November 2006 (em inglês) Official Charts Company. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  99. Official Charts Company. Top 40 R&B Singles, 12th November 2011 (em inglês) BBC Music. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  100. IFPI Česká Republika » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em inglês) IFPI Česká Republika. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  101. The Official Swedish Chart Company  » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em sueco) The Official Swedish Chart Company. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  102. Schweizer Hitparade » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em alemão) The Official Swiss Chart Company. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  103. Czech Airplay Chart » Amy Winehouse Album & Song Chart History (em tcheco) International Federation of the Phonographic Industry. Página visitada em 27‎ de ‎outubro‎ de ‎2012.
  104. ФДР Україна чартах » Емі Уайнхаус Альбом & Пісня морська карта Історія (em ucraniano) FDR Charts. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  105. (18 de Novembro de 2006) "Billboard Euro Digital Songs". Billboard 118, N.º 46: 70. Nielsen Business Media, Inc. ISSN 0006-2510.
  106. Certificações recebidas por "Rehab":
  107. Zinc Media, Inc. Amy Winehouse ‎– Rehab » Digital Download (em inglês) Discogs. Página visitada em 6 de novembro de 2013.
  108. a b Zinc Media, Inc. Amy Winehouse ‎– Rehab » CD 1 (em inglês) Discogs. Página visitada em 6 de novembro de 2013.
  109. Zinc Media, Inc. Amy Winehouse ‎– Rehab » CD 2 (em inglês) Discogs. Página visitada em 6 de novembro de 2013.
  110. Zinc Media, Inc. Amy Winehouse ‎– Rehab » LP (em inglês) Discogs. Página visitada em 6 de novembro de 2013.
  111. AllMusic (19 de dezembro de 2006). Amy Winehouse - Rehab » Releases (em inglês) Rovi Corporation.. Página visitada em 27 de julho de 2013.
  112. Apple Computer, Inc.. Amy Winehouse - Rehab (Remix) - feat. Jay-Z (em inglês) iTunes. Página visitada em 1 de dezembro de 2013.
Notas
A - "Bolas femininas" é uma tradução literal e mais "delicada" de "lady balls", que se refere a testículos.