Reinhart Dozy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde maio de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Reinhart Dozy
Nome completo Reinhart Pieter Anne Dozy
Nascimento 21 de fevereiro de 1820
Leiden (Holanda)
Morte 15 de maio de 1883 (63 anos)
Alexandria, Egito
Nacionalidade Holandês
Ocupação Professor, historiador, etimologista e arabista.

Reinhart Pieter Anne Dozy (Fevereiro de 1820 - maio de 1883) foi um estudioso holandês de origem francesa, (Huguenote), nascido em Leiden. Sua família imigrou para a Holanda em 1647, assim como outras famílias contemporâneas francesas, que imigraram para os Países Baixos após a revogação do Édito de Nantes. Dozy estudou a língua árabe, história e literatura, tendo se tornado um especialista em assuntos sobre o domínio muçulmano na Península Ibérica.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Reinhart Dozy foi admitido na Universidade de Leiden em julho de 1837. Em dezembro de 1841 obteve um dos primeiros resultados de seus estudos extensivos, quando venceu o concurso realizado pelo Instituto Real de Amsterdã com o seu Dictionnaire détaillé des noms des vêtements chez les Arabes (“Dicionário Detalhado de Nomes de Roupas em Árabe”, publicado em 1845), um trabalho coroado.

Obteve o grau de doutor em 1844, quando completou sua tese de doutorado, cujo conteúdo tornou-se a parte inicial de uma importante obra denominada Scriptorum Arabum loci Abbadidis (1846-1863, 3 vols.).

Outro importante resultado de seus estudos surgiu em 1847, quando Dozy concluiu História Al-Marrakushi de almorávidas (“História de Al-Marrakush sobre os Almorávidas”, que só foi publicado em 1881).

O estudante da literatura oriental de língua e história árabe foi nomeado professor extraordinário de História em 1850, e professor titular em 1857.

Principais obras[editar | editar código-fonte]

Sua obra mais famosa é Histoire des Mussulmans d'Espagne, Jusqu'à la Conquête de l'Andalousie par les Almoravides, 711-1110 (“História dos Muçulmanos da Espanha até a Conquista da Andaluzia pelos Almorávidas, 711-1110”, 1861;. 2ª edição em 1881), uma narrativa sobre o domínio mouro na Espanha, que derramou nova luz sobre muitos pontos obscuros.

Outros trabalhos importantes são: Dozy Recherches sur l’historie de la Littérature et de l’Éspagne Pendant de Moyen Âge (“Pesquisa de Dozy sobre História e Literatura da Espanha durante a Idade Média”, 2 vols, 1849; 2ª e 3ª edições totalmente reformuladas em 1860 e 1881), que formam um complemento ao seu Histoire des Mussulmans (História dos Muçulmanos), no qual ele expõe muitos truques e mentiras dos monges em suas crônicas, e efetivamente desmistifica boa parte das lendas de El Cid.

Como um estudioso do idioma árabe, Dozy escreveu Supplément aux Dictionnaires Arabes (“Suplemento aos Dicionários Árabes”, 1877-1881, 2 volumes) e Glossaire des mots Espagnols et Portugais, deriva de l'arabe (“Glossário de Palavras em Espanhol e Português Derivadas do Arabe”, 1861;. 2ª edição em 1869), além de uma lista similar de palavras holandesas derivadas do árabe.

Traduções[editar | editar código-fonte]

Dozy traduziu Ahmed Mohammed al-Maqqari de Analectes sur l'histoire et la littérature des Arabes d'Espagne (“Antologias de História e Literatura dos Árabes da Espanha”, 1855-1861, 2 vols.). E, em parceria com seu principal discípulo, Michael Jan de Goeje (que também tornou-se seu amigo e sucessor) traduziu o trabalho de Muhammad Al-Idrisi: Description de l'Afrique et de l'Espagne (“Descrição da África e da Espanha”, 1866).

Outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Calendrier de Cordoue de l'année 961; texte arabe et ancienne traduction latine (“Calendário de Córdoba do Ano 961; texto em árabe e tradução do latim antigo”, 1874); Het Islamisme (Islamismo; 1863, 2ª edição, 1880, tradução francesa) que é uma exposição popular do Islão e de caráter mais polêmico; e De Israelieten te Mekka (“Os israelitas em Meca”, 1864) que tornou-se objeto de uma acalorada discussão em círculos judaicos.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • GOEJE, Michael Jan, Biographie de Reinhart Dozy. Leiden: Editora Brill. 1883