Reinos hauçás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Reinos hauçás é o nome pelo qual ficaram conhecidos uma série de cidades-Estado independentes situadas entre os rio Níger e Lago Chade.

Hausa Bakwai[editar | editar código-fonte]

Os reinos hauçás começaram como sete Estados que partilhavam a mesma mitologia de seus fundadores, segundo a qual seriam os filhos de uma rainha. Eles são conhecidos como os Hausa Bakwai, que significa "Sete Hauçás".

Os Estados incluídos:

Banza Bakwai[editar | editar código-fonte]

O crescimento e a conquista dos Hausa Bakwai resultou na fundação de outros países com os seus governantes seguindo a linhagem hauçá de uma concubina do pai fundador, Bayajidda. Assim, eles são chamados a Banza Bakwai, que significa "Bastardo", ou Bogus Seven ("os falsos sete"). Os Banza Bakwai adotaram muitos dos costumes e das instituições dos Hausa Bakwai, mas foram consideradas não-sancionadas por pessoas não-hauçá.

Esses estados são:

Apogeu[editar | editar código-fonte]

Os reinos hauçás emergiram antes do século XIII como centros comerciais vibrantes que competiam com Kanem-Bornu e o Império Mali. As principais exportações foram de couro, ouro, pano, sal, kola nuts, peles dos animais, e henna. Exceto alianças menores, as cidades-Estado haulá funcionaram de forma independente. As rivalidades geralmente inibiam a formação de uma autoridade centralizada.

Queda[editar | editar código-fonte]

Apesar do crescimento relativamente constante, as cidades-Estados eram vulneráveis à agressão e, embora a grande maioria dos seus habitantes eram de muçulmanos até o século XVI, eles foram atacados pelos muçulmanos jihadistas de 1804 a 1808. Em 1808 o último Estado hauçá foi finalmente conquistado por Usuman dan Fodio e incorporado no califado de Sokoto.

Fontes[editar | editar código-fonte]