Reis semilendários da Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O rei lendário Harald Hildetand na lendária batalha de Bråvalla, gravura de Lorenz Frølich

Os Reis semilendários da Suécia - em sueco sagokungar, em alemão Sagenkönige, em inglês legendary kings - são os reis que foram documentados muito depois do seu tempo, estando frequentemente a documentação existente cheia de elementos mitológicos.
Devido à dificuldade de as verificar ou comprovar, essas fontes têm um valor histórico incerto, mas podem conter alguma verdade e serem interessantes na pesquisa histórica.
Dado que, até por volta do ano 900, as referências históricas aos reis da Suécia repousam em documentos tardios eivados de elementos mitológicos, esses mesmos reis são designados de lendários, semilendários ou mitológicos. [1]
O primeiro rei considerado histórico é Érico VI da Suécia - Erik Segersäll - que reinou mais ou menos em 970-995. [2]

Há uma grande lista de reis da Suécia que precederam Érico VI ou Érico, o Vitorioso, de acordo com fontes tais como: a Heimskringla de Snorri Sturluson, baseada na Lista dos Inglingos, de Thjodolf de Hvinir, as sagas de reis islandesas e norueguesas, o poema anglo-saxão Beowulf, a obra Vita Ansgari de Rimbert, a Gesta Hammaburgensis Ecclesiae Pontificum de Adan de Bremen, a Historia Norwegiæ de autor anónimo e a Gesta Danorum de Saxo Grammaticus.

Todos os monarcas citados foram descritos como descendentes da Casa de Yngling, na linha real direta, ou através da casa de Ragnar Lodbrok e da casa de Skjöldung (Scylding).

Casa de Yngling[editar | editar código-fonte]

Esta dinastia lendária está mencionada em várias fontes, como sejam por exemplo as sagas de reis islandesas e norueguesas e o poema anglo-saxão Beowulf.
Os primeiros monarcas desta dinastia são considerados completamente míticos, e estão incluídos no artigo sobre os Reis míticos da Suécia.

Casa de Ivar Vidfamne[editar | editar código-fonte]

Estes são os reis que sucederam a dinastia de Yngling e constaram em algumas lendas, Harald Hildetand e Ragnar Lodbrok. Björn Flanco de Ferro deve ser incluído aqui, mas é considerado como sendo o fundador da dinastia seguinte. De acordo com o historiador dinamarquês Saxo Grammaticus, Sigurd Ring pertenceu aos Ynglings e era filho de Ingjald. As sagas, de um lado, dão seu pai como Randver, o filho de Ráðbarðr, rei de Garðaríki.

Casa de Munsö[editar | editar código-fonte]

Seus componentes reinaram entre os séculos VIII e X. Há algumas discordâncias entre as diversas fontes, mas são pouco susceptíveis de aceitá-las devido à existência de grandes reis suecos, desde que Suécia tornou-se uma monarquia eleitoral. A explanação, a mais lógica, é a tradição do co-rulership onde dois irmãos foram eleitos reis ao mesmo tempo. As fontes parecem somente mencionar os detalhes quando da existência de uma guerra civil durante os reinados de (Björn em Hauge e Anund Uppsale) ou pelos problemas gerados durante a sucessão de Érico VI ou Érico, o Vitorioso (970-995), Olavo II Björnsson (970-975) e Styrbjörn Starke).

Referências

  1. Örjan Martinsson. Sgokungar (em sueco) Tacitus.nu. Página visitada em 17 de maio de 2014.
  2. Sveriges regenter under 1000 år (em sueco) Sveriges Kungahus - Casa Real Sueca. Página visitada em 17 de maio de 2014.
  3. Ale (em sueco) Dicionário Biográfico Sueco. Página visitada em 30 de maio de 2014.
  4. Adils (em sueco) Dicionário Biográfico Sueco. Página visitada em 30 de maio de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.