Renda per capita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of Brazil.svgGnome-globe.svg
Esta página ou seção está redigida sob uma perspectiva principalmente brasileira e pode não representar uma visão mundial do assunto.
Por favor aperfeiçoe este artigo ou discuta este caso na página de discussão.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes, inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, nos locais indicados.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A renda per capita ou rendimento per capita é um indicador que ajuda a saber o grau de desenvolvimento econômico de um país ou região (é a soma dos salários de toda a população dividido pelo número de habitantes) e consiste na divisão da Renda Nacional, Produto Nacional Bruto (PNB) menos os gastos de depreciação do capital e os impostos indiretos pela sua população. Por vezes o Produto Interno Bruto (PIB) é usado.

Cálculo[editar | editar código-fonte]

A renda é calculada para o ano. Isto ocorre porque a apuração consolidada do PIB é realizada somente ao final do ano. Com relação as diferenças encontradas, devem-se basicamente a forma de contabilização, ou seja, preços correntes, ou série histórica normalizada. Para o Brasil, a fonte mais adequada para obter dados do PIB é o IBGE.

Embora seja um índice muito útil, por se tratar de uma média esconde várias disparidades na distribuição de renda. Por exemplo, um país pode ter uma boa renda per capita, mas um alto índice de concentração de renda e grande desigualdade social. Também é possível que um país tenha uma baixa renda per capita mas não haja muita concentração de renda, não existindo assim grande desigualdade entre ricos e pobres. Os atuais países com a mais alta renda per capita são o Luxemburgo, a Suíça, a Noruega e a Suécia. (em PPC).

Também é importante notar que é impossível comparar as rendas per capita dos vários países com precisão, porque os preços dos mesmos produtos não são iguais e as diferenças entre os preços dos produtos são desproporcionais entre si, o que torna impossível saber com certeza se um país X tem uma renda per capita maior que um país Y, mesmo usando corretores de PPC. As estatísticas de renda per capita são usadas para se ter uma ideia grosseira do nível de vida dos habitantes de vários países e da produtividade industrial desses mesmos países..

A quantidade total de bens e serviços produzidos dentro de um país, por agentes nacionais ou estrangeiros, durante um ano constitui o Produto Interno Bruto (PIB). O PIB refere-se apenas à produção interna, isto é, realizada no país, dentro do seu território, por agentes de qualquer nacionalidade.

Quando se quer a produção excluindo-se agentes estrangeiros, o índice utilizado é o Produto Nacional Bruto (PNB).

Em suma, o PNB é a soma da produção dos agentes nacionais em qualquer parte do mundo. Na prática, contudo, salvo raríssimas exceções, a diferença em valor entre o PIB e o PNB de um país é pequena.

PIB = toda a produção anual de bens e serviços ocorrida dentro do território do país, produzidos por agentes nacionais e estrangeiros.

PNB = é igual à produção interna somada aos recursos vindos do exterior e subtraída pelos que saem do país.[1]

Mundo[editar | editar código-fonte]

A renda per capita ("por pessoa", "por cabeça") mostra a renda média da população. Normalmente os países desenvolvidos têm PIB e renda per capita maiores que os dos países subdesenvolvidos. As exceções são países com pequena população, mas que possuem alguns bilionários deixando um enorme desvio-padrão de renda e aparentando possuir elevada renda média como é o caso dos Emirados Árabes Unidos com um PIB per capita de US$ 55.028 (em 2009), o 14° maior do mundo [2] e outros pequenos países árabes.

Os Estados Unidos possuem uma economia gigantesca, a maior do mundo, com um PIB superior a 14 trilhões de dólares, ao passo que alguns países pobres, como a República Democrática do Congo, têm um PIB de apenas 8,5 bilhões de dólares.

Entretanto, nem sempre um grande PIB corresponde a uma elevada renda per capita, pois ela não depende apenas das riquezas produzidas, mas também do tamanho da população do país. A China, por exemplo, tem um PIB PPC de mais de onze trilhões de dólares - segundo maior do mundo (FMI-2011). Porém, devido à sua imensa população (1,3 bilhões), a divisão dessa riqueza pelos habitantes resulta numa renda per capita modesta, de nove mil dólares. A Noruega e a Suíça, embora possuam PIBs pequenos, têm as mais elevadas rendas per capita do mundo, em virtude de suas pequenas populações.

Brasil[editar | editar código-fonte]

Esta é uma lista das unidades federativas brasileiras classificados por renda média domiciliar per capita em 2010 segundo o IBGE.[3]

Mapa dos estados brasileiros por rendimento médio domiciliar per capita em 2010.
  + R$ 1.500,00
  + R$ 1.000,00
  + R$ 750,00
  + R$ 500,00
  + R$ 250,00
  até R$ 250,00
Posição Estado Renda
per capita
em R$
1  Distrito Federal 1665,42
2  São Paulo 1036,51
3  Rio de Janeiro 993,21
4  Santa Catarina 967,45
5  Rio Grande do Sul 940,28
6  Paraná 870,59
7  Espírito Santo 795,33
8  Goiás 785,17
9  Mato Grosso do Sul 784,97
 Brasil 767,02
10  Mato Grosso 735,32
11  Minas Gerais 733,24
12  Rondônia 646,78
13  Roraima 578,38
14  Amapá 575,42
15  Tocantins 571,51
16  Rio Grande do Norte 531,56
17  Pernambuco 508,82
18  Amazonas 508,28
19  Sergipe 508,20
20  Acre 497,44
21  Bahia 481,18
22  Paraíba 462,29
23  Ceará 445,88
24 Pará Pará 429,57
25  Alagoas 421,32
26  Piauí 408,27
27  Maranhão 348,72

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.