República Transpadana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Repubblica Transpadana
República Transpadana

república

Flag of Milan.svg
 
Duc-Modena.jpg
1796 – 1797 Flag of the Repubblica Cisalpina.svg

Bandeira de República Transpadana

Bandeira

Localização de República Transpadana
Continente Europa
Capital Milão
Língua oficial lombardo, italiano
Governo república
História
 • 15 de novembro de 1796 Fundação
 • 29 de junho de 1797 Dissolução

A República Transpadana foi um Estado que existiu na península Itálica, entre 15 de novembro de 1796 e 29 de junho de 1797 [1] , fundado pelos exércitos revolucionários franceses, comandados por Napoleão Bonaparte. Seu território correspondia aproximadamente ao antigo Ducado de Milão, do Ducado de Mântua e partes ocidentais do Vêneto.[1]

Foi precedido pela República Lombarda (15 de maio de 1796), proclamada logo após a ocupação francesa (9 de maio de 1796).[1] Teve também um breve período sob ocupação austríaca (16 de abril a 12 de maio de 1797).[1]

Em 29 de junho de 1797, a República Transpadana unificou-se com a República Cispadana dando origem à República Cisalpina.[1]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em março de 1796, o diretório nomeou o general Napoleão Bonaparte comandante em chefe das tropas revolucionárias francesas no fronte italiano, onde os franceses estavam combatendo desde 1792 as tropas austríacas e sardo-piemontesas da Primeira Coalizão.

Com a vitória de Napoleão na batalha de Lodi, 10 de maio de 1796, as tropas francesas ocuparam o território sob domínio austríaco (Ducado de Milão, Ducado de Mântua); os territórios do Ducado de Módena e Reggio e alguns territórios que faziam parte dos Estados Pontifícios (Bolonha e Ferrara). Os territórios ao norte do rio Pó (Ducado de Milão, Ducado de Mântua) foram unidos na chamada República Transpadana.

Rearranjo territorial das novas repúblicas[editar | editar código-fonte]

Em 26 de abril de 1797, reuniram-se em Bolonha os conselheiros do corpo legislativo da República Cispadana para eleger o diretório.

Napoleão Bonaparte, não satisfeito com os eleitos, em 19 de maio de 1797 ordenou que a Romagna (obtida com o Tratado de Tolentino) se unisse à República Cispadana e que dessa se retirasse Módena, Reggio Emilia, Ducado de Massa e Carrara para unir-se à República Transpadana.

Fim da repúblicas Cispadana e Transpadana[editar | editar código-fonte]

Em 29 de junho de 1797, a República Transpadana uniu-se com a República Cispadana, dando origem à República Cisalpina.[1]

Em seguida à vitoriosa campanha de Napoleão, com o Tratado de Campoformio firmado em 17 de outubro de 1797, a França cedia, a Ístria, a Dalmácia e a República de Veneza ao Império Austríaco, que por sua vez, reconhecia a República Cisalpina, da qual Milão se tornou a capital.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f Italian states to 1861 (em inglês) Worldstatesmen.org. Página visitada em 12 de setembro de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.