Represa de Salto Grande

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Represa de Salto Grande
}}
Imagem via satélite do lago formado pela represa de Salto Grande, localizada no curso médio do rio Uruguai.
Sistema Rio Uruguai
Dono Comisión Técnica Mixta de Salto Grande
Espelho d'água 783 km²
Localização Salto, Uruguai e Concordia,  Argentina

A Usina Hidrelétrica Binacional de Salto Grande está localizada no curso médio do rio Uruguai, cerca de 15 km ao norte das cidades de Salto (Uruguai) e Concordia (província de Entre Ríos, Argentina).

Alguns dados[editar | editar código-fonte]

Está equipada com 14 geradores acionados por turbinas tipo Kaplan e um vertedouro central de 19 comportas radiais de acionamento hidráulico.

Possui dois descarregadores de fundo para cheias excepcionais, um em cada margem. É propriedade da Argentina e do Uruguai. Sua construção aproveita o desnível que o rio Uruguai apresentava na área denominada "Salto Grande", a qual foi encoberta pelas águas do reservatório que se formou. Na sua parte mais alta encontra-se a ponte rodoferroviária Salto Grande.

A capacidade total de evacuação da barragem é de 64.000 m³/s

  • Caudal do rio Uruguai na área:
    • médio (série histórica) 4.622 m³/s
    • máximo registrado (desde 1898) 37.714 m³/s (9 de junho de 1992)
    • mínimo registrado (desde 1898) 109 m³/s (3 de fevereiro de 1945)
  • Área do reservatório: 783 km²
  • Volume do reservatório: 5.000 hm³
  • Comprimento do reservatório: 140 km
  • Largura máxima do reservatório: 9 km
  • Profundidade máxima 33 m
  • Profundidade média 6,4 m
  • Variação normal de flutuação anual do nível da água 0,8 m
  • Comprimento da costa 1.190 km
  • Área da bacia de drenagem 224.000 km²[1]

História[editar | editar código-fonte]

Vista do reservatório da Represa de Salto Grande.

Desde a década de 1950, o Comitê Popular Pró Represa de Salto Grande (integrado, entre outros, por Ramón Vinci e Néstor Minutti), estiveram à frente de sua construção.[2]

Por sua vez, a Comisión Técnica Mixta de Salto Grande foi integrada pelos argentinos: engenheiro Jorge Pegoraro e general Repetto, e pelos uruguaios: Ulysses Pereira Reverbel, Dr. Gervasio de Posadas Belgrano e Dr. Pedro Di Lorenzo.[3]

O início da construção da represa foi em 1973 e gera energia elétrica desde 1979, concluindo-se a execução das instalações de geração de energia em 1982.

O reservatório desta represa provocou o desaparecimento ou alagamento de várias áreas da bacia hidrográfica do curso médio do rio Uruguai, incluindo bosques, ilhas e a transferência de populações, como a de Federación do lado argentino e Belén e Constitución do lado uruguaio.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]