Reynaldo Gianecchini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Reynaldo Gianecchini
Reynaldo Gianecchini durante o 25º Prêmio da Música Brasileira no Theatro Municipal.
Nome completo Reynaldo Cisotto Gianecchini Júnior
Nascimento 12 de novembro de 1972 (41 anos)
Birigui, SP
Ocupação modelo, ator
Cônjuge Marília Gabriela (19982006)
IMDb: (inglês)

Reynaldo Cisotto Gianecchini Júnior (Birigui, 12 de novembro de 1972) é um modelo e ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sua estreia como ator foi no teatro com a peça Cacilda. Em 2000, atuou em sua primeira novela, Laços de Família, na qual viveu o protagonista Eduardo, um jovem médico recém-formado que se envolve em um triângulo amoroso entre Helena (Vera Fischer) e Camila (Carolina Dieckmann), mãe e filha, tendo sido muito criticado na época pela sua atuação. Em seguida, participou da novela As Filhas da Mãe, como Ricardo, homem que descobre-se apaixonado pelo amigo de trabalho Dagmar, de Cláudia Jimenez, e depois vem a saber que na verdade trata-se de uma mulher. Depois de um início conturbado por críticas ao seu trabalho, com mais experiência e estudo, tem sido respeitado e até elogiado em suas atuações na televisão e no teatro.

Em 2002, protagonizou a novela Esperança, ao lado de Priscila Fantin e Ana Paula Arósio, recebendo o Prêmio Master de Melhor Ator pelo trabalho feito. Simultaneamente, participou do longa Avassaladoras, no papel do Don Juan Thiago.

Em 2003, fez uma participação especial no último capítulo da novela Mulheres Apaixonadas.

Em 2004, protagonizou o grande sucesso do horário das sete, Da Cor do Pecado, vivendo os gêmeos Paco e Apolo. Pela sua atuação, recebeu o Prêmio Contigo! de Melhor Ator.

Reynaldo Gianecchini em 2014, durante o 25º Prêmio da Música Brasileira no Theatro Municipal.

Em 2005, foi que o ator viveu o melhor momento de sua carreira até então, quando encarnou o atrapalhado mecânico Paschoal, de Belíssima, mostrando a sua versatilidade e o seu lado cômico. Na trama, sua personagem formou par romântico com a fogosa Safira, de Cláudia Raia, e juntos o casal demonstrou bastante química. Pelo trabalho recebeu o Prêmio Qualidade Brasil e o Troféu Leão Lobo, ambos na categoria de Melhor Ator Coadjuvante. Ao mesmo tempo, encenou a peça Vossa Excelência, o Candidato, sendo bastante elogiado.

Em 2007, viveu mais um protagonista na televisão, o Dante de Sete Pecados, ao lado das atrizes Priscila Fantin e Giovanna Antonelli. Na trama, viveu um taxista pobre, casado com a humilde Clarice, que acaba por se envolver com a ex-colega de escola Beatriz. O par formado entre Dante e Beatriz tiveram tanta química juntos que fez sucesso a música de Marisa Monte, Não Quero Ver Você Triste, nas rádios de todo o Brasil. Foi também nesse ano, que encarnou no cinema a personagem que na televisão fora vivido por Tony Ramos, o Jorge do filme Primo Basílio.

Em 2008, recusou convite para participar da novela Negócio da China, alegando estar ocupado com a peça Doce Deleite, juntamente com Camila Morgado. Ainda esse ano, protagonizou o longa Sexo com Amor?.

Depois, em 2009, foi convidado a viver um personagem homossexual na minissérie Cinquentinha. O personagem na verdade seria um vilão, e por esse motivo recusou ao convite, já que havia se comprometido com o autor Sílvio de Abreu, a participar de sua próxima novela, Passione, na pele do vilão Frederico.

No cinema, ainda viveu o protagonista do filme Entre Lençóis, como Roberto, homem que conhece uma mulher que está a um dia do casamento, e em uma noite intensa de amor e conversa, tenta convence-la a não se casar.

Também esteve presente no filme Divã, adaptação com sucesso da peça homônima para o cinema.

Entre 2010 - 2011 esteve no elenco da telenovela brasileira da Rede Globo Passione, onde interpretou o vilão principal, Frederico. Em outubro de 2011, seu pai Reynaldo Cisotto Gianecchini falece, vítima de um câncer no sistema digestivo.[1]

Em 2012, voltou às novelas, no horário das sete em Guerra dos Sexos, seu quarto trabalho com Sílvio de Abreu. Gianecchini viveu Nando, um ingênuo motorista que ganhou grande destaque ao longo da trama.

Em 2014, interpreta o cozinheiro Cadu na novela Em Família, de Manoel Carlos. Na trama, ele vive seu quarto par romântico com Giovanna Antonelli, que interpreta Clara, esposa de Cadu que abandona o marido para viver um relacionamento com outra mulher. [2]

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Relacionamentos[editar | editar código-fonte]

Reynaldo Gianecchini foi casado com a jornalista, atriz e apresentadora Marília Gabriela. Os dois se conheceram em Paris, durante a Copa do Mundo de 1998 e cinco meses depois estavam morando juntos. A relação sempre foi preservada por ambos em entrevistas. A diferença de idade entre eles – ela é 24 anos mais velha, foi alvo de muitos comentários maldosos. Depois da separação, ele não assumiu mais nenhum namoro. Teve rápidos romances com a atriz Christiane Alves e com a promoter Eloísa Alencar (com quem teve um romance em 2008 e voltou a ser visto em 2010). Já foi flagrado aos beijos com a cantora Preta Gil, de quem é muito amigo, e com Carolina Ferraz, que traiu o namorado turco em uma noite com Gianecchini (os dois foram fotografados se beijando em restaurante, no Rio de Janeiro). Também foi fotografado com mulheres que não são do meio artístico em boates. Em 2010, Gianecchini foi alvo de uma acusação por parte de seu ex-empresário Daniel Ferreira Mattos, que alegou ter vivido um romance com o ator e ter sido presenteado por ele com uma cobertura na Barra da Tijuca. Gianecchini negou as acusações e abriu um processo contra Daniel[desambiguação necessária], para reaver a posse do apartamento. Segundo Reynaldo, Daniel teria agido de má-fé, já que a transferência do apartamento para o nome do ex-empresário teria sido uma forma de efetuar a compra sem se expor. O processo corre em sigilo e Gianecchini fala pouco sobre o assunto. Apenas nega que Mattos tenha sido seu namorado e diz que acreditava que poderia contar com ex-empresário para sempre.

Doença[editar | editar código-fonte]

Em 1 de agosto de 2011, Reynaldo foi internado no Hospital Sírio-Libanês em São Paulo para cuidar de uma faringite crônica que, tratada com antibióticos, provocou uma forte reação alérgica. Exames subsequentes, entretanto, detectaram um linfoma não Hodgkin, do tipo linfoma de células T angioimunoblástico.[3] [4] Tudo indica que após o tratamento, o ator encontra-se curado do câncer, mas antes disso Reynaldo Gianecchini teve uma pequena participaçâo na gravação do primeiro episódio da novela Cordel Encantado como o mensageiro de Rei Augusto Frederico III (Carmo Dalla Vecchia) que anuncia a guerra dos dois reinos de Seráfia. Em 2011 o ator Reynaldo Gianecchini aos 38 de idade foi submetido a sua primeira sessão de quimioterapia no hospital Sírio-Libanês, Em São paulo, para tratamento do Linfoma de células T Angioimunoblástico.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Novelas[editar | editar código-fonte]

Telenovelas e telesséries
Ano Título Papel
2000 Laços de Família Eduardo de Albuquerque Monteiro Fernandes (Edu)
2001 As Filhas da Mãe Ricardo Brandão
2002 Esperança Tony
2003 Mulheres Apaixonadas Ricardo
2004 Da Cor do Pecado Paco Lambertini
Apolo Sardinha
2005 Belíssima Pascoal da Silva
2007 Sete Pecados Dante Florentino
2010 Passione Frederico Lobato Filho (Fred) [5]
2011 Cordel Encantado Mensageiro do Rei Augusto
2012 Cheias de Charme Ele mesmo [6]
Guerra dos Sexos Fernando Cardoso (Nando)
2014 Em Família Cadu Fernandes [7] [8]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Curtas e longas-metragens
Ano Título Papel
2002 Avassaladoras Thiago
2007 Primo Basílio Jorge
2008 Sexo com Amor? Rafael
2009 Entre Lençóis Roberto
Divã Théo
Flordelis - Basta Uma Palavra Para Mudar Alex
2013 Se Puder... Dirija! André
2014 S.O.S. Mulheres ao Mar André [9]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Cacilda, dirigida por José Celso Martinez
  • Boca de Ouro, dirigida por José Celso Martinez
  • O Príncipe de Copacabana, dirigida por Gerald Thomas
  • A Peça Sobre o Bebê
  • Vossa Excelência, o Candidato
  • Doce Deleite, dirigida por Marília Pêra
  • Cruel, adaptação de Os Credores, de August Strindberg, dirigida por Elias Andreato.[10]
  • A Toca do Coelho, dirigida por Dan Stulbach

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Dublagens[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

Especiais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Pai de Reynaldo Gianecchini morre de câncer aos 72 anos (em português). M de Mulher (17-11-2011).
  2. Gshow (22 de janeiro de 2014). Reynaldo Gianecchini festeja quinto par romântico com Antonelli: 'Temos afinidade'. Extras - Em Família. Página visitada em 12 de junho de 2014.
  3. Exames confirmam que ator Reynaldo Gianecchini tem câncer (em português). G1 (10-8-2011).
  4. Reynaldo Gianecchini é diagnosticado com linfoma (em português). Estadão (10-8-2011).
  5. Gshow (17 de maio de 2010). Frederico Lobato - Personagens - Passione. Personagens > Passione. Página visitada em 28 junho de 2014.
  6. Gshow (12 de julho de 2012). Reynaldo Gianecchini posa com Empreguetes em gravação de 'Cheias'. Fique por dentro - Cheias de Charme. Página visitada em 12 de junho de 2014.
  7. teledramaturgia.com.br. Em Família (elenco) - Teledramaturgia. Página visitada em 11 de janeiro de 2014.
  8. R7. Reynaldo Gianecchini interpreta o Cadú. Página visitada em 11 de janeiro de 2014.
  9. Globo Filmes (22 de janeiro de 2014). SOS - Mulheres ao Mar. Página visitada em 26 de fevereiro de 2014.
  10. "Cruel" estreia em SP com Reynaldo Gianecchini e Erik Marmo. Guia da Folha.com (27/06/2011). Página visitada em 06/07/2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Reynaldo Gianecchini