Riachão (compositor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Riachão
Riachão cropped 1.jpg
Riachão em 2010, no 2º Encontro Afro-Latino, em Salvador.
Informação geral
Nome completo Clementino Rodrigues
Também conhecido(a) como Riachão
Nascimento 14 de novembro de 1921 (93 anos)
Origem Salvador, BA
País  Brasil
Gênero(s) Samba
Ocupação(ões) Cantor, compositor

Riachão (Salvador, 14 de novembro de 1921) é um sambista do Brasil, um dos mais reconhecidos do país, ao lado de Nelson Sargento, Dona Ivone Lara e mais alguns outros da velha guarda.

História[editar | editar código-fonte]

Aos 9 anos já cantava nas serenatas, nos aniversários ou nas batucadas com os amigos do bairro onde nasceu - Garcia. Batucava em latas de água onde tamborilava seus sambas. A primeira composição veio aos 12 anos, um samba sem título que dizia: "Eu sei que sou moleque, eu sei, conheço o meu proceder/ Deixe o dia raiar que a minha turma, ela é boa para batucar".[1]

Riachão teve várias das suas músicas interpretadas por cantores nacionais, uma das mais conhecidas foi "Vá Morar com o Diabo", cantada por Cássia Eller. Também é de sua autoria a famosa música "Cada Macaco no Seu Galho", escolhida por Caetano Veloso e Gilberto Gil, em 1972, para marcar seus retornos ao Brasil depois de exílio político durante o Regime militar no Brasil.[2]

O apelido "Riachão" ganhou ainda na adolescência, explica:

"Quando menino, eu gostava muito de brigar. Mal acabava uma peleja, já estava eu disputando outra. E aí chegavam os mais velhos para apartar, empregando aquele ditado popular: você é algum riachão que não se possa atravessar".
[3]

Ainda na ativa, lançou em 2013 o CD Mundão de Ouro em colaboração com a cantora Vânia Abreu gravado num estúdio de São Paulo, contando com quinze faixas, sendo 13 inéditas e incluindo os sucessos de sempre "Vá Morar com o Diabo" e "Cada Macaco no Seu Galho".[4]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Mundão de Ouro, Selo Comando S Discos, CD (2013)
  • Riachão, Selo Caravelas, CD (2001)
  • Humanenochum, Selo Caravelas, CD (2000)
  • Diplomacia, EMI, CD (1998)
  • Samba da Bahia, Selo Fontana, LP (1975)
  • Sonho de Malandro, Selo Desenbanco, LP (1973)
  • Umbigada da Baleia, 78 (por volta da década de 1960)

Referências

  1. Carlos Rennó (11 de setembro de 2001). "Ensaio" apresenta Riachão comovente Folha de S.Paulo. Visitado em 14 de janeiro de 2014.
  2. Cultura traz "Ensaio" com o compositor Riachão Caderno 2 Estadão (10 de setembro de 2001). Visitado em 14 de janeiro de 2014.
  3. Biografia Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira.
  4. Marcos Lauro (10 de dezembro de 2013). Mundão de Ouro - Veterano sambista é resgatado em um dos grandes disco do ano Rolling Stone Brasil. Visitado em 15 de maio de 2015.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Riachão (compositor)