Riacho de Santana (Rio Grande do Norte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Riacho de santana-rn)
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Riacho de Santana
"Riacho"
Bandeira de Riacho de Santana
Brasão de Riacho de Santana
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 10 de maio de 1962 (52 anos)
Gentílico riacho-santanense[1]
Prefeito(a) Raimundo Nonato dos Santos (PSB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Riacho de Santana
Localização de Riacho de Santana no Rio Grande do Norte
Riacho de Santana está localizado em: Brasil
Riacho de Santana
Localização de Riacho de Santana no Brasil
06° 15' 46" S 38° 18' 57" O06° 15' 46" S 38° 18' 57" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Oeste Potiguar IBGE/2008[2]
Microrregião Serra de São Miguel IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Em sentido horário: Água Nova, Rafael Fernandes, Marcelino Vieira, José da Penha, Luís Gomes e Coronel João Pessoa.
Distância até a capital 417 km[3]
Características geográficas
Área 128,106 km² [4]
População 4 280 hab. IBGE/2013[5]
Densidade 33,41 hab./km²
Altitude 273 m (RN: 33º)[6]
Clima Semiárido Bsh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,591 (RN: 115º) – baixo PNUD/2010[7]
PIB R$ 18 543,791 mil IBGE/2008[8]
PIB per capita R$ 4 196,38 IBGE/2008[8]
Página oficial

Riacho de Santana é um município brasileiro no interior do estado do Rio Grande do Norte. Localiza-se na região do Alto Oeste Potiguar, bem como na mesorregião do Oeste Potiguar e na microrregião da Serra de São Miguel, além de estar localizada a uma distância de 417 quilômetros a oeste da capital do estado, Natal.[3] Ocupa uma área de 128,104 km², sendo que 0,3682 km² estão em perímetro urbano, e sua população foi estimada no ano de 2013 em 4 280 habitantes, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.[5]

A sede tem uma temperatura média anual de 28,1 °C e na vegetação do município predominam a caatinga hiperxerófila e a floresta caducifólia. Com uma taxa de urbanização de 41,15% (2010), o município contava, em 2009, com quatro estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,621, considerando como médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O município foi emancipado de Pau dos Ferros na década de 1960. A sua versão etimológica é que o nome seja referência ao riacho de Santana, onde começou o povoamento da região.

História[editar | editar código-fonte]

A história do atual município de Riacho de Santana, localizado na zona serrana do estado do Rio Grande do Norte, começou com a chegada e povoamento às margens do riacho de Santana. Os primeiros povoadores que chegaram à região desenvolveram a economia agrícola no local, devido à boa qualidade da terra. A partir daí, foram sendo instaladas várias fazendas, formando-se um povoado.[3]

Em 1948, o povoado passou à condição de distrito, criado pela lei estadual nº 146, em 23 de dezembro de 1948, anexado ao município de Pau dos Ferros. Somente em 10 de maio de 1962 esse distrito conquistou sua emancipação política, desmembrando-se de Pau dos Ferros e tornando-se novo município do estado do Rio Grande do Norte, com o nome "Riacho de Santana". Em 30 de março de 1953, ocorreu a instalação oficial do município.[3] Quatro dias mais tarde, foi criado e anexado ao município de Riacho de Santana o distrito de Água Nova, elevado à categoria de município quase nove meses mais tarde.[9] Em 1971, o município deixou de ter energia elétrica vinda de a motor a diesel, passando a ser abastecida pela Usina Hidrelétrica de Paulo Afonso, na Bahia. Cinco mais tarde, Riacho de Santana ganhou serviços de comunicação por meio da instalação de um posto telefônico da antiga TELERN, atual Oi. Em 1990, foi publicada a Lei Orgânica do Município.[10]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Riacho de Santana (em vermelho) e seus municípios limítrofes (em azul).

Riacho de Santana está localizado no estado do Rio Grande do Norte, na Mesorregião do Oeste Potiguar e Microrregião da Serra de São Miguel.[2] A área territorial do município é 128,106 km²[4] e a distância rodoviária até a capital do estado é de 417 quilômetros.[11] Limita-se com os municípios de Água Nova a norte; José da Penha e Luís Gomes a sul; Marcelino Vieira, Rafael Fernandes e novamente José da Penha a leste e Coronel João Pessoa a oeste.[3]

Riacho de Santana possui todo o seu território localizado na bacia hidrográfica do rio Apodi/Mossoró.[12] Os principais riachos do município são o de Santana, da Panela e dos Gatos. O principal açude é a Barragem Carpina, que é afluente da margem esquerda do Riacho de Santana, foi concluído em abril de 2001 e possui capacidade para 3,187 milhões de metros cúbicos (m³), cuja bacia possui 9,2 quilômetros quadrados de extensão.[3] [13]

O relevo é acidentado, com altitudes variando entre duzentos e quatrocentos metros, cuja formação é composta pelo Planalto da Borborema, que compreende terrenos antigos formados pelas rochas do período Pré-Cambriano, e pela Depressão Sertaneja-São Francisco, uma série de terrenos de transição entre o Planalto da Borborema e a Chapada do Apodi. As principais serras são a do Camelo e a de São José. Riacho de Santana está situado em área de abrangência de rochas metamórficas que formam o embasamento cristalino, formadas durante o período Pré-Cambriano médio (entre 1 e 2,5 bilhões de anos), com a predominância de anfibolitos, gnaisses, granitos, migmatitos variados e xistos, em alguns casos cortados por veios de quartzo e pegmatitos. Geomorfologicamente predominam formas de relevos tabulares com topo plano, com diferentes aprofundamentos de drenagens e ordens de grandeza, normalmente separados por vales de fundo plano.[3]

A cobertura vegetal é formada pela caatinga hiperxerófila, com espécies de baixo porte, adaptadas à seca e com abundância de cactáceas como o facheiro, o faveleiro, a jurema-preta, o marmeleiro, o mufumbo e o xiquexique, além da floresta subcaducifólia, que apresenta espécies com folhas pequenas e caducas que caem durante a estação seca.[3]

O clima de Riacho de Santana é tropical com estação seca, do tipo As na classificação climática de Köppen-Geiger, com temperatura média em torno dos 26 ºC, variando desde 25 ºC em junho e julho, os meses mais frios, até aproximadamente 28 ºC em novembro e dezembro, os meses mais quentes. A precipitação média de 866 milímetros (mm) anuais, sendo setembro o mês mais seco (5 mm) e março o mais chuvoso (224 mm).[14] A umidade relativa do ar média anual é de 66% e a insolação chega a 2 700 horas por ano.[3] Segundo dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), entre os períodos de 1992 a 2003 e de 2005 a 2010, o maior acumulado de chuva registrado em 24 horas em Riacho de Santana foi de 117 mm, no dia 6 de maio de 2008.[15]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Riacho de Santana Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 32,6 31,6 30,6 30,2 29,9 30 30,5 31,6 32,7 33,3 33,3 33,2 31,6
Temperatura média (°C) 27,3 26,8 26,2 25,9 25,5 25,1 25,2 25,8 26,7 27,3 27,5 27,7 26,4
Temperatura mínima média (°C) 22,1 22 21,9 21,6 21,2 20,3 19,9 20,1 20,8 21,4 21,8 22,2 21,3
Chuva (mm) 83 128 224 198 114 41 25 6 5 7 8 27 866
Fonte: Climate Data.[14]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1970 3 408
1980 3 873 13,6%
1991 3 980 2,8%
2000 4 200 5,5%
2010 4 156 -1,0%
Est. 2013 4 280 [5] 1,9%
Censos demográficos
do IBGE (1970-2010)[16] [17]

A população de Riacho de Santana de acordo o censo brasileiro de 2010 era de 4 156 habitantes, sendo o 130º município mais populoso do Rio Grande do Norte, apresentando uma densidade populacional de 32,44 hab./km².[17] Desse total, 1 710 habitantes viviam na zona urbana (41,15%) e 2 446 na zona rural (58,85%). Ao mesmo tempo, 13 516 eram do sexo masculino (48,72%) e 14 229 do sexo feminino (51,28%), tendo uma razão de sexo de 99,52. Quanto à faixa etária, 1 067 pessoas tinham menos de 15 anos (25,67%), 2 598 entre 15 e 64 anos (62,51%) e 491 possuíam 65 anos ou mais (11,81%).[18] [19] Ainda segundo o mesmo censo, a população étnica era formada por 2 318 brancos (55,78%), 1 774 pardos (42,69%), 60 pretos (1,46%) e três amarelos (0,07%).[20]

Considerando-se a nacionalidade, todos os seus habitantes eram brasileiros natos.[21] Em relação à região de nascimento, 3 975 eram nascidos na Região Nordeste (95,65%), 121 no Sudeste (2,90%) e 47 no Centro-Oeste (0,17%). 3 695 habitantes eram naturais da Rio Grande do Norte (88,99%) e, desse total, 3 078 eram nascidos em Riacho de Santana (74,05%). Entre os 461 naturais de outras unidades da federação (11,01%), a Paraíba era o estado com maior presença, com 167 habitantes residentes (4,03%), seguido por São Paulo, com 115 habitantes (2,76%), além de 47 naturais do Distrito Federal (1,13%), 41 do Maranhão (0,99%), 38 do Ceará (0,91%), dezessete de Pernambuco (0,41%), quinze da Bahia (0,36%), seis de Minas Gerais (0,14%) e dois de Sergipe (0,02%), além de outros treze sem especificação (0,32%).[22] [23] Para 2013, a estimativa populacional é de 4 280 habitantes.[5]

O Índice de Desenvolvimento Humano do município é considerado baixo, de acordo com dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Segundo dados do relatório de 2010, divulgados em 2013, seu valor era de 0,591, sendo o 115º do Rio Grande do Norte e o 4 372 º do Brasil. Considerando-se apenas o índice de longevidade, seu valor é de 0,776, o valor do índice de renda é de 0,545 e o de educação é de 0,489.[7] Em 2003, o índice de pobreza era de 69,55% (o índice subjetivo era de 78,55%).[24] De 2000 a 2010, a proporção de pessoas com renda domiciliar per capita de até 140 reais reduziu em 40,5%. Em 2010, 57,3% da população vivia acima da linha de pobreza, 27,5% encontrava-se entre as linhas de indigência e de pobreza e 15,2% estava abaixo da linha de pobreza.[25] No mesmo ano, o índice de Gini era de 0,50 e os 20% mais ricos eram responsáveis por 50,71% no rendimento total municipal, valor quase 25 vezes superior à dos 20% mais pobres, que era de 2,01%.[18]

Religião[editar | editar código-fonte]

Conforme censo de 2010, do total de habitantes do município, 3 742 eram católicos apostólicos romanos (90,03%), 341 evangélicos (8,19%), 33 eram sem religião (0,78%), 32 eram testemunhas de Jeová (0,77%) e nove eram espíritas (0,22%).[26]

Na Igreja Católica, conforme divisão oficial, o município está localizado na Diocese de Mossoró, com sede no município de mesmo nome. Riacho de Santana está situado no Zonal Alto Oeste da diocese e pertence à paróquia São Francisco de Assis, com sede em José da Penha, possuindo seis capelas, uma na zona urbana e cinco na zona rural. O padroeiro do município é São João Batista.[27]

Riacho de Santana também possui os mais diversos credos protestantes ou reformados. Do total de evangélicos, 259 eram de igrejas evangélicas de origem pentecostal (6,23%) e 82 de religiões evangélicas não determinadas (1,97%). Do total de seguidores das igrejas evangélicas de origem pentecostal, 160 pertenciam à Assembleia de Deus (3,85%), 52 à Congregação Cristã do Brasil (1,26%) e outros 47 pertenciam a outras igrejas evangélicas pentecostais (1,12%). Dentre os sem religião, 27 eram ateus (0,14%).[26]

Política[editar | editar código-fonte]

O poder executivo do município de Riacho de Santana é representado pelo prefeito e seu gabinete de secretários, seguindo o modelo proposto pela Constituição Federal.[28] O primeiro prefeito interino municipal foi Cirilo Alves Pereira. O primeiro prefeito eleito municipal foi Manoel de Souza Lima, que esteve no cargo entre 1965 e 1968.[10] Em onze mandatos, nove pessoas já passaram pela prefeitura (incluindo o prefeito interino), sendo o mais recente deles Raimundo Nonato dos Santos. Ele foi eleito para o cargo de prefeito riacho-santense nas eleições municipais realizadas em todo o Brasil no ano de 2004, com 62,562% do total de votos[29] [30] e reeleito em 2008, obtendo 64% dos votos válidos.[31]

O poder legislativo é representado pela câmara municipal, composta por nove vereadores eleitos para cargos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição[32] ) e está composta da seguinte forma: quatro cadeiras do Partido Socialista Brasileiro (PSB), uma do Partido dos Trabalhadores (PT), uma do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), uma do Partido Progressista (PP), um do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e uma do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).[33] Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento municipal (conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias). O município de Riacho de Santana constituição própria, em vez disso possui lei orgânica, publicada em 11 de abril de 1990.[3] Apesar de o município não ser sede de uma comarca, Riacho de Santana é pertencente à Comarca de Pau dos Ferros, classificada de terceira entrância, que reúne, além de Riacho de Santana, os municípios de Água Nova, Encanto, Francisco Dantas, Pau dos Ferros (cidade-sede) e São Francisco do Oeste.[34]

Em complementação ao processo legislativo e ao trabalho das secretarias, existem também conselhos municipais, cada um deles versando sobre temas diferentes, compostos obrigatoriamente por representantes dos vários setores da sociedade civil organizada. A atuação e representatividade efetivas de tais conselhos, porém, são por vezes questionadas. Os seguintes conselhos municipais estão atualmente em atividade: Conselho de Saúde, Conselho de Assistência Social, Conselho de Direito da Criança e do Adolescente, Conselho de Alimentação Escolar e Conselho de Educação.[3]

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, Riacho de Santana possuía, em novembro de 2011, 3 446 eleitores, o que representa 0,154% dos eleitores do Rio Grande do Norte.[35] Esse número, por ser inferior a duzentos mil, faz com que não haja segundo turno no município.[36]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Riacho de Santana é formado apenas pelo distrito-sede e, segundo divisão oficial reconhecida pelo IBGE, o município é dividido em seis bairros, sendo o Centro o mais populoso, com 563 habitantes.[37] Segundo a prefeitura, a zona rural é dividida em quinze comunidades.[10]

Bairros oficiais de Riacho de Santana (IBGE/2010)[37]
Bairro
População
Homens
Mulheres
Centro 563 268 295
Esperança n/d n/d n/d
Novo Horizonte 197 102 95
Renascer n/d n/d n/d
São Gonçalo 407 185 222
São João Batista 513 254 259

Economia[editar | editar código-fonte]

O Produto Interno Bruto - PIB - de Riacho de Santana é o sexto maior de sua microrregião e o 130º do estado, tendo como base a agricultura.[10] De acordo com dados do IBGE, relativos a 2008, o PIB do município era de R$ 18 543,791 mil.[8] O PIB per capita é de R$ 4 196,38[8] 1 200 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes.[8]

O setor primário é o segundo mais relevante da economia de Riacho de Santana. De todo o PIB da cidade 2 837 mil reais é o valor adicionado bruto da agropecuária.[8] No município destaca-se a produção de acerola, arroz, banana, cajá, caju, cana-de-açúcar, feijão, mandioca, manga e milho, além da criação de caprinos, galináceos, muares, ovinos e suínos.[10] Segundo o IBGE, em 2009 o município possuía um rebanho de 3 290 bovinos, 56 equinos, 1 806 suínos, 810 caprinos, 180 asininos, 70 muares, 1 220 ovinos, 3 580 galinhas e 13 380 galos, frangos e pintinhos. Ainda no mesmo ano, Riacho de Santana produziu 495 mil de litros de leite, 21 mil dúzias de ovos de galinha e 4 440 quilos de mel-de-abelha.[38]

O setor secundário é o menos relevante para a economia do município. 1 133 mil reais do PIB municipal são do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário).[38] Por sua vez, a prestação de serviços rende 13 383 mil reais ao PIB riacho-santanense. De acordo com o IBGE, a cidade possuía, no ano de 2008, 28 unidades locais, sendo todas atuantes e quinhentos trabalhadores, sendo 256 do tipo "pessoal ocupado total" e 244 do tipo "ocupado assalariado". Salários juntamente com outras remunerações somavam 2 097 mil reais e o salário médio mensal de todo município era de 1,5 salários mínimos.[38] Vale salientar que tanto o comércio quanto a indústria são de pequeno porte, devido à carência de condições referentes à economia, assim como ocorre no nordeste brasileiro. A maior transação comercial de Riacho de Santana ocorre com Pau dos Ferros, cidade-polo para vários municípios do Alto Oeste Potiguar.[10]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município de Riacho de Santana pertence à VI Regional de Saúde do estado do Rio Grande do Norte, que reúne 36 municípios e com sede instalada no município de Pau dos Ferros.[39]

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, Riacho de Santana possuía, no ano de 2008, um total de 25 profissionais de saúde, sendo 25 residentes no próprio município e outros quatorze residentes em cidades circunvizinhas. Entre os profissionais residentes em Riacho de Santana, onze eram agentes de saúde e seis eram auxiliares de enfermagem. Entre os residentes fora do município, existiam um bioquímico, dois clínicos gerais, dois dentistas, dois enfermeiros e um nutricionista.[3] De acordo com o IBGE, Riacho de Santana possuía em 2009, apenas quatro estabelecimentos de saúde, ambos públicos e municipais.[38]

No ano de 2008, foram registrados 78 nascidos vivos, sendo que 64,1% foram de partos cesáreos e 19,2% foram de mães entre dez e dezenove anos de idade (1,3% entre dez e quatorze anos). A taxa bruta de natalidade era de 17,7. No mesmo ano, foram registrados 38 mortes e a taxa de óbitos era de 8,6 por mil habitantes. A taxa de mortalidade infantil era de 12,8 por mil nascidos vivos.[40]

Educação[editar | editar código-fonte]

Educação de Riacho de Santana em números[38]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 147 11 11
Ensino fundamental 753 40 12
Ensino médio 205 12 1

O município de Riacho de Santana possuía, em 2009, aproximadamente 1 105 matrículas e 24 escolas nas redes públicas e particulares entre os ensinos pré-escolar, fundamental e médio.[38]

Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e do Ministério da Educação (MEC), o índice de analfabetismo no ano de 2000 era mais frequente entre pessoas acima de 25 anos de idade (35,8%), enquanto a faixa etária entre quinze e dezessete anos possuía a menor taxa (3,21%).[41] A taxa bruta de frequência à escola passou de 61,31% em 1991 para 86,93% em 2000.[42] 418 habitantes possuíam menos de 1 ano de estudo ou não contava com instrução alguma.[43]

Serviços e transportes[editar | editar código-fonte]

O serviço de abastecimento de água de toda o município é feito pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN),[44] enquanto a responsável pelo abastecimento de energia elétrica em Riacho de Santana é a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), que fornece energia em todos os municípios do estado do Rio Grande do Norte.[45] No ano de 2007 existiam 1 518 consumidores e foram consumidos 1 981 KWh de energia.[3] Ainda há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido por diversas operadoras. O código de área (DDD) de Riacho de Santana é 084[46] [47] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade é de 59987-000.[48] No dia 10 de novembro de 2008 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outras cidades de DDDs 33 e 38, em Minas Gerais; 44, no Paraná; 49, em Santa Catarina; além de outros municípios com código 84, no Rio Grande do Norte.[49]

Vista da entrada de Riacho de Santana a partir da RN-073, que dá acesso ao município, no cruzamento com a BR-405.

A frota municipal no ano de 2010 era de 667 veículos, sendo 120 automóveis, quatro caminhões, 43 caminhonetes, cinco camionetas, nove micro-ônibus, 437 motocicletas, 47 motonetas e um ônibus; outros tipos de veículos incluíam apenas uma unidade. Por não possuir rios em abundância, o município não possui muita tradição no transporte hidroviário, e também não é cortada por ferrovias em seu território. Riacho de Santana, em seu território, é atravessada pela BR-405 (zona rural do município), que liga Mossoró à Paraíba, além da RN-073, rodovia estadual cruza a BR-405 e dá acesso à cidade.[50] Ainda há no município um terminal rodoviário, construído através de um convênio realizado entre a prefeitura municipal e o Ministério do Turismo e inaugurado em junho de 2011.[51]

Em 2007, a frota registrada, segundo o Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) era de 501 unidades, sendo vinte movidos a álcool, 442 a gasolina, 33 a diesel e seis a uma mistura de álcool e gasolina.[3]

Habitação e infraestrutura básica[editar | editar código-fonte]

De acordo com o censo demográfico de 2010 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Riacho de Santana possuía, em geral, 1 225 domicílios, sendo todos eles do tipo "casa" (100%).[52] Já em relação à condição de ocupação do domicílio, 1 024 eram imóveis próprios (83,59%), 59 eram alugados (4,82%), 125 cedidos (10,2%) e apenas dezessete eram ocupadas sob uma outra condição (1,39%). Em relação ao abastecimento de água realizado nas residências, 832 recebiam água tratada a partir de uma rede geral de distribuição (67,92%), 142 imóveis eram abastecidos por um poço ou nascente na propriedade (11,59%) e 251 unidades possuíam abastecimento de água vindo de outras fontes (20,49%). Quanto à energia elétrica, 1 222 imóveis eram abastecidos (99,76%), sendo 1 216 a partir de uma companhia distribuidora de energia (99,27%) e apenas seis a partir de uma outra fonte (0,49%); outros três domicílios não tinham ou não eram abastecidos pela rede elétrica (0,24%).[53]

Em relação ao destino do lixo, 559 domicílios possuíam coleta (45,63%), dos quais 555 eram coletados por serviço de limpeza (0,33%) e apenas quatro possuíam a coleta feita a partir de uma caçamba de serviço de limpeza (45,3%); outros 666 imóveis jogavam o lixo em outros destinos (54,37%).[53] Quanto ao esgotamento sanitário, noventa domicílios não possuíam banheiros e/ou sanitários (7,35%); já entre os 1 135 domicílios que a possuíam (92,65%), 54 tinham esgotamento sanitário feito a partir da rede geral de esgotos ou pluvial (4,41%), 133 a partir de uma fossa séptica (10,86%) e 948 com esgotamento sanitário feito de uma outra maneira (77,39%).[54]

Cultura[editar | editar código-fonte]

O artesanato é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural riacho-santanense. Em várias partes do município é possível encontrar uma produção artesanal diferenciada, feita com matérias-primas regionais e criada de acordo com a cultura e o modo de vida local. Alguns grupos reúnem diversos artesãos da região, disponibilizando espaço para confecção, exposição e venda dos produtos artesanais, como o bordado, fios, fibras, entre outros.[55]

O município realiza uma diversa quantidade de eventos todos os anos, entre os quais destacam-se a festa de emancipação política, realizada sempre no dia 10 de maio, data de aniversário da cidade; o Arraiá de Rua, que ocorre entre 14 e 24 de junho com a apresentação de quadrilhas, danças, festivais, além de barracas de gastronomia e shows de bandas musicais; e a festa de São João Batista, atrativo cultural-religioso realizado em homenagem ao padroeiro municipal, no dia 24 de junho.[3] [56] Além da festa de São João Batista, outro importante atrativo turístico é o Açude Caripina, barragem localizada no Sítio Paul, a 1,5 quilômetros da zona urbana, e que abastece a população do município.[13] [57]

Referências

  1. Histórico IBGE. Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  2. a b c Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. a b c d e f g h i j k l m n o RIACHO DE SANTANA IDEMA/RN (2008). Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  4. a b Área territorial IBGE (23 de janeiro de 2013). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  5. a b c d Estimativa Populacional 2013 (PDF) Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Página visitada em 18 de janeiro de 2014.
  6. Rio Grande do Norte Embrapa (2000). Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 27 de fevereiro de 2011.
  7. a b Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 04 de setembro de 2013.
  8. a b c d e f Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  9. Histórico - Água Nova Biblioteca IBGE. Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 25 de outubro de 2011.
  10. a b c d e f História de Riacho de Santana Portal Riacho de Santana (2009). Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2011.
  11. Distância entre Natal e Riacho de Santana Google Maps. Página visitada em 17 de janeiro de 2014.
  12. Bacia Apodi/Mossoró Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. Página visitada em 27 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 25 de outubro de 2011.
  13. a b Barragem Caripina Secretaria Estadual de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  14. a b Clima: Riacho de Santana Climate Data. Página visitada em 28 de julho de 2014. Cópia arquivada em 28 de julho de 2014.
  15. Posto: RIACHO DE SANTANA(EMATER) Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (2008). Página visitada em 26 de janeiro de 2014.
  16. Demografia - População Total Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  17. a b Tabela 2.1 - População residente, total, urbana total e urbana na sede municipal, em números absolutos e relativos, com indicação da área total e densidade demográfica, segundo as Unidades da Federação e os municípios – 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  18. a b Riacho de Santana, RN Atlas Brasil (2010). Página visitada em 16 de janeiro de 2014.
  19. Razão de sexo, população de homens e mulheres, segundo os municípios – 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  20. 2093 - População residente por cor ou raça, sexo, situação do domicílio e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População Título não preenchido, favor adicionar Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  21. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Tabela 1497 - População residente, por nacionalidade - Resultados Gerais da Amostra Sistema IBGE de Recuperação Automática. Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  22. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra Sistema IBGE de Recuperação Automática. Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  23. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento Sistema IBGE de Recuperação Automática. Página visitada em 27 de junho de 2013.
  24. Rio Grande do Norte » Riacho de Santana » Mapa de Pobreza e Desigualdade - Municípios Brasileiros - 2003 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2003). Página visitada em 22 de janeiro de 2013.
  25. 1 - acabar com a fome e a miséria Portal ODM (2010). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  26. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Religião = Total Sistema IBGE de Recuperação Automática. Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  27. Zonal do Alto Oeste Portal da Diocese de Mossoró. Página visitada em 16 de fevereiro de 2014.
  28. Governo Municipal Guia de direitos. Página visitada em 24 de outubro de 2011. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2011.
  29. RESULTADO DA ELEIÇÃO 2004 Tribunal Superior Eleitoral (2004). Página visitada em 8 de outubro de 2011.
  30. RESULTADO DA ELEIÇÃO 2000 Tribunal Superior Eleitoral (2000). Página visitada em 27 de outubro de 2011.
  31. Eleição 2008 - Apuração Placar Eleições (2008). Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  32. DJI. Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29. Página visitada em 27 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 27 de fevereiro de 2011.
  33. Apuração 1º turno (Vereadores) Terra (6 de outubro de 2008). Página visitada em 24 de outubro de 2011. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2011.
  34. Poder Judiciário do Rio Grande do Norte (TJRN). Comarca: Pau dos Ferros (em Português). Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 27 de fevereiro de 2011.
  35. Eleitorado WEB TSE (setembro de 2011). Página visitada em 27 de outubro de 2011.
  36. THALES TÁCITO PONTES LUZ DE PÁDUA CERQUEIRA (3 de julho de 2007). O candidato único precisa de quantos votos para ser eleito prefeito ? Portal ClubJus. Página visitada em 27 de outubro de 2011. Cópia arquivada em 10 de outubro de 2011.
  37. a b População por bairros - Rio Grande do Norte - 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  38. a b c d e f Cidades@ - IBGE. RIACHO DE SANTANA - RN. Página visitada em 23 de dezembro de 2011.
  39. Dispositivos 6ª região de saúde  » Dispositivos da 6ª região de saúde do Rio Grande do Norte. Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2011.
  40. DATASUS. Cadernos de Informações de Saúde - Rio Grande do Norte (xls). Página visitada em 11 de outubro de 2010.
  41. Confederação Nacional de Municípios (CNM). Educação. Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  42. Confederação Nacional de Municípios (CNM). Educação - Freqüência Escolar. Página visitada em 31 de março de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  43. Confederação Nacional de Municípios (CNM). Educação - Anos de Estudo. Página visitada em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  44. Secretaria do Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Resumo dos Custos Totais de Poços Para Atender a Demanda Humana Concentrada no Ano 2020. Página visitada em 15 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2011.
  45. Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte. A COSERN. Página visitada em 19 de julho de 2011.
  46. Estado: Rio Grande do Norte (RN) Web Busca. Página visitada em 15 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2011.
  47. CÓDIGOS DO RIO GRANDE DO NORTE Anatel (8 de junho de 2011). Página visitada em 26 de outubro de 2011. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2011.
  48. Sobre Riacho de Santana CityBrazil. Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  49. Estadão (7 de novembro de 2008). Portabilidade numérica chega a mais 8 milhões na 2ªf. Página visitada em 26 de outubro de 2011. Cópia arquivada em 1º de março de 2011.
  50. Mapa IDEMA/RN (2009). Página visitada em 30 de novembro de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  51. Antonio Nunes (junho de 2011). Cerimônia de inauguração da rodoviária Portal Riacho de Santana. Página visitada em 23 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2011.
  52. IBGE (2010). Tabela 3152 - Domicílios particulares permanentes, por tipo do domicílio e número de moradores - Resultados Preliminares do Universo Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Página visitada em 23 de dezembro de 2011.
  53. a b IBGE (2010). Tabela 3157 - Domicílios particulares permanentes, por condição de ocupação do domicílio, da existência de energia elétrica, da forma de abastecimento de água e do destino do lixo - Resultados Preliminares do Universo Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Página visitada em 11 de novembro de 2011.
  54. IBGE (2010). Tabela 3154 - Domicílios particulares permanentes, por existência de banheiro ou sanitário e tipo de esgotamento sanitário - Resultados Preliminares do Universo Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Página visitada em 11 de novembro de 2011.
  55. Atividades artesanais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2012). Página visitada em 19 de janeiro de 2014.
  56. 14º Arraiá de Rua de Riacho de Santana! Prefeitura de Riacho de Santana (2011). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  57. Pontos turísticos Prefeitura de Riacho de Santana. Página visitada em 22 de janeiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]