Ricardo Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ricardo Gomes
Ricardo Gomes
Ricardo Gomes em Ação no São Paulo em 2010
Informações pessoais
Nome completo Ricardo Gomes Raymundo
Data de nasc. 13 de Dezembro de 1964 (50 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Altura 1,89 m
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1982-1996 (14 anos)
Como Treinador: 1996-2011 (15 anos)
Clube atual Sem clube
Posição Diretor de Futebol (ex-Zagueiro e Treinador)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
19821988
19881991
19911995
19951996
Brasil Fluminense
Portugal Benfica
França Paris Saint-Germain
Portugal Benfica
0201 0000(11)
083 000(19)
115 000(11)
017 0000(4)
Seleção nacional
19841994 Brasil Brasil 045 0000(4)
Times que treinou
19961998
1999
1999
2000
2001
2001
2002
20022004
2004
2004
20052007
20072009
20092010
2011
França Paris Saint-Germain
Brasil Vitória
Brasil Sport
Brasil Vitória
Brasil Guarani
Brasil Coritiba
Brasil Juventude
Brasil Seleção Olímpica
Brasil Fluminense
Brasil Flamengo
França Bordeaux
França Monaco
Brasil São Paulo
Brasil Vasco da Gama
073 0000(0)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Prata Seul 1988 Futebol
Jogos Pan-Americanos
Ouro Indianápolis 1987 Futebol

Ricardo Gomes Raymundo, mais conhecido apenas como Ricardo Gomes (Rio de Janeiro, 13 de Dezembro de 1964), é um ex-futebolista brasileiro que jogava como zagueiro e atual treinador.[1] Está afastado do futebol desde 28 de Agosto de 2011, quando sofreu um AVC durante uma partida.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Ricardo Gomes iniciou sua carreira como zagueiro do Fluminense no início dos anos 80. No Tricolor das Laranjeiras, conquistou um tricampeonato carioca, 1983/1984/1985, e formou a dupla de zaga campeã brasileira de 1984.[1]

A boa campanha no Campeonato Brasileiro de 1984 lhe renderia uma chance na Seleção Brasileira. Três anos depois, uma contusão atrapalhou os planos de Ricardo Gomes na seleção.[1]

Entretanto, em 1989, Gomes se consolidaria na seleção, e, em 1990, foi capitão da seleção na Copa do Mundo, sediada na Itália. Já no Benfica, o zagueiro foi titular na conquista da Copa América, além de ter sido capitão nas Eliminatórias para a Copa de 1990.[1]

A classificação para o Mundial veio, mas o tão esperado tetra, não seria daquela vez. Em 1991, foi contratado pelo Paris Saint-Germain, onde se tornou ídolo, jogando por quatro temporadas.[1]

O corte de 1994[editar | editar código-fonte]

Em meio à boa fase no clube francês, foi convocado para a Seleção Brasileira que disputaria Copa do Mundo FIFA de 1994. O zagueiro era titular em um amistoso contra El Salvador, o último antes da estreia na Copa. Porém, aos 21 minutos, Ricardo sofreu uma lesão muscular, que o cortaria do mundial.[1]

Ricardo era o zagueiro preferido de Carlos Alberto Parreira. Nas eliminatórias para a Copa de 1994 ele atuou apenas nas quatro últimas partidas, por conta de uma contusão abdominal, mas ainda assim marcou 3 gols. Depois de mais uma temporada no Benfica, encerrou a carreira em 1996, com apenas 31 anos.[1]

Raymundo Ricardo Gomes.jpg

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Como treinador, destacou-se no Paris Saint-Germain, sendo campeão da Copa da França e da Copa da Liga Francesa, no Vitória, onde foi campeão nordestino em 1999, no Juventude, no Fluminense e levou o Bordeaux ao vice-campeonato francês da temporada 2005/2006.[2]

Teve passagens também por outros clubes, como Monaco, Guarani, Flamengo, Coritiba e ainda pela Seleção Brasileira Olímpica.[3]

Em 20 de junho de 2009, foi anunciado como novo técnico do São Paulo. O time paulista estava sem treinador depois da saída de Muricy Ramalho, no dia anterior. A negociação foi anunciada pelo presidente do clube, Juvenal Juvêncio, após concretizá-la. Isso significou a volta de Gomes a um time do Brasil, já que seu último trabalho no país havia sido em 2004, no Flamengo.[4] No dia 21 de fevereiro de 2010, sofreu um pequeno AVC (Acidente Vascular Cerebral) depois de uma derrota de 2x0 para o Palmeiras e, segundo médicos, não ficou com sequelas.[5]

Em 6 de agosto de 2010, com o término de seu contrato, os dirigentes do São Paulo decidiram não renovar. Em 2 de fevereiro de 2011, foi anunciado como novo treinador do Vasco da Gama, onde conquistou a Copa do Brasil de 2011.[6]

Em 28 de agosto de 2011, durante partida entre Vasco da Gama e Flamengo, Ricardo Gomes sofre um AVC hemorrágico e foi internado em estado grave, fator que levou o treinador a ficar mais de um ano afastado de suas atividades profissionais.[7] .

Diretor técnico[editar | editar código-fonte]

Em 14 de novembro de 2012, após mais de um ano afastado do futebol, em decorrência do AVC, Ricardo Gomes volta ao Vasco da Gama para exercer a função de diretor técnico.[8] e passa a acumular também a função de diretor executivo, em meados de 2013[9] .

Estatística[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
São Paulo 73 38 15 20
Vasco da Gama 44 24 13 7

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Brasil Fluminense
Portugal Benfica
França Paris Saint-Germain
Brasil Seleção Brasileira

Como treinador[editar | editar código-fonte]

França Paris Saint-Germain
Brasil Vitória
França Bordeaux
Brasil Vasco da Gama

Referências

Precedido por
Ivo Wortmann
Paraná Técnico do Coritiba
2001
Sucedido por
Ivo Wortmann
Precedido por
Paulo César Gusmão
Rio de Janeiro Treinador do Flamengo
2004
Sucedido por
Andrade
Precedido por
Muricy Ramalho
São Paulo Treinador do São Paulo
2009 - 2010
Sucedido por
Sérgio Baresi
Precedido por
Paulo César Gusmão
Rio de Janeiro Treinador do Vasco da Gama
2011
Sucedido por
Cristóvão Borges