Ricardo José da Áustria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ricardo José da Áustria
Arquiduque da Áustria
Vice-Rei do Reino Lombardo-Vêneto
Cônjuge Isabel de Saboia
Descendência
Maria Carolina da Áustria
Adelaide da Áustria
Leopoldo Luís da Áustria
Ernesto Carlos da Áustria
Sigismundo Leopoldo da Áustria
Ricardo Fernando da Áustria
Henrique António da Áustria
Maximiliano Carlos da Áustria
Nome completo
Ricardo José João Miguel Francisco Hieronymus
Casa Habsburgo
Pai Leopoldo II, Sacro Imperador Romano-Germânico
Mãe Maria Luísa da Espanha
Nascimento 30 de Setembro de 1783
Pisa, Grão-Ducado da Toscana
Morte 16 de janeiro de 1853 (69 anos)
Bolzano, Império Austro-Húngaro (actual Itália)
Religião Catolicismo

Ricardo José da Áustria (30 de Setembro de 1783 - 16 de Janeiro de 1853) foi um vice-rei do Reino Lombardo-Vêneto entre 1818 e 1848. Era também arquiduque da Áustria e príncipe real da Hungria e da Boémia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ricardo era filho do sacro-imperador Leopoldo II e da imperatriz Maria Luísa, sendo assim irmão mais novo do sacro-imperador Francisco I.

Apesar de Ricardo sofrer de uma forma leve de epilepsia, essa condição não afectou visivelmente a sua carreira militar.[1]

Ricardo foi vice-rei do Reino Lombardo-Vêneto entre 1818 e 1848. Esta posição fez com que, juntamente com a sua esposa, se tornasse chefe da corte de Milão. As suas políticas foram muito pouco populares. Os italianos ressentiam a falta de liberdade providenciada pelo arquiduque e por recolher impostos sem lhes dar benefícios significativos.

Ao longo da década de 1840, a situação política deteriorou-se a tal ponto que, em 1847, a cidade de Metternich voltou aos planos que tinha em 1817 de criar uma chancelaria italiana, enviando o seu braço direito, o conde Charles-Louis de Ficquelmont ao Reino Lombardo-Vêneto para restaurar a soberania austríaca enquanto conquistavam a administração da Itália do norte. Mas alguns meses depois, Ficquelmont foi chamado a Viena para assumir a liderança do Conselho de guerra quando rebentou a Revolução de 1848.

Os erros do arquiduque Ricardo, bem como a falta de entendimento entre Ricardo e o marechal-de-campo Graf Radetzky foram apontados como a causa da Revolução Italiana de 1848.[2]

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Ricardo casou-se em Praga no dia 28 de Maio de 1820 com a princesa Isabel de Saboia, irmã do príncipe de Carignano que se tornou rei da Sardenha em 1831. Era também neta do duque do Báltico, principado da Curlândia. Tiveram os seguintes filhos:

  1. Maria Carolina da Áustria (6 de Fevereiro de 1821 - 23 de Janeiro de 1844), morreu aos vinte-e-dois anos de idade; sem descendência.
  2. Adelaide da Áustria (3 de Junho de 1822 – 20 de Janeiro de 1855), casada com o rei Vítor Emanuel II da Itália; com descendência, incluindo a rainha D. Maria Pia de Portugal.
  3. Leopoldo Luís da Áustria (6 de Junho de 1823 – 24 de Maio de 1898), oficial do exército austríaco; morreu solteiro e sem descendência.
  4. Ernesto Carlos da Áustria (8 de Agosto de 1824 – 4 de Abril de 1899), casado com Laura Skublicsde Velike et Bessenyö; com descendência
  5. Sigismundo Leopoldo da Áustria (7 de Janeiro de 1826 – 15 de Dezembro de 1891), oficial do exército austríaco, morreu solteiro e sem descendência.
  6. Ricardo Fernando da Áustria (11 de Janeiro de 1827 – 27 de Janeiro de 1913), exerceu vários cargos políticos, incluindo presidente do Reichsrat e presidente do conselho de ministros do Império Áustro-Húngaro. Morreu solteiro e sem descendência.
  7. Henrique António da Áustria (9 de Maio de 1828 – 30 de Novembro de 1891), oficial no exército austríaco. Casado com Leopoldine Hofmann Baronin von Waideck; com descendência.
  8. Maximiliano Carlos da Áustria (16 de Janeiro de 1830 – 16 de Março de 1839), morreu aos nove anos de idade.

A Revolução de 1848 forçou Ricardo e Isabel a deixar a corte de Milão. Quando a insurreição foi abafada, Radetzky foi nomeado sucessor de Ricardo como vice-rei. Apesar de quase todos os seus filhos, à excepção de Adelaide, estarem enterrados na Cripta Imperial em Viena, os restos mortais de Ricardo e da esposa encontram-se enterrados no Maria Himmelfahrtskirche em Bolzano.

Através da sua filha Adelaide, Ricardo é antepassado directo da família real italiana que reinou entre 1861 e 1946.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Ricardo José da Áustria em três gerações[3]
Ricardo José da Áustria Pai:
Leopoldo II, Sacro Imperador Romano-Germânico
Avô paterno:
Francisco I, Sacro Imperador Romano-Germânico
Bisavô paterno:
Leopoldo, Duque de Lorena
Bisavó paterna:
Isabel Carlota de Orleães
Avó paterna:
Maria Teresa da Áustria
Bisavô paterno:
Carlos VI, Sacro Imperador Romano-Germânico
Bisavó paterna:
Isabel Cristina de Brunswick-Wolfenbüttel
Mãe:
Maria Luísa da Espanha
Avô materno:
Carlos III de Espanha
Bisavô materno:
Filipe V de Espanha
Bisavó materna:
Isabel Farnésio
Avó materna:
Maria Amália da Saxônia
Bisavô materno:
Augusto III da Polônia
Bisavó materna:
Maria Josefa da Áustria

Referências

  1. George R. Marek, The Eagles Die. Franz Joseph, Elisabeth, and Their Austria, pp. 41–42. New York: Harper & Row, 1974. Também o seu irmão, o arquiduque Carlos, e o seu filho, o arquiduque Alberto sofriam desta doença, mas ambos se tornaram comandante no exército.
  2. Joan Haslip, The Crown of Mexico, pp. 22, 89, 109. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1971.
  3. The Peerage, consultado a 19 de Fevereiro de 2014
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Ricardo José da Áustria